sábado, 26 de novembro de 2022

NADA DO QUE TENS NO CORAÇÃO TE PERTENCE

I

Nada do que tens no coração te pertence.

Mas há uma razão para aí permanecer

Além do tempo que já não te pertence.

Luz e palavra que ninguém pode exceder.

É aí que reside o amor: é outro rosto,

A doçura da palavra quase dita sem fôlego,

A melancolia que sucumbe num tímido sorriso.

Ninguém pode suceder a esse outro rosto.

Brilho vernal que nas águas escuras floresce.

Zumbido que acorda e me leva o coração.

II

Que poderei dizer do amor,

Se o coração me responder?

Ao coração tanto respondo

Que me ouve sem nada dizer.

Sem comentários:

A ESTUPIDEZ REVISITADA

A estupidez é a mercadoria mais bem distribuída deste mundo: ela veste-se de demagogia ou do que quer que seja de imundo. A estupidez é...