terça-feira, 13 de setembro de 2022


Corro a janela para ver o rio

Ou então para ouvir melhor o vento.

Para ver um prédio não me retiro

Da página virgem nem do meu assento.

 

O que me traz um prédio ao relento?

Não é um verso. Tão só um calafrio.

Traz-me num drapejo o sentimento

De aqui me sentir mais só do que o rio.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

Que sei eu do teu sorriso, Do teu sorriso tão sincero?! Que sei eu do que quero, Do que quero e preciso?! Com desespero, queria Qu...