sexta-feira, 25 de julho de 2008

O que é um comunicador de ciência?

Hoje o Pavilhão do Conhecimento em Lisboa faz nove anos. Pediram-me, para um serviço de TV-Ciência Viva que hoje é inaugurado, um depoimento que responda à questão de cima. Ei-lo aqui:

Um comunicador científico é alguém que consegue fazer com que a ciência seja compreendida e apreciada por mais gente. Pode ser um cientista, que saiba de ciência e que não só goste de ciência como também goste que os outros gostem dela. Não quer a ciência apenas para si e para os que lhe estão mais próximos, mas também para os outros, para todos os outros. Quer que a ciência - o conhecimento do mundo e do homem - seja um bem comum e partilhado. Nem todos os cientistas têm que ser comunicadores de ciência, mas devem sê-lo aqueles que tenham gosto nisso e que o consigam fazer com gosto do público. Hoje em dia, essa actividade de comunicação é reconhecida como essencial para a ciência. A ciência para estar viva tem de estar viva no seio da sociedade.

Mas um comunicador de ciência não tem que ser um cientista. Pode também ser um jornalista ou um museólogo que saiba de comunicação e goste de comunicar ciência, servindo de intermediário entre os cientistas, os que fazem progredir a ciência, e os cidadãos, que são afinal os beneficiários últimos dela e que têm o pleno direito de saber os resultados da ciência assim como os métodos necessários para os alcançar. Sim, os métodos - onde entram à cabeça o rigor e o espírito crítico - são tão os mais importantes que os resultados pois estes são, pelo menos em parte, provisórios enquanto os métodos são, em grande medida, permanentes. São os métodos da ciência que permitem melhorar progressivamente os resultados. A ciência mais do que um conjunto de resultados é um conjunto de atitudes. A apropriação da ciência pela sociedade, incluindo tanto os resultados como as conclusões, é actualmente vista como essencial para a sociedade.

A boa colaboração entre cientistas e mediadores é fundamental para que o empreendimento de bem comunicar ciência tenha sucesso. Os cientistas podem aprender com os mediadores como se aproximar do público, tornando acessível o que parecia inacessível. E os mediadores podem aprender com os cientistas os conteúdos e as metodologias da ciência. O desenvolvimento da ciência e da sociedade depende da qualidade dessas relações.

Porque é hoje necessário, indispensável mesmo, comunicar ciência? Porque a ciência, embora haja muitas outras actividades humanas, é uma das actividades mais enriquecedoras do homem. É a ciência que nos permite compreender o mundo onde vivemos. É a ciência que nos proporciona resposta a grandes questões da humanidade como "Quem somos?", "De onde vimos?", "De que somos feitos?", "Onde estamos?", etc. Com as respostas ou o começo de respostas obtemos conforto intelectual. Por outro lado, de posse de algum conhecimento do mundo, podemos viver melhor nele. Ninguém poderia viver bem num mundo que não compreendesse minimamente. Sabendo como é o mundo e como somos nós nesse mundo podemos gozar de maior conforto material. Einstein tinha razão quando disse que a "ciência é a coisa mais preciosa que temos"...

3 comentários:

  1. Hace bastantes años que me muevo en el ámbito de la comunicación científica y he asistido a muchos debates que intentan decidir quién ha de comunicar la ciencia a la sociedad. Mi respuesta siempre es la misma: quien sepa hacerlo.

    Hay científicos que no saben comunicar y hay periodistas que son un desastre informando de ciencia. A los primeros les diría que se dedicasen a investigar y a los segundos que se dedicasen a otro tipo de especialidad periodística.

    ResponderEliminar
  2. Já agora, o local e as circunstâncias onde o Doutor Fiolhais vai responder à questão:

    Dia 25 de Julho é dia de festa.

    Na próxima sexta-feira o Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva faz nove anos e preparou uma programação especial para o seu aniversário. Como todos os anos, a entrada é gratuita.

    Neste dia, e a partir das 10h00, oferecemos a nós próprios e ao nosso público um presente muito especial: o início das transmissões regulares do Ciência Viva TV - Canal Online. Reportagens, entrevistas, vídeos temáticos e notícias científicas vão preencher a programação deste canal de divulgação da ciência e da tecnologia, disponível 24 horas por dia no endereço http://www.cvtv.pt

    Mas neste dia não queremos que fique em casa a ver televisão no computador. Venha até ao Pavilhão do Conhecimento e assista à emissão em directo do CVTV através dos ecrãs que estarão espalhados pelas várias áreas expositivas. E não perca a oportunidade de ver como é a produção de um canal de televisão nos nossos estúdios montados no foyer e abertos ao público.

    Participe nas reportagens que a equipa do CVTV fará em directo durante todo o dia com os visitantes, conheça a ciência que se esconde atrás dos tachos no espaço de A Cozinha é um Laboratório, coloque as suas dúvidas científicas e desvende alguns mitos urbanos, ponha as Mãos no Gelo, assista à mesa-redonda sobre cozinha molecular, viaje até Marte com as reportagens do CVTV e descubra que é possível levar a ciência no seu telemóvel através dos podcasts que pedimos a dois cientistas que gravassem para o nono aniversário do Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva.

    Venha comemorar connosco e ajude-nos a soprar as velas.

    PROGRAMA:

    10.00 - Início das transmissões do CVTV
    11.00 - Lançamento oficial do CVTV com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    18.00 - Bolo de Aniversário e Parabéns ao Pavilhão do Conhecimento

    ResponderEliminar
  3. Quando temos a felicidade de ter bons comunicadores a ciência sai a ganhar porque pode desfazer mitos que se criam junto daqueles que usualmente não têm acesso à mesma.

    O bom comunicador pode até não estar a falar do seu campo de conhecimento e de trabalho, mas se estiver minimamente informado conseguirá fazer passar a mensagem correcta e não um monte de mitos que depois serão de difícil erradicação.

    Não é fácil ser um bom comunicador mas quando aparecem devemos aproveitar o melhor possível.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.