quinta-feira, 1 de setembro de 2022

MORITURI TE SALUTANT

Nem o sol nem a morte se encaram
de frente, disse-o um moralista.
Quando todas as esperanças se apagaram
e nada já ofusca a nossa vista,

o sol e a morte não amedrontam
e os que vão morrer vos saúdam:
há muito tempo – os anos não se contam - ,
dizendo: “Morituri te salutant”,

os gladiadores olhavam a morte
de frente e caíam, olhando o sol.
Havia que dar ao morrer um porte

que desse, a gente de um pequeno escol,
a arte de morrer bem levantado,
mesmo sendo o gesto desperdiçado. 

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

Que sei eu do teu sorriso, Do teu sorriso tão sincero?! Que sei eu do que quero, Do que quero e preciso?! Com desespero, queria Qu...