terça-feira, 8 de julho de 2014

Jules Supervielle: Gravitations

Jules Supervielle foi um poeta e romancista franco-uruguaio vinculado ao surrealismo.


Gravitações é um livro com múltiplas referências aos corpos celestes. É também o título de um livro do saudoso A. Ramos Rosa.
Susto
A Corpus Barga
O olhar do astrônomo
Excita ao fundo da noite
Sob a folhagem dos mundos

Uma estrela em seu ninho,
Uma estrela descoberta

Da qual vejo passar a cabeça,

Após este olhar amplo
E efémero de mortal,

Que começa a cantar

A canção dos espaços negros
Devorando as luzes

No magnífico abismo.
Filhos da prata, filhos da platina
Mesclando tanto o infinito

Que a razão da retina

Suscita um ruído baixo.
Tudo o que morreu sobre a terra

Ronda a vida ao longe
Indagando a escuridão

Onde cresce o esquecimento
E as estrelas cegas

Cujas órbitas estão no espaço
Fixas como a esperança

E como o desespero.

Os peixes purpúreos
As cotovias e os lobos

Mantêm sua vontade pronta
A descer até nós;

Os leopardos, os pumas
E os tigres que se movem

No meio da selva
Giram como numa gaiola;

De outros animais fabulosos,
A alma cheia de perigos,

No mundo das nebulosas
Misturam seus desejos frementes.
Sob a onda universal
Que se eleva e que se afunda

O ponto zénite balança
Tal como o mirante de um mastro;

O universo esconde a Terra
Na força do seu coração

Onde cessam todos os rumores
Das angústias planetárias,

Mas a lua aproxima-se,
Para adivinhar os nossos pensamentos,

E descobre areia e escolhos
E atrai a si as nossas marés.

Nota: Corpus Barga foi um poeta espanhol.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.