sexta-feira, 22 de junho de 2007

AS SOMBRAS DO TEMPO


Inaugurou no passado dia 21 de Junho (dia do solstício de Verão) no Museu do Hospital e das Caldas da Rainha a exposição "As Sombras do Tempo". Sobre essa exposição inclui-se em baixo informação formecida pela Universidade de Lisboa. Mais informação pode ser vista aqui.

"O espaço e o tempo são formas de pensamento, não condições sob as quais vivamos"
Albert Einstein

As sombras têm despertado no Homem, ao longo dos tempos, os mais contrários sentimentos. Ao atravessar diariamente o céu, o Sol - até recentemente, de longe, a nossa principal fonte de luz, e, necessariamente, também o principal causador de sombras - exibe um comportamento cíclico anual que demanda ser explicado. Entre os muitos dispositivos projectados através dos milénios para medir o tempo encontram-se os Relógios de Sol. Relógios de Sol que se juntam com a contagem do tempo numa simbiose matemática intemporal, entrelaçada com alguma da assombrosa beleza do nosso Universo (esse, sim, como temos vindo a descobrir, tão cheio de sombras).

A exposição itinerante "As Sombras do Tempo", dinamizada pelo Projecto Matemática em Acção do Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais da Universidade de Lisboa, com o apoio da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, do Departamento de Matemática dessa Universidade e da Sociedade Portuguesa de Matemática, associa a Matemática à beleza arquitectónica dos Relógios de Sol e dos monumentos onde se integram. É o resultado de trabalho referente à interrelação entre a Astronomia e a Matemática, e que foi efectuado no âmbito do Estágio Pedagógico da Licenciatura em Ensino da Matemática, envolvendo a Escola Secundária António Arroio e o referido Departamento.

Esta exposição, que pretende contribuir para a divulgação de projectos de interacção entre os vários níveis de ensino tão necessários para fomentar a comunicação e divulgação das ciências matemáticas, convida-o a participar numa viagem através do tempo e a compartilhar do encantamento associado aos Relógios de Sol, que se acumulou ao longo de muitos séculos de história do nosso país.

2 comentários:

  1. Absolutamente fantástico esse pensamento de Einstein, eivado do mais puro idealismo monista... quer ele o soubesse ou não! :)

    De facto, tudo é pensamento ou consciência, foi do intangível e imaterial que tudo surgiu, veremos quanto tempo mais a ciência permanece cega, surda e muda perante uma realidade filosófica tão evidente e proclamada há já milhares de anos...

    But we're getting there... slowly but fair! :)

    ResponderEliminar
  2. Martinho de Mendonça de Pina e Proença dixit: "Espaço... significa somente a ordem dos corpos coexistentes, e tempo, a ordem das coisas sucessivas" (1734).

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.