sexta-feira, 4 de julho de 2014

UNIDADE DE ESTATÍSTICA TAMBÉM ELIMINADA

O Ano Internacional da Estatística em 2013 foi comemorado em Portugal e acaba de ser anunciado que  um dos mais importantes prémios internacionais de filatelia, o Grande Prémio Asiago de Arte Filatélica, foi atribuído a um selo dos CTT sobre a Estatística (em cima). Parabéns a João Machado, o designer autor do selo, e parabéns a Raul Moreira, o grande responsável pela filatelia nos CTT.

Mas como é que está a ser tratada entre nós a Estatística, uma área que noutra encarnação o matemático Nuno Crato ajudou a promover?  Mal, muito mal. Não havia peritos em estatística a avaliar a estatística na segunda fase. Na recente avaliação da FCT, o CEAUL - Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa, fundado em 1975 ( http://www.ceaul.fc.ul.pt/ ) foi mais uma vítima dos "cortes cegos" efectuados pela gadanha da FCT. O pouco exacto painel das Ciências Exactas resolveu, sem apresentar qualquer justificação racional e coerente, atribuir aquele Centro uma nota de 14, contrastando com as notas dos 3 peritos na área da Estatística, que lhe deram consistentemente  18, 17 r 16, não poupando  elogios para os sucessos alcançados por essa unidade de I&D. A média - não é preciso saber muita estatística - era de 17.  E a nota ficou 3 valores abaixo da médis dos peritos!

A súmula do "trabalho" dos avaliadores do painel está contida nesta sua "bonita" frase:

“In comparing this Unit with others the panel felt the Unit was operating at a national level of excellence but not at the higher level of international excellence. Therefore in (harsh) competition with other units CEAUL had not sufficient merit to be included in the second stage.”

Os índices bibliométricos não são com certeza tudo, mas neste caso foram ignorados por completo (aliás a FCT impediu a todos os avaliados o conhecimento atempado da avaliação bibliométrica, facto que só por si traduz a sua má fé no processo).  O que se passou neste caso como porventura se terá passado noutros? Apenas um devaneio, um capricho, um sentimento! Afinal o 14 resultou de um “sentimento” dos painelistas desconhecedores da área da estatística que tinham de analisar. Pô-los a avaliar Estatística seria como pôr-me a mim, que sou físico, a avaliar Cirurgia Cardiovascular (não só não sei nada como nunca virei a aprender o mínimo!). 

Quer dizer, tudo indica que havia que respeitar umas quotas escondidas de todos. Se houvesse, por hipótese, 10 centros excelentes no país em Matemática (incluindo nela a Estatística, o que se pode discutir) teriam de ser extintos 3 porque um iluminado  tinha decidido que só  havia lugar a um número mágico de 7.  Os pareceres dos peritos da especialidade no seu relatório de avaliação pouco poderia importar, em face desse esotérico número.

Compare-se o sentimento vago e indefinidos com as citações, justificadas, dos 3 avaliadores iniciais especialistas na nossa área:

“The coordinators of the project are among the top people in statistics, measured on a world scale. I have the fullest confidence that the project will offer substantial moral support to the entire country that is ready to take up future responsibilities worldwide.”

“Overall the work that has been performed in the previous period and which has been reported is both of high quality and compromises an impressive body of work in terms of quantity and the breadth of the subjects in which statistical methodology has been applied”.

“Overall this is generally excellent unit with international level expertise in some areas evidenced by quality of journals as well as such things as associate editorship of some international journals”

“Notwithstanding its geographical position at the outskirts of Europe, the Portuguese statisticians have worked hard to offer their significant contributions to statistics and put their country on the statistical map of the world.”

“The bibliometric data is generally very good to excellent. The citations per FTE are 3rd in the group and the share of top cited publications and of collaborators are 2nd in the group The h-index is also very good(upper group) while the field weighted citation impact is also good. …. I would focus on journal quality which is generally very good to excellent.”

“The choice of extreme value analsysis (EVA) as the first thematic theme is more than defendable... It would be a shame if Portugal looses its eminent position within EVA, an area that owes so much to the group.” 

Pelo contrário, o actual painel não analisou nada. Não sabe sequer porventura o que é a EVA. Teve um sentimento. They felt! Revelaram, além do mais, preconceito (para não dizer mesmo ignorância), ao colocar a estatística "abaixo de cão" no panorama das ciências. Chegaram ao ponto de deixarem escrito um disparate como este:

"In terms of multi-disciplinarity, the expertise of the Unit is inevitably limited, for example applications are mainly in environmental and health sciences. The proposal does not put major emphasis on links with industry or new particularly internationalized activities.”

Inevitably limited! Como é óbvio, uma unidade não pode cobrir todas as aplicações da sua disciplina, designadamente quando está é absolutamente transversal como a Estatística. Escolhe domínios onde os seus investigadores melhor podem ser úteis e onde melhor podem mostrar o seu expertise. Os avaliadores é que são inevitavelmente limitados, se os julgarmos por esta sua apreciação. A FCT, se acaso tivesse lido, teria imediatamente chamado outro painel mais qualificado.

Falei com uma investigadora deste centro agora condenado à morte, que fez o favor de, a meu pedido, me passar alguma informação. Cito-a da conversa que tive com ela: 

"Lamentavelmente, e se a situação não for invertida pela FCT, chega assim ao fim a vida o nosso quadragenário CEAUL, e com ele o “calvário de inferno” da submissão de relatórios online na FCT com caracteres limitados e outras tantas bur(r)ocracias associadas por exemplo à parte informática da FCT, como aconteceu neste processo todo, e revelado aos jornais pelo Filipe Duarte Santos."

3 comentários:

  1. Carlos Daniel Paulino5 de julho de 2014 às 00:36

    Sobre este artigo de opinião, que considero bem oportuno, quero apenas introduzir umas correções factuais sobre a iniciativa de comemoração do AIE 2013 com uma emissão de selos alusivos ao dominio da Estatística que, neste país, ainda não lhe foi lamentavelmente reconhecido o estatuto de área científica própria dentro das Ciências Exatas.
    Primeiro, tal iniciativa dos CTT teve como parceiros a Sociedade Portuguesa de Estatística (SPE), através da sua Direção atual a que tenho a honra de presidir, e o referido desenhista, já com uma significativa e bem-sucedida colaboração com os CTT.
    Por conseguinte, estão de parabéns os CTT na pessoa do Dr. Raul Moreira, o supracitado desenhista Prof. João Machado e a Direção da SPE, que manteve uma colaboração estreita com os seus parceiros desta iniciativa no apoio à conceção dos selos.

    Segundo, a emissão alusiva ao AIE compõe-se de uma série de 3 selos (que até seria interessante divulgar aqui) e, tanto quanto sei pela informação emanada dos CTT, foi a esta série (e não a um único selo) que foi outorgado o referido prémio internacional de filatelia.

    Agradecendo a divulgação desta breve nota, subscrevo-me com as cordiais saudações

    Carlos Daniel Paulino

    (Presidente da SPE)

    ResponderEliminar
  2. Caro Daniel Paulino
    Parabéns também a si e à SPE.
    Divulgarei aqui o resto da série. Mas parece-me que foi só um o selo premiado.
    Recebi este comunicado dos CTT:

    “Os CTT foram hoje distinguidos com um dos mais importantes prémios internacionais de filatelia, o Grande Prémio Asiago de Arte Filatélica. Esta distinção, na categoria de Turismo, premeia o selo de 0,36€ da emissão “Ano Internacional da Estatística”, de 2013, da autoria do Professor João Machado.

    "Os CTT, através do seu departamento de filatelia, todos os anos procuram divulgar nos seus selos motivos de elevado interesse nacional ou internacional, homenagear personalidades ou comemorar factos históricos.

    Criados em 1970, estes Prémios ASIAGO também conhecidos como os “Óscares” da Filatelia, são dos mais conceituados do Mundo e são outorgados com o alto patrocínio do Presidente da República de Itália.

    É sexta vez que Portugal, através dos CTT, recebe este reconhecimento internacional, tendo sido distinguido nos anos de 1978, 1992, 2005, 2007, 2010 e agora em 2013.

    Neste ano, a cerimónia de entrega dos prémios vai desenrolar-se a 6 de Julho, na vila de Asiago, dando reconhecimento ao mais alto grau de desenvolvimento artístico dos selos emitidos em 2013.

    Em baixo poderá encontrar o link de acesso ao selo premiado:

    https://dl.dropboxusercontent.com/u/92033096/Emiss%C3%B5es_2013/Estat%C3%ADstica/NET/NET_Estatistica036.jpg "

    Um abraço
    Carlos Fiolhais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos Daniel Paulino15 de julho de 2014 às 15:36

      Caro Carlos Fiolhais:

      Ainda a propósito dos selos dos CTT comemorando o Ano Internacional de Estatística, veja a notícia (ainda que incompleta) colocada pelo Diretor de Filatelia em http://www.worldofstatistics.org/files/2014/07/July-14-2014.pdf

      Um abraço do

      Carlos Daniel Paulino

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.