quarta-feira, 14 de dezembro de 2022

COMEÇAR A PERGUNTAR

Começa-se a sofrer muito cedo, com perguntas bizarras a roerem-nos por dentro… 
Esse sofrimento precoce merece um soneto!

Lá muito ao longe, o mar acabava
e, se o planeta era esférico,
queria dizer que o mar se entornava,
para lá do horizonte, homérico,

caindo todo, como uma cascata!
Assim, secretamente, eu pensava,
achando a geografia muito chata,
porque, coitada, não congeminava

em todas as coisas que eu ruminava!
Mas eu não tinha resposta pra tudo:
se, por outro lado, o mar se entornava,

para onde ia cair o seu conteúdo?
Dúvidas terríveis pra um miúdo,
metido a sério em coisas de estudo!

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

A ESCOLA PÚBLICA, 50 ANOS DEPOIS DA LIBERDADE, EM DEMOCRACIA

Escrevi, há dias, que a luta dos professores, numa intensidade nunca vista, com grande destaque no passado ano de 2023, trouxe ao de cima a ...