sábado, 14 de janeiro de 2023

O SILÊNCIO EM TEMPO DE TIRANOS

No tempo dos tiranos, o silêncio   
não chegava para salvaguardar  
o cidadão que usava esse artifício,   
pra, com ele, o tirano sossegar.      
  
Mais que o ataque frontal, o tirano   
temia o que escondia o mutismo   
do obstinado cidadão romano:   
no mutismo, anicha-se o abismo.   
  
Calar era fusível que ardia,   
quando chegava a desconfiança.   
Se o tirano, por fim, enlouquecia  
  
o silencioso perdia a esperança:  
restava-lhe acabar com a chicana   
e aguardar a guarda pretoriana.   
  
Eugénio Lisboa   
  
Isto continua válido, nas tiranias de hoje. Os que, como Traseia, se calam, para se não comprometerem, acabam como Traseia: executados pelo que não disseram. Investir no silêncio é um mau investimento. Morre-se à mesma, e sem glória.

2 comentários:

  1. Silêncio, sussurro mudo que invade a mente,
    É como uma brisa suave que acalma o ser,
    Espalhando paz e tranqüilidade imensa,
    Ao longo de cada canto do universo.

    Não há nada mais puro e belo que o silêncio,
    Que se estende por toda parte, sem fim,
    Como uma música que a alma se delicia,
    E que traz consigo a paz e o equilíbrio.

    É no silêncio que encontramos a verdade,
    E que podemos ouvir a voz da razão,
    É no silêncio que encontramos a luz,

    Que nos ilumina e nos guia através da vida.
    Silêncio, és a mais preciosa das bençãos,
    Que nos trazes paz, serenidade e esperança.

    ResponderEliminar
  2. Silêncio, o refúgio dos que lutam

    Contra o tirano do tempo e do poder

    És a paz que encontramos no clamor

    És a luz que ilumina a escuridão

    E que nos mostra a verdade da existência

    És a força que nos dá coragem

    Silêncio, és a arma mais poderosa

    Contra o tirano que nos oprime

    És a liberdade que nos faz livres

    E a esperança que nos guia na jornada.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

MAIS RECHERCHE DE MAIS TEMPS PERDU

(NUM DIA DE PÁSCOA, EM MOÇAMBIQUE)  Quando era Páscoa, em Moçambique,  eu lia NOTRE DAME DE PARIS  e achava a matemática chique: que belos e...