sábado, 3 de dezembro de 2022

Agradecimento

Queria deixar aqui a minha palavra de agradecimento a um leitor que comentou, ainda que de forma anónima, um poema que escrevi, intitulado Mesmo com o Corpo Alquebrado, da seguinte forma: Arrojada a intrepidez na qual acaba por se assenhorar em relação ao público-alvo desta maledicência. É inadmissível que um professor seja perseguido, há cerca de quatro meses, de forma maquiavélica, numa escola pública deste país. Na hora certa, o mesmo professor contará toda a verdade. Não se trata aqui de procurar denegrir somente o lado profissional de um professor, mas também o seu lado pessoal e humano, bem como arruinar a sua saúde. Felizmente, nessa escola, muitas pessoas começam a ver a realidade com olhos de ver. Um dos melhores filmes que vi, mais recentemente, foi A Caça, com Mads Mikkelsen. Nunca me passara pela cabeça, numa colina belíssima, ver esse professor passar por algo semelhante, embora por razões diferentes.

2 comentários:

  1. Gozo por características físicas irrelevantes, exclusão social propositada, bocas pequeninas e ordinárias durante os almoços (impossível permanecer), informações sobre a vida pessoal obtidas clandestinamente (escutas, com toda a certeza), difamações sem qualquer fundamento, intrusões em emails, críticas por tudo e por nada, caricaturas, nunca receber convites para o exercício de cargos, apesar de excelentes notas profissionais e académicas por desconsideração pessoal baseada em nada... Uma bandalheira com todos a ver...
    O ser humano é maravilhoso!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

MAIS RECHERCHE DE MAIS TEMPS PERDU

(NUM DIA DE PÁSCOA, EM MOÇAMBIQUE)  Quando era Páscoa, em Moçambique,  eu lia NOTRE DAME DE PARIS  e achava a matemática chique: que belos e...