quinta-feira, 18 de agosto de 2022

SONETO: ALGUMAS OBSERVAÇÕES

O soneto, na sua densidade,
é inimigo da incontinência.
O soneto é só necessidade
de falar pouco, porém com ciência

Falar pouco para poder dizer muito,
em só catorze exigentes versos,
é, do soneto, o espartano intuito:
com pouco, saber fazer universos.

O soneto, ao saber comprimir,
dá força explosiva ao dizer:
o soneto é arte de exprimir,

tanto quanto se poderá fazer,
a sabedoria de um compêndio,
à custa de muito pouco dispêndio.

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

Que sei eu do teu sorriso, Do teu sorriso tão sincero?! Que sei eu do que quero, Do que quero e preciso?! Com desespero, queria Qu...