sábado, 19 de julho de 2008

GRANDES ERROS: DIA FORA DO TEMPO


À minha caixa de correio vai parar todo o género de disparates. Agora chegou o anúncio do "Dia Fora do Tempo" (sic, é no próximo dia 25 de Julho, portanto não é fora do tempo) de uma tal Fundação Casa Indigo, em Lisboa:
"Estamos quase a concluir o ano do Mago Lunar Branco.

No dia 26 de Julho começará o ano da Tormenta Eléctrica Azul.

O dia 25 de Julho é o Dia Fora do Tempo, o qual temos previsto celebrar com grande entusiasmo e energia o processo evolutivo da humanidade.

É importante, pois, alinharmo-nos na Terra com o Sol e Sírio.

Multidões de pessoas em todo o mundo farão a Meditação da Ponte Arco-íris e se prepararão para o recebimento do novo ano galáctico, alinhando-se com a natureza e sua constante transformação, assim como com o seu verdadeiro ser.

É sem dúvida um momento de grande intensidade energética, e no qual os Seres de Luz trabalham para o bem da humanidade, e para nos alinharem com a harmonia do Universo.

É um dia em que se concentra toda a energia do ano, um dia de arte e cultura, porque TEMPO É ARTE...
Vem festejar connosco e une-te a nós na celebração do Novo Ano Galáctico: Tormenta Eléctrica Azul."
Quem será o responsável por tantos dislates? Indo ao sítio da referida Fundação, cliquei "Quem Somos" e encontro este perfil:

"Tereza Guerra, Kin 212: Humano Auto Existente Amarelo

Tereza Guerra é licenciada em Filosofia pela Universidade de Lisboa. Possui pós-graduações na área em Educação, Psicologia e Filosofia. Adquiriu o grau de Mestre em Ciências da Educação pela Faculdade de Ciências de Lisboa. Actualmente encontra-se a concluir a sua Tese de Doutoramento sobre o tema: Educação de Crianças Índigo.
A sua experiência profissional é de 22 anos no Ensino da Filosofia e também na Área da Formação de Professores. Há cerca de 28 anos que desenvolve e investiga sobre a Educação e Formação de Crianças e Jovens, com publicações nestas áreas. Nos últimos anos tem-se ocupado em desenvolver aptidões nas áreas da Psicologia Transpessoal, Método de Controlo da Mente, Desenvolvimento Consciencial e Pessoal, possuindo Mestrado em Reiki e Cura Quântica."

A acreditar nas habilitações e na experiência profissional, é de ficar preocupado, muito preocupado, com o ensino da filosofia e a formação de professores que se fazem entre nós.

20 comentários:

  1. A revista Pensar, iniciativa do [antigo]Scicop para a América Latina, teve uma reportagem de capa sobre "crianças índigo" algum tempo atrás: http://www.pensar.org/2004-04-indigo.html

    Sds
    Alex.

    ResponderEliminar
  2. Seria muito interessante desmontar as afirmações deste folheto tão delirante, para além da tese de que o dia 25 de Julho está fora do tempo, que não necessita de mais desmontagem.
    Mas, por exemplo, haverá nesse dia algum alinhamento Terra, Sol e Sírio? Se houver, dada a distância de Sírio, que influência (radiativa, gravítica ou outra) poderá vir a ter? A "grande intensidade energética" será de que tipo de energia? Que quer dizer "TEMPO É ARTE"? Existem anos galácticos? Se existem há alguma razão para crer que no dia anunciado se inicia um novo? O que são "seres de luz"? Como é que esses seres trabalham para o bem da humanidade?
    Numa outra ordem de ideias, gostava de saber se e como é que a FCL aceita uma tese de doutoramento sobre Educação das crianças índigo???

    ResponderEliminar
  3. Fisicamente dadas as distâncias astronómicas dos astros a influências de qualquer tipo serão muito relativas e aliás se as tomarmos em conta, independentemente do seu valor, elas existem sempre em todos os momentos.

    Se quizermos agora tomar as influências psicológicas que determinados momentos podem ter, tudo vai depender daquilo que nós construímos como nosso mundo, de tudo o que acreditamos.

    Portanto, como motivo para nos reunirmos, tomar uns copos (nem que seja de água de coco), trocar uma impressões, esse dia terá a mesma importância para uns como para outros a SEXTA FEIRA TREZE!

    Divirtam-se, apanhem uns pifos, mas não chateiem!!!!

    Quanto ao currículo da senhora, se outros acharam que era digno de registo.......

    ResponderEliminar
  4. Acabei de folhear numa livraria um livro da Dr.ª Tereza Guerra e verifiquei que não se diz que o doutoramento em curso seja na FCL, o que confirmei agora relendo o postal deste blog. Foi erro meu de leitura. Fiquei mais descansado.
    Peço desculpa a paisano se o chateei com os meus comentários. Mas afinal os blogs e os comentários não servem para dizermos a nossa opinião?

    ResponderEliminar
  5. Ó Carlos:

    Se a ciência advoga o método experimental, então nada melhor do que ir à tal conferência ou encontro... simples!

    Eu por mim ia, se estivesse aí por perto, conhecer algumas indigo ladies... nice! :)

    Quanto ao tempo... mas ele existe ou não existe?! Já ando a ficar confuso com tanta teoria controversa sobre o assunto...

    Rui leprechaun

    (...ultrapassa-me o bestunto! :))

    ResponderEliminar
  6. Esta é a bestialidade que os cursos de filosofia nas universidades portuguesas produzem. Produzem pseudo poetas, videntes e todas as espécies de tolos. Só não produzem filósofos... Infelizmente não é um caso isolado. Esta pessoa não devia sequer poder ensinar filosofia.

    ResponderEliminar
  7. Se estamos numa de dias especiais eu prefiro os do seguinte tipo:

    http://www.globalorgasm.org/

    Também envolve coisas quânticas e sempre dá para o pessoal se divertir.

    ResponderEliminar
  8. Já dizia a minha avó:
    "Quem não sabe é como quem não vê..."

    ResponderEliminar
  9. Just for the record:

    A criatura em causa diz que está a fazer um doutoramento em crianças índigo; no entanto, a história é um pouco diferente. O doutoramento em curso tem lugar na Universidade de Salamanca e é sobre Plataformas de Ensino à Distância... Isto seria aceitável se ela estivesse de facto a fazer o doutoramento e não o seu "namorado", dito engenheiro informático chileno, que o está a fazer por ela, já que a senhora não sabe sequer para que serve um rato. Relativamente ao CV, a Drª Tereza Guerra é licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras de Lisboa e tem Mestrado Profissionalizante em Ciências da Educação. Felizmente, não lecciona filosofia, mas para confirmar a rede de influências referidas nos posts anteriores, neste momento é Inspectora Principal do Ministério da Educação. Curioso é referir que o dito Ministério está alegremente ignorante sobre o que a senhora faz durante as horas do seu suposto horário de trabalho que nós pagamos alegremente. A maior parte dos dias são passados na dita Fundação, onde dá consultas "não-se-sabe-bem-do-quê" a 70€ por cabeça!

    ResponderEliminar
  10. Eu estive a fazer umas contas (que até podem estar meio tortas - os números envolvidos são "gigantones") que, salvo calinada da grossa, dizem que a influência gravítica que um(a) senhor(a) de 70 kg exerce sobre a minha pessoa a 300km de distância é superior à da estrela Sírius.

    ResponderEliminar
  11. Ora pois eu tenho mais uma superstição, mais um chorrilho de factos não suportados cientificamente e que é promovido por centenas de IPSS registadas neste país: o cristianismo. Parece que os seus seguidores acreditam que o fundador do grupo nasceu de uma virgem, tinha super-poderes, morreu, ressuscitou e depois desapareceu para sempre voando em direcção ao céu.

    ResponderEliminar
  12. Agora que estamos a começar a perceber os limites da localidade é que vem falar com esse ar. Se lhe dissesse há uns anos que uma partícula pode influenciar outra distante, que "imita" o comportameneoutra da primeira, o que é que me chamava?
    António Pires Lopes, Ser de Luz com licenciatura em Luz Branca e fotões afins e engenheiro pela Universidade Moderna.

    ResponderEliminar
  13. para quem tenha curiosidade..
    sobre as crianças Indigo.. err.. ou melhor Hipersensiveis...

    www.hipersensibilidade.org
    cumps

    ResponderEliminar
  14. Disse Nietzche, que aqueles que foram vistos a dançar foram julgados insanos por aqueles que não conseguiam escutar a música, de igual modo um cego não vê a luz, mas isso não quer dizer que não exista.
    Sem dúvida que o problema que se prende aqui reside na forma como características inerentes a todo o ser humano, são encaradas como aberrações, devios, paranóias/doenças. É esse preconceito que leva à marginalidade das capacidades humanas. Aqueles que as possuem remetem-se ao silêncio, são obrigados a optar pela credibilidade na sociedade ou a marginalização e ridicularização pela mesma sociedade. Isto a propósito da "produção" das faculdades. É lamentável que nos dias de hoje, esse género de preconceito ainda seja vivente...amigos houve um dia em que a humanidade acreditou que a terra era quadrada.
    E quem faz do Homem um ser ausente de transcendência...não sabe mesmo do que fala, e eu sou a favor da experiência, sem dúvida. Mas experimentem...não fiquem pela negação e criticismo, porque esse não apela à verdade.

    ResponderEliminar
  15. Bem, estive sou formada em História, sou estudiosa dos maias, nasci no dia 25 de julho. Estive na Guatemala,Honduras e Belize - por questões pessoais e sei que isto é relacionado à cultura maia, ao calendário maia. Daí, a apropriação que se faz - sem citar fontes - desta cultura é algo muito estranho. Os maias eram excelentes astrônomos, pesquisas científicas e sem o dualismo da nossa ciência moderna, que está mudando a sua forma de pensar. Há livros sobre o assunto para quem quiser pesquisar: "O livro dos mortos dos maias" de Paul Arnold; "O código de Órion" de Patrick Geryl; "O Fator Maia - um caminho além da tecnologia" de José Argúeles e tantos outros. Sugiro, contudo, ir ao México ( Chiapas ou melhor Península de Yucatán - particularmente em Palenque, Tulum, mesmo Cancúm e duvido, que alguém sai dali, sem uma experiência, no mínimo, "estranha".

    ResponderEliminar
  16. Sou Educadora e já assisti a um seminário de crianças índigo e tenho a dizer k inicialmente achei tudo muito estranho pois estamos modelados a viver numa sociedade material e desprezamos o k não compreendemos. Mas tenho a dizer que aprendi muito, sobre estas ditas crianças k são sensíveis, irrequietas, inteligentes e algumas com capacidades extrafísicas, e e de facto isso verifica-se actualmente nas escolas. Pena a escola estar massificada e não apresentar aos nossos alunos diferentes respostas em função do aluno que se tem, em vez de lhe enchermos a cabeça com dogmas caóticos e ultrapassados, sempre todos iguais.
    Claro que para as mentes mais fechadas isto será uma afronta às suas carreiras mas se pensarmos bem , hà poucos anos atrás era impensável o homem ir á lua, não se tinha a noção de que um objecto são partículas em movimento e quem o dissesse seris considerado tolo, pois uma cadeira era uma cadeira e não se mexe...
    talvez haja a possibilidade de nos questionar-mos e haver entre nós humanos algo que nos liga e influência bem como às nossas vidas e desenlace destas... pensem nisso!

    ResponderEliminar
  17. Segundo o calendário Maia, a contagem do tempo baseia-se em 13 ciclos lunares, de 28 dias por ano solar, perfazendo 364 dias, mais um chamado 'Fora do Tempo', entre o Ano Velho e o Ano Novo. Pelo calendário Maia, o dia fora do tempo corresponde ao nosso dia 25 de Julho.

    Sugiro que, antes de criticar, verifiquem informações sobre os assuntos dos quais escrevem. Isto para que não se entrem em discussões desnecessárias.

    Para além disso, acho desrespeitoso e não vejo qual a finalidade de questionar as habilitações de um ser humano, por este ter convidado alguém para um evento "desconhecido".

    Sabendo que o "nosso" calendário não é o único existente (pois para além de civilizaçoes antigas, temos o exemplo actual do calendário chinês) poderia eu neste caso questionar a sua formação académica por não saber algo que é da cultura geral?

    Ainda para mais, tendo todo o tipo de meios ao nosso dispor para nos informarmos de todos esses mundos e teorias "desconhecidas"?

    Da minha parte, não vejo inconveniente algum em este dia "fora do tempo" ser festejado pelas pessoas a quem a cultura Maia faça sentido. É apenas uma celebração como muitas outras.

    Um Abraço Cordial
    Sérgio de Jesus

    ResponderEliminar
  18. Ouçam a resposta da origem do calendário maya!

    Mayan Elder Don Alejandro Speaks About the Dreamspell Calendar

    http://www.youtube.com/watch?v=b1n_lpehsW4

    Tirem as vossas conclusões.

    Abraços e muitos sorrisos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. haja alguém que dê uma oportunidade ao desconhecido e fantabolástico mundo Maya ;)

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.