segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"Agora só releio"

Na sequência do texto anterior, transvrevo uma outra passagem do livro de Cristóvão de Aguiar, Com Paulo Quintela à Mesa da Tertúlia, onde se conta uma conversa entre Vitorino Nemésio (na imagem), quando era estudante da Universidade de Coimbra e Eugénio de Castro, seu professor.

“No último ano do curso Nemésio transferiu-se para a Faculdade de Letras de Lisboa. Isso deveu-se apenas a atritos com o poeta Eugénio de Castro, professor de Literatura Francesa, que não o classificava com as notas que Nemésio julgava merecer. A gota de água que fez transbordar o copo da paciência do autor de Oaristos terá sido uma conversa que o aluno manteve em sua própria casa. Já Nemésio andava nesse tempo a par das novas correntes literárias francesas. Lia tudo o que lhe vinha à mão sobre o assunto. A fim de mostrar ao professor de Literatura Francesa as suas habilidades perguntava-lhe, insistentemente, no decorrer da conversa: «O senhor Doutor já leu este livro?», e debitava o título e o nome do autor, assim como o que nele se tratava. A pergunta repetiu-se variadíssimas vezes ao longo da conversa e com outras tantas obras literárias. Eugénio de Castro, visivelmente agastado com a insistência insolente e do ar de sabatina que estava imprimindo ao diálogo, interrompeu-o e respondeu-lhe: «Saiba, meu caro senhor, eu já li o que tinha a ler, agora só releio», e assim arrumou o assunto e a conversa.”

Referência completa: Aguiar, C. (2005). Com Paulo Quintela à Mesa da Tertúlia. No centenário do seu nascimento. Coimbra: Imprensa da Universidade, página 33.

5 comentários:

  1. Sabe que Cristóvão de Aguiar escreve num blog?
    Ver: http://aguiarconraria.blogsome.com/category/ca/

    ResponderEliminar
  2. "...onde se conta uma conversa entre Vitorino Nemésio, quando era estudante da Universidade de Coimbra e Eugénio de Castro (na imagem), seu professor."

    Creio que a fotografia no artigo é de Vitorino Nemésio.
    Com os melhores cumprimentos,

    Carlos Artur

    ResponderEliminar
  3. BOM LIVRO, GRANDE ESCRITOR.
    NÃO SE ESQUEÇA QUE AGUIAR TAMBÉM É GRANDE.
    GRANDE DEMAIS PARA O SEU TEMPO, TAL COMO AS PERSONALIDADES QUE RELATA NESTE LIVRO...

    ResponderEliminar
  4. Estimado Carlos Artur
    Muito agradeço o seu reparo. A fotografia é evidentemente de Vitorino Nemésio. Uma hesitação quando à fotografia que haveria de ilustrar o texto (de Nemésio ou de Eugénio de Castro) desencadeou este erro.
    Cumprimentos,
    Helena Damião

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.