sexta-feira, 23 de novembro de 2012

REGULAMENTAÇÃO DAS MEDICINAS ALTERNATIVAS É UMA ALDRABICE CONVENCIONAL

Ficou-se ontem a saber que o governo aprovou uma proposta de lei para regulamentar as medicinas alternativas. Assim, os profissionais que praticam acupunctura, homeopatia, osteopatia, naturopatia, fitoterapia e quiropraxia terão que ter formação superior e cédula profissional com registo público.

Isto é uma péssima notícia. 

Induz o público em erro, levando as pessoas a pensarem que estas terapias têm uma validade equivalente à medicina convencional, o que não é verdade. Pensemos na homeopatia, porque é um daqueles casos sem nuances ou tons de cinzento. É preto no branco: não funciona melhor do que um placebo, são comprimidos de açúcar, é uma aldrabice pura. Regular o exercício da homeopática é o mesmo que regular a venda de torradeiras avariadas. É dizer que apenas vendedores com uma licenciatura e cédula profissional com registo público podem vender torradeiras que não funcionam.

Os detentores destas "cédulas profissionais" ficarão na posse de um argumento que lhes permitirá dizer que o Estado reconhece a validade científica do seu trabalho. E isto não é verdade. A regulamentação é uma decisão política que resulta do cumprimento de uma decisão judicial (na sequência de uma acção interposta em tribunal pela Associação de Medicina Natural e Bioterapêutica). Portanto a validade que têm essa carteira profissional é política e jurídica.



Do ponto da falta da cultura científica os juízes (portugueses e não só) têm um cadastro considerável. Em Janeiro deste ano, também por causa de uma decisão judicial, o Ministério da Educação e da Ciência viu-se obrigado a reconhecer a Casa Índigo como uma escola para ensinar crianças Indigo. Crianças Indigo, que alguns acreditam terem uma aura entre o azul e o violeta (indigo) é uma coisa que não existe. Neste caso, o texto do despacho ministrial é esclarecedor:

Em cumprimento do determinado pela sentença proferida no processo n.º 1323/09.9BESNT-A, da 3.ª unidade orgânica do Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra, apesar de não coincidir com o entendimento expresso pelo Ministério da Educação e Ciência nesta matéria, e ao abrigo do disposto nos artigos 158.º n.º 2 e 188.º do Código Civil e nos artigos 1.º, n.º 1 alínea f), 77.º e 79.º, n.º 1 do Decreto-Lei n.º 119/83, de 25 de fevereiro, reconheço, em estrito cumprimento da referida sentença, a personalidade jurídica da Casa Índigo - Fundação para a Formação Consciencial e Cultural de Crianças Índigo, Jovens e Educadores, como fundação de solidariedade social no âmbito da educação, com efeitos retroativos a 21 de outubro de 2008.

Muitos dirão que noutros países as medicinas alternativa já estão reguladas e que esta regulamentação em Portugal só peca por tardia. Há muitos disparates que vêem de fora. Este é mais um. E, numa altura de crise em que muita gente terá dificuldade em ter acesso a cuidados médicos, esta é uma mensagem absolutamente errada.

40 comentários:

  1. De acordo, a 100%, com o sentido do poste...
    Mas parece-me pouco rigoroso dizer que o reconhecimento da Casa Indigo como f.s.s., 'ex judicio', é o mesmo que o seu reconhecimento como escola...
    Também, por outro lado, se bem ajuízo, e contra o que diz, uma decisão política 'qua tale' não pode no nosso sistema ser imposta por decisão judicial.
    Claro que os processos podem correr mal (i.e. ser geridos e decididos de modo incompetente...), mas aí a culpa não é da lei, é dos agentes do processo.

    ResponderEliminar
  2. Mistura o senhor alhos com bugalhos. Sendo, nas suas palavras, a naturopatia uma farsa, porque a misturou com outras práticas, porque não bebe determinados chás na mesma quantidade que se fez com os medicamentos homeopáticos. O mesmo para a acumpuctura, etc. Nas suas palavras deveriam os médicos abandonar as termas e o Estado mandá-las fechar, que isto de se curarem tomando banho só pode ser bruxedo. Já reparou que quando fala no efeito placebo está a admitir que afinal cada um se pode curar com o poder da mente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O efeito placebo não tem nada a ver com o poder da mente, nem cura nada, o efeito placebo é apenas um erro da percepção humana, não admira portanto que a maioria destas "terapias" tratem maleitas relacionadas com a dor, algo que é fundamentalmente subjectivo. É possível obter o mesmo efeito sem ter de fazer com que as pessoas acreditem em histórias da carochinha, bastava uma medicina convencional mais humanizada, já que é a falta de atenção que leva muitas pessoas a procurarem as alternativas, e atenção é algo que que os vendedores da banha de cobra são muito bons a dar.

      Eliminar
    2. Uau! Este senhor é um poço de sabedoria. Afirma tanta coisa como se, de facto, fosse detentor de toda a verdade. Sabe qual é a sua sorte? É de não precisar. Porque se isso tivesse acontecido, não teria cuspido para o ar. Para além do mais, denota total ignorância sobre terapias ou medicina alternativa. Deixe- me adivinhar.....é médico convencional? está tão interessado em denegrir a imagem destas práticas.....

      Eliminar
  3. Caro Professor David Marçal: No campo da saúde (e não só!)qando se mexe em interesses a instalar, a reacção é sempre descabida e sem nexo. Seja eles bruxarias, cartomância, horóscopos e quejandos...Haja paciência e bem haja por se fazer apóstolo de uma cruzada que tem em vista defender a Ciência.

    ResponderEliminar
  4. "não admira portanto que a maioria destas "terapias" tratem maleitas relacionadas com a dor" ??? O que é isto?

    Caro Marco, porfavor informe-se antes de proferir tamanhas barbaridades.
    A medicina tradicional chinesa tem em vista todos os níveis de prevenção.
    Ações especialmente destinadas ao período que antecede a ocorrência da doença; Incorpora uma série de medidas que visam a impedir a evolução de doenças já existentes e, em conseqüência, suas complicações; E em último nível engloba ações voltadas à reabilitação do indivíduo após a cura ou o controle da doença, a fim de reajustá-lo a uma nova condição de vida.

    Porfavor esteja mais informado antes de difamar algo ou alguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa mas não devemos ter o mesmo significado da palavra difamar. Se eu estou realmente enganado seria interessante complementar o seu comentário com exemplos de estudos randomizados, controlados e duplamente cegos que mostrem que acupunctura serve para algo mais do que controlar a dor. Sendo este um sítio de ciência é isso que se pede, as melhores e mais rigorosas evidências científicas. Fico à espera.

      Eliminar
    2. E em nenhum lado me referi especificamente à MTC. Esse é um dos problemas da designação "terapias alternativas e complementares" e outros sinónimos, metem tudo debaixo do mesmo chapéu, tanto envolvem terapias que até possuem alguma plausibilidade e que podem realmente funcionar, como a fitoterapia e alguns tratamentos à base de plantas da MTC, como envolvem também outros tratamentos que são completamente implausíveis e absurdos à luz dos conhecimentos científicos actuais, como a homeopatia e o reiki. Cumprimentos

      Eliminar
    3. muito bem, já disse o que faz, eu tb posso dizer q a minha bola de futebol possui capacidade de transformar a terra em q toca quando cai ao chão em ouro.
      Trocando por miudos, explique-me de forma coerente como é que isso funciona antes de dizer o que faz, a ciência tem as suas provas, e essas ditas "ciências" se as tem deveriam mostrá-las também ou cair em esquecimento

      Eliminar
  5. Muito bem sr diogo, se esta ligado a area das ciencias deve concerteza ter conhecimento do site da PubMed. Desafio o a que faça uma pequena pesquisa sobre acupuntura.
    Sim, concordo consigo quando menciona que a designação engloba tudo no mesmo saco. E acho que algumas dessas areas devem ser destacadas de outras menos plausiveis, como é o caso da homeopatia e do reiki. Mas faça la a pesquise e veja como ha imensos artigos sobre acupuntura. Relembro que a MTC abrange a acupuntura e a fitoterapia nos seus tratamentos, sao complementares.

    ResponderEliminar
  6. www.ncbi.nlm.nib.gov/pubmed
    Ca esta o link, veja os estudos randomizados, controlados e duplamente cegos. Saliento novamente que a acupuntura nao trata por si so, necessita acopular se à fitoterapia. É quase como a medicina e a farmacologia, estao ligadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Helder Ferreira

      Sugiro a leitura de um artigo do prof. Edzard Ernst que fala sobre a recusa de muitos proponentes de "medicina" dita alternativa em publicarem estudos negativos, por exemplo.

      http://edzardernst.com/2012/11/no-negatives-please-we-are-alternative/

      Eliminar
    2. Muito obrigado, mas eu já conheço e utilizo o Pubmed há muito tempo, achar estudos que não existem é que é difícil, porque se eu quisesse encontrar estudos observacionais ou que nem controlo utilizam teria sem dúvida uma enorme quantidade deles, mas quantidade não é a mesma coisa que qualidade, de facto nenhum possui um resultado negativo porque tal seria impossível, uma vez que não existe uma tentativa de eliminar nenhuma das variáveis de confundimento mais comuns, entre as quais se encontram o efeito placebo e os vieses de confirmação dos próprios investigadores. Cumprimentos.

      Eliminar
  7. Ha ha ha... já que fala de validade cientifica... o seu racíocínio, por mais floreado que seja, é que carece de validade... talvez por ignorância e falta de conhecimento... existe bastante literatura cientifica acerca de, por exemplo, os efeitos psicofisiológicos da Acupunctura e outras áreas da MTC sobre a saúde humana.... é por isso reconhecida pela OMS :) bem, e não se esqueça que a Farmácia, dotada dessa validade cientifica que tanto preza,nasceu das Botânica e do estudo e observação documentada de especies animais, vegetais e minerais...
    é esta a opinião de uma pessoa que vive nos 2 lados dessa fronteira que delimita :)tem que ler mais artigos cientificos e menos artigos de revista cor de rosa...
    abraço

    ResponderEliminar
  8. E em relação há Osteopatia? Alguém quer fazer algum comentário?

    ResponderEliminar
  9. No que às MNC é relativo existem sempre opiniões que revelam a completa imaturidade,falta de conhecimento e uma gritante vontade de "dizer mal".Ora para difamar, atentar contra a boa fé de algo ou alguém não tem que se ter conhecimento especial.Apenas tem de se ter umaboa dose de malícia, de parvoice e de completa ignorância sobre o "como", o "porquê" entre outros.
    Uma das pedras de base da Medicina convencional (MC) é que as TNC, de uma forma geral, não têm justificação científica (nem as opiniões dos que opinam sem saber nada de nada), mas saibam V.Exªs que a própria MC também utiliza todos os dias determinados tipos de fármacos cuja farmacodinâmica e farmaconcinética não estão nada cientificamente esclarecidas (nalguns casos) , ou muito pouco científicamente esclarecidas noutros.E não é por isso que,apesar de não haver validação científica universal e/ou justificação científica , que deixam de ser utilizados.Um exemplo em concreto prende-se com alguns anestésicos.VEja-se outro exemplo que abrange a questão dos químicos ISRS ou ISRSN, prescritos em psiquiatria,cuja princípio de funcionamento e atuação está a levantar uma polémica , em toda a comunidade científica (à excepção da comunidade científica relacionada com os laboratórios que fabricam esses mesmos medicamentos....), em que é defendido (veja-se estudos com menos de 5 anos,presentes na Internet) que os efeitos são semelhanates ao placebo (em cerca de 85% dos casos), ou próprio efeito placebo é superior à ação , ou suposta ação, destes mesmos fármacos.
    Pedro Costa Nunes (1)

    ResponderEliminar
  10. Portanto não me venha gente com mentalidade campónia dizer-me ou abanar a bandeirinha do "científicamente comprovado e/ou justificado" porque na sua maioria é gente que não sabe nada do que diz, nem diz o que sabe.Naturalmente a Homeopatia a Acupunctura em conreto ( com a osteopatia a coisa é mais "soft" porque existe relação claramente uam relação direta entre uma manipulação e o "improvment" do paciente), existe muita coisa quenão se percebe como funciona,mas há que estudar, experimentar, testar e perceber como é que tudo funciona, utilizando o método científico que continua a ser a melhor forma de aprender coisas.Parece-me lógico.Mas sem nunca descartar o "SER HUMANO" .O Vioxx, o Lipobay,entre outros, muitos outros,também estavam cientificamente comprovados ...O 1º Matou cerca de 5 MILHÕES de pessoas no mundo inteiro.O 2º foi retirado do mercado (Em Portugal a polémica foi-se arrastanto e atualmente não sei sequer se continua no mercado) porque s estabeleceu de forma clara a objetiva uma relação entre a sua toma e a ocorrência de insuficiência hepática.Com a consequente morte do proprietário do Fígado insuficiente.e Também estava "cientificamente comprovado e validado etc..etc.. ".Só para vos deixar exemplos.O facto de haver fenómenos que a ciência (ou algumas mentalidades pobres da ciência), não consegue explicar e/ou perceber como ocorrem não lhe dá o direito de os negar.E este é um dos primeiros princípios científicos ..."Não negues o fenómeno que à partida desconheces,estuda-o".E esta é a minha linha comportamental, e é por aqui que me guio.Trabalho com as MNC desde há 15 anos, tenho formação mais do que suficiente ( 2 licenciaturas(uma delas em Anatomia Patológica), 2 PG e 1 MSC), e além disso estou no 4º ano de Medicina na FCMUP, e ainda tenho formação em Emergência Pré-Hospitalar.Como tal só vejo é gente ignorante a dar opiniões sobre o que não sabe.Têm direito à opinião, naturalmente, mas fundamentada e não tendo como base as revistinhas e as polémicas de "trazer por casa" que em nada acrescentam ou melhoram.Desde há 15 anos as MNC tem tido uma tónica de recuperação e melhora das pessoas que a mim recorrem.Vejo efeitos positivos todos os dias em que manipulo ou aconselho a toma de algum fitoterápico ou algum homeopático.E isto , cavalheiros, é que me interessa.Portanto não admito a nenhum pacóvio que me venha com lições de falsa moral e de pretensão douta . Não admito também a nenhum pacóvio ou de mentalidade néscia que me venha com sermões afirmando que as TNC "não têm validade científica" , quando provavelmente muitos de , senão a maior parte, nem tão pouco sabe apresentar ou defender um trabalho científico.Querem estudos ? provas ? Para quê ? Sabem interpretá-las ? analisá-las ? Não sabem concerteza,porque se soubessem já estavam na posse desses estudos que tão ansiosa e sequisamente apregoam.Sabiam concerteza quais os sites de literatura médica /técnica/ científica , credíveis, que vos podiam servir de fontes.Não sabem.Nem querem saber.Porque o v/ propósito reside no escárnio,no "mal dizer".O que constitui uma tremenda falta de inteligência quase a roçar a debilidade mental e o QI de 1 dígito.A todos os meus colegas atuais (Osteopatas,Naturopatas,Fitoterapeutas,Homeopatas), um forte abraço e não deixem que mentalidadades que não passam de "mentalidadezinhas" vos atinjam.Não têm capacidade nem discernimento para isso.Aos meus futuros colegas (médicos, especialistas da Medicina Convencional), lamento mas quero queiram, quer não vão ter-me como colega.E concerteza, sinonimizando a nobreza da arte médica e da arte de curar, saber-me-ão respeitar.Porque eu também o saberei !
    Pedro Costa Nunes (2)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu fosse um praticante de uma terapia alternativa qualquer, eu teria todo o gosto em ver a minha prática comprovada cientificamente em vez de andar a arranjar desculpas como “não pode ser testada pela ciência” ou “é avançada/complexa demais para os ignorantes compreenderem”. Porque a partir do momento que fosse validada cientificamente deixava de ser alternativa e passava só a chamar-se de medicina. Independentemente de como os praticantes acreditam que as suas terapias funcionam, seja pela memória quântica da água, seja por energias mágicas a fluir por meridianos imaginários, se a terapia realmente funcionasse seria possível detectar o efeito, tal como acontece nos analgésicos. Não é por se desconhecer o mecanismo pelo qual estas terapias supostamente funcionam que elas são vistas com cepticismo, é por falta de evidências de rigor.
      Mas deixe-me ver se percebi bem, as terapias alternativas funcionam (é isso que se está a discutir) porque a medicina convencional não é perfeita (não me lembro de alguém ter afirmado isso) e porque a indústria farmacêutica tem conceitos de ética muito semelhantes a alguns praticantes de terapias alternativas (diga-se de passagem). Estou esclarecidíssimo agora. Mas ficaria mais se disse-se onde viu esses números de 5 milhões de mortes.
      Cumprimentos.

      Eliminar
  11. Tantos inocentes e ingénuos por aqui. Aqueles que estão contra as medicinas alternativas. Pois, pois. No dia em que a Ordem dos Médicos decidisse que a homeopatia ou as medicinas alternativas fossem tão clinicamente válidas como a Acupunctura, que, afinal, acabou por legitimar, como é que ficaria a vossa argumentação? A prática milenar da Acupunctura só passou a ser cientificamente válida a partir do momento em que os digníssimos e ilustríssimos médicos da medicina dita convencional a aprovou? Pois, pois. Quando interessar à Ordem dos Médicos controlar o exercício das medicinas alternativas e aceitá-las eu quero ver como vão ficar os argumentos daqueles que também já denegriram a acupunctura e que agora lhe reconhecem validade científica. Pois, pois. É tudo uma questão de números, a questão é só saber quais são aqueles médicos da medicina convencional que afinal vão aderir e reconhecer as medicinas alternativas. Em tempo de crise, daria muito jeito, não? Que o controlo económico dos lucros das medicinas alternativas acabassem por ser geridos pelos "ortodoxos"? Pois, pois, eles sabem mesmo muito e devem pensar que todos os demais são parvos ou ingénuos. Têm dúvidas? Então confiram aqui:

    http://www.spma.pt/? page_id=6

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é que realmente as "terapias alternativas" não são nada lucrativas.
      Os argumentos económicos não têm nada a ver com a ciência.
      E o reconhecimento por parte de ordens profissionais também não.
      Afinal de contas, a homeopatia até é reconhecida pelo SNS inglês e isso não faz com que seja cientificamente válida, embora esse seja um dos argumentos favoritos dos seus defensores.

      No caso da acupunctura, há ainda debate médico em torno da sua eficácia. A última Chocrane Review que li mostrava algum efeito marginal para 4 condições médicas específicas. Mas as evidências eram muito débeis e todas elas relacionadas com tratamento de dor e enjoo, ambos sintomas bem subjectivos.

      Depois, os próprios acupunctores (ou terapeutas de medicina tradicional chinesa) misturam acupunctura com fitoterapia e electroacupunctura, o que leva a uma grande confusão de efeitos. Foi o tratamento eficaz devido a que parte da terapia? É a electroacupunctura o mesmo que a acupunctura? Acho que é bem evidente que não. Não é a mesma coisa aplicar agulhas ou aplicar choques eléctricos.

      E a história da MTC e a filosofia que a permeia?
      E o facto de a acupunctura ter sido promovida pelo regime comunista, quando já estava em quase completo desuso, com fins políticos, económicos e ideológicos? Parece que se esquecem desse pormenor quando falam em "sabedorias milenares".

      Eliminar
    2. Pois, pois, mais um amiguinho das medicinas convencionais. E que dizer das afirmações peremptórias da médica Marcia Angell, segundo a qual o índice de resposta dos pacientes a antidepressivos é escassamente superior à dos placebos? Essas afirmações já não incomodam os amiguinhos da dita medicina convencional? E que além de poucos efeitos terapêuticos, os antidepressivos possuem efeitos nefastos na saúde, mormente em 70% das disfunções sexuais? Com isso, os amiguinhos dos ortodoxos já não se preocupam? Só se incomodam com os alegados efeitos inócuos da homeopatia? Mas querem mais opiniões contra os antidepressivos? Por exemplo, as considerações dos psiquiatras Daniel Carlat e Irving Kirsch, os quais igualmente contestam a eficácia terapêutica dos antidepressivos? Ou só gostam e reconhecem as opiniões apologéticas daqueles que sacralizaram, como valor de exclusiva verdade científica, os benefícios da medicina convencional?

      Eliminar
    3. Que dizer?
      É algo que está em debate e que estão a aparecer cada vez mais evidências científicas que possivelmente alguns anti-depressivos não têm o efeito que alegam.
      O processo de escrutínio está em curso.

      Quem tem isso a ver com o tema em debate neste post?
      Porque há um medicamento ou conjunto de medicamentos cujo efeito está em debate, isso valida um conjunto de terapias que nada têm a ver?
      Não vejo a relação.

      Eliminar
    4. Não vê a relação ? Mas também não existe debate entre aqueles que defendem a homeopatia e os que a contestam ? E não existiu debate entre os médicos da medicina convencional, que, durante tantos anos, foram acérrimos contestatários da Acunpunctura, e os acunpunctores, que a defendiam, e que depois veio a ser reconhecida pela Ordem dos Médicos ? Agora o Governo prepara-se para controlar as medicinas alternativas,regulamentando a sua forma de exercício médico, o que, implicitamente, pressupõe o reforçado reconhecimento estatal da sua validade científica, já proclamada no decreto-lei nº 176/2006, de 30 de Agosto. Porquê, porque agora já interessa transferir esse controlo para os mesmos do costume ?

      Eliminar
  12. Chamar a todo um conjunto de práticas terapêuticas de 'aldrabice' é uma grande falta de respeito. A fundamentação do artigo pouco diz e continua numa análise atabalhoada e simplista que pouco reflecte da cultura científica.

    ResponderEliminar
  13. Homeopathy: The Ultimate Fake
    http://www.quackwatch.org/01QuackeryRelatedTopics/homeo.html

    The 'science' behind homeopathy
    http://www.badscience.net/2007/11/a-kind-of-magic/

    "Bad Science" ("Ciência da Treta")
    http://www.editorial-bizancio.pt/coleccoes.php?col=14&id=445

    Paulo Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recomendo também já agora, o "Bad Pharma" de Ben Goldacre. :)

      Eliminar
  14. Será? Ao que parece há cada vez mais médicos a crer o contrário. Dizer mal é fácil, explicar porque funciona é que é difícil.
    Grande Reportagem SIC (29 de Novembro 2012)
    Provavelmente, a melhor reportagem feita sobre o assunto.

    "Como as várias formas de medicina podem ser complementares"
    http://www.youtube.com/watch?v=wWmklmihn20&list=UL

    ResponderEliminar
  15. "Cada cultura criou seus monstros.
    A ciência criou dois monstros, inesquecíveis monstruosidades, as bombas atómicas lançadas pelos américas sobre as indefesas populações do Japão e assim assassinaram demasiadas almas de crianças, adultos e idosos." Anónimo

    Ass. varios alunos de 3 escolas.

    ResponderEliminar
  16. Os interesses das industrias falam alto, demasiado alto, por isso a estupidez de algumas afirmações estão explicadas.Será que nunca ouvirão falar em Indústrias? não são as industrias que nos estão a matar? será que a industria farmacêutica está interessada em curar ? Brincadeira..............

    ResponderEliminar
  17. O facto das TNC serem regulamentadas não implica que elas estejam ciêntificamente comprovadas.

    Mas pelo menos, pode haver melhor controlo, melhor ensino, maior rigor, e até possibilitar mais estudos. Coisa que falta muito nas TNC.

    Qualquer pessoa até agora podia abrir um consultório em qualquer lado e não ter formação adequada. Daqui para a frente, as TNC terão que funcionar com regras. E ainda bem, porque as leis na socidade devem funcionar atendendo e adaptando-se às coisas que existem, ponto final.

    As TNC não substituem qualquer diagnóstico e acompanhamento médico.

    Falando concretamente da MTC, e no caso concreto de doenças crónicas poderá ser útil, principalmente porque nestes casos é muitas vezes necessário medicação contínuada, que trazem outras más consequências ao organismo a longo prazo.
    Falo das asmas, fibromialgias, enxaquecas, (...), e em que a acupuntura e a mtc podem ser uma mais valia a estes pacientes. Claro que, em situações agudas, são encaminhados para a medicação convencional que salva vidas! Medicação que por não ser efeito placebo, são bombas atómicas ao organismo. Mas são necessárias e daí ser um médico a prescrevê-las.

    Na China a acupuntura, é utilizada como um método barato de tratar inúmeras patologias.
    A tensão arterial é em vários casos controlada com acupuctura. Todos os dias, durante um período considerável de tempo (2,3 meses).
    As sequelas de AVC são tratadas em complemento com a medicina convencional e com craneoacupuntura.

    Eu acho que o Estado, as pessoas, a medicina tem a ganhar com este método da MTC em particular, que pode dar beneficios, reduzir o consumo desnecessário de medicação, pelo menos em fases iniciais.

    E sim, sou das TNC e gostaria de ver mais estudos e mais comprovação ciêntifica. Para isso é preciso regulamentar.

    ResponderEliminar
  18. Em Portugal realmente pouco estudos existem de medicinas alternativas, no caso em particular na medicina chinesa. Temos a faculdade de medicina do Porto, que tem alguns estudos. Mas fora de Portugal existem diversos estudos efectuados por Médicos do convencional que também se formaram em MTC, e outros simplesmente só em MTC. O sr. Marco fartou-se de solicitar artigos cientificos, em Portugal só os médicos é que podem publicar artigos cientificos na área da saúde. Quando esse senhor me explicar o que é um artigo cientifico e outros que pensam como ele, talvez possamos conversar. Porque elaborar artigos cientificos sem critério e como foram conduzidos e as conclusões a que resultados chegaram, sem serem do género amostras em numero insuficiente para serem conclusivos nós até poderemos conversar. Porque realmente artigos destes escritos por médicos ou aspirantes a isso é o que mais há, posso citar diversos exemplos de estudos e artigos que comprovam ao que me estou a referir.

    ResponderEliminar
  19. Já agora aproveito para dar os parabéns ao especialista que escreveu este blog. Santa ignorância, primeiro vá vêr a definição de Homeopatia e quem a criou e quem continua a produzir, os laboratórios de quem está por trás. Todos médicos do convencional sem excepção, são todos burros pelos vistos ou alucinados segundo o autor deste blog, a homeopatia foi criada por médicos da medicina dita convencional. Já agora aconcelho-o a lêr alguma bibliografia de Paracelso ou até mesmo Hipocrates e talvez tenha algumas surpresas. Esse e o pai da osteopatia também devem ser alucinados, aliás só em Portugal é que são em Inglaterra existem hospitais homeopaticos e a familia real inglesa usa-a. A osteopatia também só em Portugal é que é medicina alternativa, em Inglaterra, EUA, França, Espanha e Alemanha já estudada de forma convencional, em faculdades de medicina não em escolas de saude como o caso da Fisioterapia. Para desconhecimento deste senhor e de outros muitos fisioterapeutas viram-se obrigados a estudar Osteopatia porque chegaram a conclusão que pouco aprenderam na faculdade. Razão pela qualquer área de Desporto profissional tem Osteopata ao seu serviço. Há muitos fisioterapeutas a estudar Osteopatia, mas não conheço nenhum Osteopata a estudar fisioterapia porque será ????

    ResponderEliminar
  20. Quero referir uma questão que não foi abordada. Quem recorre pela 1º vez as medicinas alternativas é porque já foi a medica de família, já foi varias vezes as urgências hospitalares, especialistas de varias áreas com custos elevados para o paciente e apesar de ser tudo cientificamente comprovado, a paciente continua de igual forma. E só depois de passar sem sucesso pela "medicina cientificamente comprovada" é que em desespero recorre as medicinas não comprovadas. Isso deixa-me confuso, onde esta a eficácia da medicina que foi cientificamente provada? pois eu faço descontos para ter acesso a ela.

    ResponderEliminar
  21. Boa tarde aos intervenientes
    Sou o Secretário da Direção da AMENA Fernando Neves
    A AMENA ao enviar para o contexto jurídico a situação das TNCs em Portugal é de facto a única solução perante a gravidade de comportamentos em que campeia a falta de ética dos ditos Defensores da Ciência.
    Somos assim mesmo Educados, Com Responsabilidade e mesmo nada sectários ou eticamente “escondidos” entre os meandros de doutrina que terá sempre que ser comprovada.
    Parece que estes ditos das Ciências devidamente enquadradas, são esdrúxulos quanto à forma de encararem a vivência em Sociedade.
    Não há memória (ou existe mesmo?) quanto aos argumentos estafados aqui expressos quanto à capacidade de se provar ou não da eficácia das TNCs.
    Durante muitos Séculos estes “pensadores uni-unívocos” clamaram pela Liberdade e contra o “Crime” ocorrido há séculos em que estava em causa o heliocentrismo, ou na versão da “ciência oficialmente aceite” tudo devia girar em torno da Terra.
    Nesses tempos também houve condenações gravosas para uma outra forma de encarar a “verdade”.
    Não há Verdade Absoluta em Ciência, bastaria este paradigma para tonar este tipo de fundamentalistas mais moderados quanto às pseudoanálises que aqui produzem.
    Parâmetros e Ética são os Fundamentos de Uma Democracia em que um dos pilares Fundamentais está na esfera Jurídica.
    Será que estes Iluminados das Ciências NUNCA procederam ao recurso à Justiça para defenderem os seus Direitos?
    Ou mesmo isso, nos querem negar?
    Elementar a resposta e certamente existirá pela positiva.
    Uma das vertentes a ser utilizada DEPOIS dos DIREITOS Consagrados para as TNCs virá certamente da área das Matemáticas como forma de Validação das TNCs.
    Até lá tudo o que estes “pseudo” defendem deve ser encarado como uma vã tentativa de denegrir o que há muito está consagrado pela eficácia.
    Comparar Bons Profissionais em qualquer área dos Saberes com “outros” não pode ser validado como base de um estudo comparativo minimamente sério.
    Resultados falam por si e por isso mesmo devem ser corretamente equacionados sem dogmas nem pré conceções absurdas baseadas em suposições de certezas.
    Atentamente
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  22. DE : Fernando Neves
    Interessante este "ESTUDO SÉRIO" com Homeopáticos em animais.
    Portanto sem serem afectados pelo famoso efeito Placebo.
    Isto em 1999 claro no Brasil.
    Para a recuperação das feridas osseas provocadas por extrações dentárias
    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-06631999000200013&lng=pt&nrm=iso

    ResponderEliminar
  23. Sou médico, com um mestrado em Terapia Neural pela Universidade de Barcelona, tenho a Competência em Acupunctura pela Ordem dos Médicos e tenho formação em homeopatia, osteopatia, quiropraxia, entre outras coisas. O facto de certos tratamentos funcionarem com animais não implica que não tenham a ver com o efeito placebo, pois sabemos que os animais reagem ao psiquismo dos seus donos (veja-se a série de "O Encantador de Cães", tal como os bébés humanos reagem ao psiquismo das suas mães.
    O efeito placebo não atua somente sobre sintomas (que são subjetivos), mas também sobre coisas objetivas e permite curar mesmo, não apenas fazer com que nos sintamos curados. Se hipnotizarmos uma pessoa e lhe fizermos crer que um lápis é um cigarro aceso e o encostarmos à sua pele, esta faz uma lesão de queimadura de 2º grau. Se uma pessoa tiver uma verruga vírica, que é um tumor benigno provocado por um vírus, objetivamente comprovado, acreditar que o S. Bento da Porta Aberta ou qualquer outra abordagem que atue meramente por efeito sugestão lhe vai tirar a verruga, esta desaparece muito rapidamente. Por isso, não se confunda efeito placebo com engano da mente, que passa a avaliar mal a real situação. E o efeito placebo funciona mesmo que a pessoa saiba que está a tomar um placebo.

    ResponderEliminar
  24. A propósito a medicina chinesa existe á mais de 5000 anos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom para a Medicina chinesa. Os cães existem há mais de 10 000 anos, e os chineses alimentam-se desse animal. O que é que o tempo tem a ver com isto?

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.