terça-feira, 4 de outubro de 2022

O GATO, ESSE DESCONHECIDO

Para a Otília, de quem é bom ser gato 
Há que tempos não faço um poema 
dedicado aos tão belos gatinhos!
Ora eles são mesmo o grande tema,
os domésticos e os dos caminhos.

Os domésticos e mesmo os vadios,
tudo são bichos de grande desenho:
são caprichosos mas não são frios,
donos de um esbelto desempenho!

Os gatinhos descobrem gestos novos
e inventam graças intrometidas. 
Insinuam-se entre gentes e povos

com caprichos e ideias atrevidas!
As patinhas despertas dos gatinhos
São hábeis e malandros cacetinhos!

Eugénio Lisboa

2 comentários:

  1. Eu
    tive um gato Morreu Fiquei só
    Eu

    (A vida são três linhas. Não importa o tamanho da segunda).

    ResponderEliminar
  2. A verdade é a quarta linha.
    _________________________

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

"A VOSSA VOZ CONTA" PORQUE ELA É A NOSSA VOZ, QUE QUEREMOS QUE SEJA VOSSA

Saiu no  Expresso   online de ontem, sábado, um texto muito esclarecedor do jornalista Rui Duarte Silva sobre as terceiras Jornadas da Juven...