sábado, 10 de dezembro de 2022

"COSI FAN TUTTE". SONETO MOZARTIANAMENTE BREJEIRO

Mozart, o maior de todos os mágicos, 
dizia, sempre sem papas na língua, 
que os humanos são antropofágicos, 
mesmo, de amantes, havendo míngua. 

Elas são todas bastante iguais,
quando o desejo é o que mais ordena: 
acaba tudo com gritados “ais”, 
tanto faz ser loira ou morena.

Mesmo a mais sossegada donzela,
quando a pressão da panela é alta,
se inclina a perder a cautela

e, nela, logo tudo sobressalta!
Assim fazem todas, Mozart dizia, 
com língua não sofrendo atrofia! 

Eugénio Lisboa

No dia em que passa num dos nossos canais televisivos a ópera de Mozart COSI FAN TUTTE. 
N. B. : O autor deste soneto limita-se a parafrasear o criador da melhor música que jamais se produziu, sem, de modo nenhum, se comprometer com a abrangente filosofia dele sobre as mulheres. O “TUTTE” parece-lhe um grande exagero…

Sem comentários:

A ESCOLA PÚBLICA, 50 ANOS DEPOIS DA LIBERDADE, EM DEMOCRACIA

Escrevi, há dias, que a luta dos professores, numa intensidade nunca vista, com grande destaque no passado ano de 2023, trouxe ao de cima a ...