terça-feira, 27 de dezembro de 2022

O FINITO E O INFINITO

Alguma vez terá nascido um deus?
Preocupado com este planeta,
uma pequena poeira nos céus?
Um deus bem equipado com profeta?

Na imensidão deste universo,
um imenso deus todo poderoso
preocupar-se-ia, em prosa ou verso,
com este pobre planeta pomposo?

O infinito olhará o finito?
Que sentido faz o imenso universo
preocupar-se com terreno grito?

Não será o infinito adverso
às pretensões daquilo que é pequeno,
tonto, obsceno e cheio de veneno?

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

"Nós, professores, já não lemos. Nem sequer estudamos."

O artigo que aqui traduzimos, assinado por Diego Garrocho, não traz nada de novo, mas o que traz é importante, fundamental, precisa de ser r...