sábado, 7 de janeiro de 2023

AD PATRES

Ad patres irei, decerto, em breve,
porque toda a corrida tem fim.
Se a terra será pesada ou leve,
pouco interessa ao crescer do capim.

Na terra, que não existe, dos patres,
a vida não é boa nem é chata:
por mais que nos encomendem os padres,
na morte, nada se ata nem desata.

A terra dos patres é só o nada,
o qual nada não é coisa nenhuma.
O nada é, da morte, a coutada

e é ausência que se avoluma.
A morte é apenas vida calada,
desabitada cidade murada!

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

MAIS RECHERCHE DE MAIS TEMPS PERDU

(NUM DIA DE PÁSCOA, EM MOÇAMBIQUE)  Quando era Páscoa, em Moçambique,  eu lia NOTRE DAME DE PARIS  e achava a matemática chique: que belos e...