sábado, 22 de outubro de 2011

Obras da exposição "Amato Lusitano e a Renascença Médica" 1


Informação recebida da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra relativa às obras expostas na Biblioteca Joanina no quadro da exposição sobre Amato Lusitano:

0- VESALIUS, Andreas, 1514-1564
- [Andreae Vesalii Bruxellensis, Scholae Medicorum Patavinae Professoris, De humani corporis fabrica libri septem]. [Basileae : ex officina Ioannis Oporini, 1543]. 4 A-21-141

1- João Rodrigues de Castelo Branco, Amato Lusitano (1511-1568)

ORTELIUS, Abraham, 1527-1598
- Theatrum Orbis Terrarum opus nunc denuo ab ipso auctore recognitu, multisque locis castigatum & quamplurimis novis tabulis atque commentariis auctum. [Antuerpiae : auctoris aere & cura impressum absolutumque apud Aegid. Coppenium Diesth, 1570]. J.F.-68-4-8

AMATO LUSITANO, pseud., 1511-1568
- In Dioscoridis Anazarbei De medica materia libros quinque, Amati Lusitani doctoris medici ac philosophi celeberrimi enarrationes eruditissimae. Accesserunt huic operi praeter correctiones Lemmatum, etiam adnotationes R. Constantini, necnon simplicium picturae ex Leonharto Fuchsio, Jacobo Dalechampio, atque aliis. Lugduni : apud Theobaldum Paganum : [excudebat vidua Balthazar Arnolleti], 1558. R-40-15

Amato tem 25 anos quando escreve a sua 1.ª obra sobre botânica: Index Dioscorides eiusdem Historiales campi, cum expositione Joannis Roderici Castelli albi Lusitani , 1536. Ele foi, no seu tempo, um dos primeiros comentadores de Dioscórides, o grande farmacologista grego, e dos primeiros a olhar, com olhar de botânico e de médico, os “simples” e as drogas luso-indianas. A obra Amati Lusitani In Dioscoridis de materia medica libros quinque enarrationes, conhecida por Enarrationes, publicada em Veneza em 1553 e 1557, saiu sem ilustrações. Seguiram-se as edições de Strasbourg (1554) e esta de Lyon (1558), que inclui as gravuras de Leonard Fucsh seleccionadas por Jacques Dalechamps e 30 gravuras acrescentadas no fim pelo impressor. A obra, várias vezes impressa quando o autor vivia em Ancona, Pesaro, Ragusa e Tessalónica, nunca mais será republicada, para o que muito contribuiu a denúncia por Mattioli das origens judaicas de Amato.

- [Amati Lusitani medici physici praestantissimi Curationum medicinalium, centuriae duae tertia et quarta. Cum indice omnium curationum & rerum memorabilium quae ipsis centurijs continentur]. [Lugduni : apud Gulielmum Rovillium, sub scuto Veneto, 1565]. 2-4-1-21

Ambrósio Nicandro, humanista espanhol, mestre em Florença e Ancona, é o autor do prefácio da 4.ª Centúria. Nela exalta os trabalhos de Amato, “afeiçoado já ao autor pela leitura dos seus escritos, mais se cativou do médico ao ver o quanto era douto e virtuoso, e tão amável que de nome e de facto se chamava Amato”, enaltecendo-lhe as virtudes “a par do seu desprendimento em relação aos bens materiais o seu imenso saber”.

- Curationum medicinalium Amati Lusitani Medici Phisici praestantissimi Centuria septima Thessalonice curationes habitas continens, varia multiplicique doctrina referta. Venetiis : apud Vincentium Valgrisium, 1566. 2-19-1-20

Esta edição, publicada em vida do autor, contém a versão original do famoso Juramento, que foi censurada: “Juro perante Deus imortal e pelos seus dez santíssimos mandamentos, dados no monte Sinai ao povo hebreu, por intermédio de Moisés, após o cativeiro no Egipto, que na minha clínica nada tive mais a peito do que promover que a fé inteira das coisas chegasse ao conhecimento dos vindouros”.

- Amati Lusitani Doctoris Medici praestantissimi Curationum medicinalium centuriae septem, varia multiplicique rerum cognitione refert[a]e & in hac ultima editione recognitae & valde correct[a]e... Accesserunt duo novi indices, unus curationum medicinalium secundum morbos partes corpori humani infestantes, alter rerum memorabilium copiosissimus & diligentissimus. Burdigalae : ex typographia Gilberti Vernoy, 1620. 4 A-27-20-20, 4 A-2-8-8

As sete Centúrias, a sua mais importante obra médica, foram escritas ao longo de 20 anos nos vários sítios onde viveu. Iniciadas em Ferrara em 1541 só seriam terminadas em Salónica em 1561. A 1.ª Centúria foi publicada em edição princeps em Florença em 1551. Cada Centúria descreve cem casos clínicos, indicando o modo de tratamento e os resultados obtidos.
A obra, documento da prática clínica do médico português, teve 51 edições completas ou parciais (1551-1654) em muitos prelos da Europa, o que mostra o seu enorme valor. Esta edição (póstuma) apresenta a versão cristianizada do Juramento, em que o impressor fez cortes significativos, incluindo à não-discriminação do credo dos pacientes: “para tratar os doentes jamais curei de saber se eram hebreus, cristãos ou sequazes da lei maometana”.

- Dialogo en el qual se trata de las heridas de cabeça con el casco descubierto, donde se disputa si es mejor curar semejantes heridas con medicamentos blandos, ò con secos, compuesto por el Doctor Amato Lusitano ... ; traduzido de latin en romance castellano por Geronimo de Virues Doctor en Medicina Valenciano. En Çaragoça : por Iuan de Ybar, 1651. 3-18-1-28

Amato, nos comentários à Cura 100 da 6.ª Centúria, usou um diálogo com os experientes cirurgiões Celetano e Vanuccio. A cura poderá basear-se no caso de Henrique II de França, ferido durante um torneio, pois a descrição é em tudo semelhante ao que se passou com aquele rei, que faleceu apesar dos esforços dos médicos. Este diálogo, traduzido do latim por Jerónimo Virués, foi publicado autonomamente.

2- Dioscórides e a botânica I

DIOSCORIDES PEDANIUS, de Anazarbos (ca 40—90 a.C.)
- P. Dioscoridae Pharmacorum simplicium, reiq[ue] medicae libri VIII : Io Ruellio interprete, una cum Herm. Barbari corolarijs, & Marc. Vergilii, in singula capita ce[n]suris, sive Annotationibus. Argentorato : apud Io. Schottum, 1529. R-53-3

O Index Dioscorides, saído em Antuérpia (1536) de Amato segue este modelo de um dos primeiros novos tratados de Matéria Médica editado por Otto Brunfels (1488-1534), traduzido por Jean de Ruel (1479?-1537), e comentado por Ermalao Barbaro (1454-1493) e Marcelo Virgilio (1464-1521).

- Pedanii Dioscoridis … De medicinali materia libri sex, Ioanne Rvellio Svessionensi interprete... Additis etiam annotationibus sive … De Medicinali materia … per Gualtherum Riuium. Francoforti : apud Chr. Egenolphum, 1549. R-32-7

- Pedacio Dioscorides Anazarbeo, Acerca de la materia medicinal, y de los venenos mortiferos.Traduzidos de lengua grega, en la vulgar castellana, y illustrado com claras y substanciales annotaciones...por el doctor Andres de Laguna... En Salamanca : por Cornelio Bonardo, 1586. S.P.-V-4-2

A 1.ª edição traduzida para castelhano é de Antuérpia (1555), onde Laguna usou, como nas seguintes, as gravuras da edição de Veneza (1554) dos Commentarii de Pietro Andrea Mattioli. Na Advertência, Laguna expõe o cuidado usado na preparação da edição: “De mas (…) con los apellidos de aquellas plantas, que suelen hallarse en la Europa, dimos juntamente sus figuras, y proprias formas, para que por ellas pudiesse conocer cada uno las vivas, quando las tuuiesse delante”.

3- Dioscórides e a botânica II

MATTIOLI, Pietro Andrea, 1500-1577
- Kreutterbuch dess hochgelerten unnd weitberuhmten Herrn D. Petri Andreae Matthioli : jetzt widerumb mit viel schonen neuven Figuren, auch nutzlichen Artzeneyen, und andern guten Stucken gemehret, und verfertigt durch Joachimum Camerarium... Sampt dreyen wolgeordneten nutzlichen Registern, der kreutter Lateinische und Teutsche Namen... innhaltendt. Gedrucht zu Franckfort am Mayn : bey Johan Feyrabendt in verlegung Peter Fischers und Heinrich Dacken Erben, 1590. 2-12-5

- Petri Andreae Matthioli ... Opera quae extant omnia. Basileae : sumptibus Joannis Konig, 1674. 4-2-12-15

- Petri Andreae Matthioli Senensis … Apologia adversus Amathum Lusitanum cum censura in eiusdem enarrationes. Basileae : sumptibus Joannis Konig, 1674. 4-2-12-15

Em 1558, a 2.ª edição latina da obra de Mattioli contém pela primeira vez a sua defesa contra as acusações de Amato, Apologia adversus Amathum Lusitanum, que acompanharia as edições latinas até 1563. Mattioli reagiu violentamente aos comentários do português, tendo a controvérsia degenerado em violento conflito. Mattioli acusa Amato de plágio (porque usa as gravuras de Fuchs de De historia stirpium commentarii insignes) e denuncia as suas origens judaicas. A partir daí, Amato tem em Mattioli um acérrimo inimigo e é perseguido pela Inquisição. Parte apressadamente de Ancona, refugia-se em Salónica, mas promete responder às acusações, aludindo a isso na 5.ª Centúria (Salónica, 1561). Nunca se defenderá devidamente. Deixa, porém, a sua defesa implícita no Juramento:

Sempre tive diante dos olhos, para os imitar, os exemplos de Hipócrates e de Galeno, os pais da medicina, não desprezando as obras monumentais de alguns outros excelentes mestres na arte medica; os meus livros de medicina nunca os publiquei com outra ambição que não fosse contribuir de qualquer modo para a saúde da humanidade. Se o consegui, deixo a resposta ao julgamento dos outros”.

BAUHIN, Johann, 1541-1612
- Historia plantarum universalis, nova, et absolutissima cum consensu et dissensu circa eas. Auctoribus Ioh. Bauhino, et Ioh. Hen. Cherlero, quam recensuit & auxit Dominicus Chabraeus, iuris verò publici fecit, Franciscus Lud. a Graffenried ; continens descriptiones stirpium exactus, figuras novas. Ebroduni [Yverdon] : [Typographia caldoriana], 1650. 2-23-12-1

Neste livro, entre os mais sábios da Medicina e da Botânica, incluindo Dióscorides, Plínio, Galeno e Fuchs, figura Amato Lusitano, representado num medalhão a par de Mattioli e Guillandinus, com a efígie coroada dos louros da glória científica. A legenda Dissentimus expressa a controvérsia entre Mattioli e Amato Lusitano “os que não se entenderam”.

4- Garcia da Orta e as plantas das Índias

ORTA, Garcia de, 1499?-1568
- Due libri dell'historia de i semplici, aromati, et altre cose che vengono portate dall'Indie Orientali pertinenti all'uso della medicina... Hora tutti tradotti dalle loro lingue nella nostra italiana da M. Annibale Briganti... In Venetia : Apresso Francesco Ziletti, 1582. R-74-41

Garcia de Orta e Amato Lusitano, médicos e botânicos de origem portuguesa, os dois de origem judaica e os dois formados em Salamanca, tiveram um papel relevante na ciência da sua época. Apresentam nas suas obras uma atitude rigorosa tanto no que se refere à medicina como à descrição dos “simples”. Nos Colóquios dos simples, e drogas e coisas medicinais da Índia (aqui em tradução italiana), Garcia de Orta, o botânico que nos revelou um mundo desconhecido, ilustra os “simples” e as drogas das Índias Orientais. Amato, embora vivendo sempre na Europa, esclareceu muitas questões da matéria médica oriental, que foram tratados nos Colóquios, examinando os produtos oriundos do Oriente com uso terapêutico. Ambos debatem a questão do cinamomo. No Colóquio XV sobre a Canela Orta afirma que cinamomo, cássia e canela são a mesma coisa “tudo he uma cousa”. Amato concluiu que há diversas qualidades, diferenciando a canela de Ceilão da cássia da China.

- Aromatum, et simplicium aliquot medicamentorum apud Indos nascentium historia primùm quidem lusitanica lingua [dialogikos] conscripta à D. Garçia ab Horto ... ; Deinde latino sermone in epitomen contracta, & iconibus ad viuum expressis, locupletioribiusq[ue] annotatiunculis illustrata à Carolo Clusio atrebate. Quarta editio, castigatior, & aliquot locis auctior. Antuerpiae : ex Officina Plantiniana : apud Viduam, & Ioannem Moretum, 1593. RB-33-13, 3-19-1-23

GALVÃO, António, 1490-1557
- Tratado que compôs o nobre & notauel capitão Antonio Galuão, dos diuersos & desvayrados caminhos por onde nos tempos passados a pimenta & especearia veyo da India às nossas partes & assi de todos os descobrimentos antigos & modernos que são feitos até a era de mil & quinhentos & cincoenta ... [Lisboa], Rua de Sa[m] Mamede : em casa de Ioam da Barreira, 15 Dezembro 1563. R-14-4

No mesmo ano da publicação dos Colóquios de Garcia de Orta, imprimia João da Barreira o Tratado de António Galvão, onde há alusões à pimenta e outras especiarias.

5- Comentários aos textos médicos antigos e medievais

HIPÓCRATES, ca. 460-ca. 375 a.C.
- Hippocratis Coi medicorum omnium longe principis, opera quae apud nos extant omnia. Per Janum Cornarium medicum physicum latina lingua conscripta. Parisiis : apud Carolam Guillard et Gulielmu[m] Desbois, 1546. 2-18-7-83

A interpretação feita na época de Hipócrates resultou da comparação entre o texto grego e as versões latinas. A mais antiga edição das obras completas de Hipócrates saiu em Roma (1525) e outra se lhe seguiu em Basileia (1526). Novas edições foram dadas à estampa até 1545, quando se publica em Veneza a edição latina que conheceu maior êxito.

GALENO, Claúdio, 130-200
- Galeni opera ex septima Iuntarum editione ad amplissimum Venetorum medicorum collegium. Venetiis : apud Iuntas, 1596-1597. 1-(d)-14-4/8

AVICENA, 980-1037
- Avicennae Arabum medicorum principis ex Gerardi Cremonensis versione, & Andreae Alpagi Bellunensis castigatione ; A Ioanne Costaeo, & Ioanne Paulo Mongio Annotationibus iampridem illustratus. Nunc vero ab eodem costaeo recognitus, & novis alicubi observationibus adauctus ... Vita ipsius Avicennae ex Sorsano Arabe eius discipulo à Nicolao Massa latine scripta, & figuris quibusdam, ex priori nostra editione sumptis. Venetiis : Industria ac sumptibus Iuntarum, 1595. 1-(d)-14-1/2

As lições de medicina versavam na altura o texto de Avicena. O Canon e os Fens de Avicena eram os livros “sagrados” da arte médica renascentista.

6- A Nova Medicina na Península Ibérica

LUÍS, António, 14?-1565
- Antonii Lodovici Medici Olyssiponensis De re medica opera. Olyssippone : apud Lodouicum Rotorigium, 1540. R-54-4

VEIGA, Tomás Rodrigues da, 1513-1579
- Thomae Roderici à Veiga … Commentarii in libros Claud. Galeni duos, de febrium diferentiis. Conimbricae: apud Ioannem Barrerium, 1578. R-13-16

MERCADO, Luís, 1520-1606
- Institutiones medicae iussu regio factae pro medicis in praxi examinandis. Madriti : excudebat Ludouicus Sanchez, 1594. 4-1-25-25

NUNES, Ambrósio, 1526?-1611
- Tractado repartido en cinco partes principales, que declaran el mal que significa este nombre peste con todas sus causas, y señales prognosticas, y indicatiuas del mal con la preseruacion, y cura que en general, y en particular se deue hazer. Em Coimbra : na officina de Diogo Gomez Loureyro, 1601. RB-17-24

LEMOS, Luís de, ca. 1533-1600?
- Ludovici Lemosii medici ac physici In três libros Galeni De naturalibus facultatibus commentarii. Salmanticae : apud Guillelmum Foquel, 1591. R-36-32

RODRIGUEZ DE GUEVARA, Alfonso, 15—1587
- Alphonsi Rod. de Gueuara Granatensis in Academia Conimbricensi rei medicae professoris & inclytae reginae medici physici in pluribus ex ijs quibus Galenus impugnatur ab Andrea Vesalio Bruxele[n]si in co[n]structione & usu partium corporis humani, defensio ... Conimbricae : apud Ioan. Barrerium, 1559. R-12-8 R-73-22

Uma das questões que mais apaixonaram os clínicos do séc. XVI foi a de saber de que lado se devia sangrar na pleuresia. Na Defensio Guevara refere-se aos trabalhos desenvolvidos por Amato e Vesálio acerca das válvulas da ázigos e experiências de insuflação das veias. A descoberta por Amato impressionou Guevara neste livro de anatomia, que diz “não ter encontrado as referidas válvulas nas condições expressas por Amato”. Estava errado.

7- … e na Itália

“O saber hipocrático e galénico, que havia sido sucessivamente, enquanto forma visível, basílica bizantina, mesquita árabe e catedral gótica adquire agora a aparência de um palácio florentino” (Pedro Lain Entralgo – Historia de la medicina)

MERCURIALE, Girolamo, 1530-1606
- Hieronymi Mercurialis Variarum lectionum, in medicinae scriptoribus & aliis, libri sex … Venetiis : apud Iuntas, 1588. 2-(3)-12-1

BRUDO, Manuel, fl. 15--
- Liber de ratione victus in singulis febribus secundum Hippoc. Venettiis : apud haeredes Petri Ravani & socios, 1544. R-5-20

Embora português, Brudo deixa, à semelhança de outros judeus, a pátria na companhia do pai, médico e cirurgião. Amato e Brudo cruzam-se em Antuérpia por volta de 1541, antes da partida deste para Inglaterra, no ano em que Amato vai para Ferrara.

MANARDO, Giovanni, 1462-1536
- Ioannis Manardi medici Ferrariensis, … Epistolarum medicinalium libri vingiti… Basileae : apud Mich. Isingrinium, 1549. 2-21-5-11

As capacidades de botânico erudito que Amato adquiriu deveram-se principalmente ao contacto com a escola de Manardo de Ferrara, na qual confessa “ter aprendido tanto em botânica como em anatomia”.

COLOMBO, Realdo, ca. 1516-1559
- De re anatomica libri XV. Parisiis : in officina Ioannis Foucherii Junioris, 1562. 4-2-5-33

BRASAVOLA, Antonio Musa, 1500-1555
- Antonii Musae Brasavoli Ferrariensis, Examen omnium simplicium, quorum usus in publicis est officinis … Lugduni : apud Antonium Vincentium : [Michael Sylvius], 1556. 1-(b)-5-17

(continua)

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.