quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Anedotas de judeus que o meu pai me contou

Três anedotas do livro de A. Rotenberg “Anedotas de judeus que o meu pai me contou”, Esfera do Caos, 2008.

O valor de uma mulher

– Quanto darias pela minha mulher? – pergunta Moisés a Jacob.
– Pela tua mulher? Nada.
– É tua.

A Deus o que é de Deus

Um rabino, um pastor protestante e um padre católico, reúnem-se ecumenicamente, seguindo uma tradição local. Falam de Deus, dos seus paroquianos e da difícil tarefa que se propuseram na terra.
Comentam também a sua vida quotidiana.
– O que fazer com as contribuições dos fiéis?
– Eu – diz o padre –, resolvi o assunto desta forma: traço um círculo no chão, pego no dinheiro das esmolas e atiro-o para o círculo. O que fica dentro do círculo é para Deus, o que fica de fora, para as minhas necessidades.
– Eu – acrescenta o pastor protestante – faço algo semelhante. Traço um risco no chão e atiro o dinheiro. O que for para além do sinal é para Deus; o que não for, é para mim. E você, rabino?
– Eu? Eu resolvo directamente com Deus. Junto todo o dinheiro e atiro-o em direcção ao céu. O que Deus quer, guarda-o; o que não quer, deixa cair ao chão e fica para mim.


Alguns filhos de Deus têm asas

Durante a Grande Guerra, os soldados russos lutam ferozmente nas suas trincheiras contra o inimigo. De pé, com a espingarda sempre em actividade, procuram um alvo na trincheira que está a uma curta distância, em frente deles.
O sargento passeia-se satisfeito com o patriotismo e a lealdade dos seus subordinados, até que de repente descobre que Moisés, o único soldado judeu do batalhão, aponta a espingarda para cima e dirige para lá as balas.
– Imbecil – grita-lhe –, tens de atirar em frente.
– Como em frente? Não vê que em frente há homens?

3 comentários:

  1. Fantástico Carlos, adorei! Faz tempo q não leio anedotas, obrigada , hj vc me fez rir bastante, hehehheheehh

    ResponderEliminar
  2. O povo judaico tem em comum com os alentejanos essa coisa extraordinária de se rir em primeiro lugar de si próprio. Desse humor, há duas anedotas que fazem as minhas delícias:

    Dois judeus passageiros do Titanic percebem que o navio vai afundar-se. Um deles chora. O outro pergunta-lhe:
    - Porque choras?
    - Porque choro?! Então tu não vês que estamos a ir ao fundo?
    Resposta pronta do primeiro:
    - E então, o barco é teu?

    Qual a diferença entre uma mãe italiana e uma mãe judia? A mãe italiana diz ao filho:
    - Se não comes a sopa, mato-te!
    A mãe judia diz:
    - Se não comes a sopa, mato-me!

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, está esgotadíssimo o livro de Pièrre Daninos «O Humor à Volta do Mundo», que nos revela o que é que faz - e não faz... - rir os diversos povos.

    P. ex.: Pensamos que 'anedotas de sogras' são universais, mas isso está longe de ser verdade.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.