Facts about the FCT/ESF science evaluation: the story so far

domingo, 13 de Janeiro de 2008

Novo medicamento para Alzheimer com resultados nunca vistos

Atrofia cerebral em doentes com Alzheimer.


Um estudo, publicado online esta semana no «The Journal of Neuroinflammation», pode significar um avanço muito importante no tratamento de uma doença que afecta cada vez mais pessoas. O estudo foca-se nos resultados obtidos num paciente de Alzheimer, com 81 anos, que mostrou progressos significativos e quasi imediatos após lhe ter sido administrado um tratamento revolucionário.

O factor de necrose tumoral alfa, TNF-α, é uma citocina cujo principal papel é a regulação das células imunes mas que está envolvida na apoptose (morte «programada») da célula e em inflamações, nomeadamente doenças inflamatórias articulares (DIA), como artrite reumatóide, artrite psoriática ou espondilite anquilosante. O TNF é um componente crítico do sistema imune cerebral que regula a transmissão de impulsos neuronais. Os autores do estudo consideraram que os elevados níveis de TNF-α presentes no líquido encefalorraquidiano (líquido cerebro-espinal) de doentes com Alzheimer interferiria com esta regulação e trataram o doente com um antagonista (que suprime a acção) do TNF.

No estudo, realizado por Edward Tobinick, director do Institute for Neurological Research e professor na UCLA, e Hyman Gross, do Departamento de Neurologia da Universidade da Califórnia do Sul em Los Angeles, o antagonista do TNF utilizado foi um medicamento já aprovado no tratamento de doenças imunes, o etanercept, comercializado com o nome Enbrel, uma proteína de fusão recombinante constituída pelo receptor P75 do TNF-α, ligado a uma parte de uma proteína humana (a fracção FC da gG1).

Os cientistas mediram o desempenho do paciente em testes cognitivos antes e depois de uma injecção de etanercept. Os resultados foram dramáticos: antes do tratamento o doente não se conseguia sequer lembrar do nome do médico que o estava a tratar, do ano em que estava ou do estado onde morava. Cerca de dez minutos após a injecção de etanercept, o doente não só estava mais calmo e mais atento como se lembrava que morava na Califórnia, sabia o dia da semana e do mês e demonstrou melhorias significativas em testes cognitivos

Numa entrevista logo após o exame, a esposa do paciente afirmou que os resultados pareciam «uma história de ficção científica» acrescentando que o marido «não era a mesma pessoa. Eu percebi que ele estava mais esclarecido, mais organizado. Quase caímos da cadeira quando vimos o que aconteceu». O filho do paciente comentou que a reacção do pai logo após a injecção foi «a coisa mais memorável que já vi».

O artigo foi acompanhado por um extenso comentário dos editores do jornal, Sue Grif­fi­n e Robert Mrak, pioneiros na área de neuro-inflamação. Griffin anuncia no comentário que a sua universidade, University of Arkansas for Medical Sciences (UAMS) em Little Rock, conduziu testes com o novo tratamento em pacientes com vários graus de Alzheimer e em todos houve «uma melhoria continuada e marcada» com «resultados dramáticos e nunca vistos».

No entanto, como notam alguns especialistas britânicos inquiridos sobre o tratamento, é necessário mais investigação para se confirmar a generalidade do sucesso da terapia. Rebecca Wood, da Alzheimer Research Trust, afirmou à BBC que «a pesquisa é promissora e inovadora, mas está na fase inicial. É preciso desenvolver mais trabalhos na área para concluir que o etanercept pode funcionar no tratamento de Alzheimer. Precisamos de investigar se o medicamento é seguro e eficaz num número maior de pacientes, além de monitorizar os seus efeitos a longo prazo».

Wood alerta ainda para o facto de ser preciso verificar se o efeito do medicamento pode de facto diminuir os sintomas da doença. «Os cientistas precisam de verificar se os benefícios não foram consequências apenas de um efeito placebo, estabelecer se são temporários e se a doença de facto é desacelerada pelo medicamento».

Neil Hunt, da Alzheimer Society, concorda com a necessidade de realizar mais estudos. «É crucial que mais pesquisas sejam desenvolvidas antes de se chegar a qualquer conclusão sobre o TNF-α e o desenvolvimento da doença de Alzheimer».

A mesma reacção foi manifestada pela empresa que produz o etanercept, a Amgen, (empresa de que Tobinick possui acções, como declarou no artigo). A Amgen comunicou que «de momento não existem dados científicos suficientes que suportem a utilização de um inibidor de TNF como forma de tratar a doença de Alzheimer. A Amgen continuará a rever os dados disponíveis acerca de uso de Enbrel® (etanercept) e outros anti-inflamatórios para o tratamento da doença de Alzheimer».

A utilização de antagonistas de TNF no tratamento de váris doenças, como as doenças inflamatórias articulares e potencialmente Alzheimer, foi recentemente eleita como uma das 10 mais notícias de saúde em 2007 pela Harvard Health Letter. De igual forma, a Neurotechnology Industry Organization colocou no top10 das tendências em neurociências no ano de 2007 os novos alvos de tratamento revelados por neuroimunologia, em que se inclui o excesso de TNF. Também a Dana Alliance for Brain Initiatives, uma organização não lucrativa que integra 200 neurocientistas destacados, incluindo 10 prémios Nobel, escolheu este estudo para discussão no seu relatório de progresso na investigaçao do cerébro.

Apesar de estes resultados serem de facto muito entusiasmantes, como notam os autores no artigo, nem todos os sintomas da doença são reversíveis, especialmente em estádios avançados em que há lesões extensas a nível cerebral.

60 comentários:

  1. É o cérebro humano o último reduto que resiste até à exaustão em dar-se a conhecer ou a ser conhecido pelo ainda enigmático campo das neurociêncas. Se associarmos a este facto o crescimento da população em termos de aumento de vida média, o post da Palmira tem o grande mérito de dar esperanças às vítimas da doença de Alzheimer. Bem haja.

    ResponderEliminar
  2. Será 1 questão de tempo até existir cura ou um tratamento prolongado e eficaz para este tipo de doenças.
    Mas os cientistas deviam tambem dar a tenção a outra coisa, a investigação tem sido muito intensa para descobrir curas e tratamentos mas tem-se esquecido de estudar as causas das mesmas, se houvesse mais investigação em saber porque aparecem determinadas doenças e o que realmente as causa, o agente ou diversos agentes poderia-se prevenir muitas delas.
    Esta é uma boa noticia, haja esperança.

    ResponderEliminar
  3. O prazo para a votação dos Melhor Bloges de 2007 termina amanha dia 15
    Vota nos teus Bloges preferidos, está tudo aqui.

    ResponderEliminar
  4. Repetimos a experiência em nossos pacientes e tivemos bons resultados após a aplicação do medicamento, com melhora de 8 pontos na Escala Mini Mental.
    Agora esse tratamento é rotina em nossa clínica
    Dr. César S L Colaneri, CRMSP 20.675

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Queria se possível...pois vi o comentário da Clinica Colaneri...que afirma já fazer uso da terapia com o medicamento etanercept com bons resultados....Meus pais estão ambos com Alzheimer....como poderia ter acesso a esta terapia? Se puder entrar em contato pelo meu e-mail walter.prado@bol.com.br...obrigado!

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Minha mãezinha que se chama Palmira (70 anos)tem Alzheimer e eu gostaria muito de obter mais informações do tratamento na clínica colaneri. Por favor, entre em contato pelo meu email
    alvescalixto@hotmail.com
    Antecipadamente agradeço!

    ResponderEliminar
  7. Segue abaixo o endereço da Clinica Colaneri que realiza o tratamento do Alzheimer com o Ethanercept.
    Rua Lima Barros 49 - Jd Paulistano - São Paulo
    Fones: 11-3884-8070 e 9393-5136
    Obrigado
    Dr. César

    ResponderEliminar
  8. Dr. César, esse tratamento já está autorizado no Brasil? Quais os efeitos colaterais? Será que a casuística de 1 paciente é suficiente para o uso do medicamento em escala clínica? Sei também que já há 12 pacientes em tratamento e já há um novo artigo do mesmo autor publicado em julho.
    Li na íntegra o artigo sobre o uso da droga do Dr. Edward Tobinick, inclusive que ele próprio tem ações da fábrica do medicamento. Não quero ter falsas esperanças, mas se houver confirmações científicas, embarco o mais breve possível para s.paulo, na sua clínica. Por favor entre em contato comigo: denisefhartmann@gmail.com
    obrigada

    ResponderEliminar
  9. A minha mãe tem 73 anos e tem Alzheimer, gostaria de ter mais informação sobre este tratamento e onde de pode fazer, agradecia contacto por mail.
    maria baiao

    ResponderEliminar
  10. Meu apelido é Ahllycia.Eu gostaria de saber se mais alguém que estiver lendo esta notícia sabe desse tratamento com etanercept, e se alguém sabe sobre células-tronco. Minha mãe tem excelente saúde geral, está com 80 anos, porém está com provável Alzheimer, embora seus exames sejam inconclusivos. Estamos dispostos a testar qualquer coisa nela, porque está piorando muito rapidamente. Por favor, gostaria de ouvir opiniões a respeito. Se alguém preferir responder pelo meu e-mail: thaclara@yahoo.com.br. Obrigada.

    ResponderEliminar
  11. Cara Ahllycia
    Veja no meus site maiores explicações sobre o tratamento com Ethanercept. Estamos ha 1 ano aplicando tal medicamento e os resultados são excelentes. Alguns pacientes já não mais precisam de cuidadores. Só que as aplicações devem ser semanais para se atingir um bom resultado.
    Dr. César S. L. Colaneri
    www.clinicacolaneri.com.br

    ResponderEliminar
  12. Por favor, descobrimos que minha sogra tem Alzheimer, a uma semana e gostariamos de saber se existe cura no Brasil. por favor estamos ansiosos por obter respostas.

    grata,
    J.M

    ResponderEliminar
  13. Caro J.M

    Cura ainda não existe, mas com o uso do Ethanercept temos conseguido controlar e melhorar em muito a doença além de dar uma vida digna ao paciente e a seus familiares. Dos 28 remédios que existem para a doença, apenas o Ethanercept tem dado resultado.
    Inclusive já foi descoberta uma nova técnica de aplicação do medicamento bem menos invasiva que a original intracerebral
    Dr. César S L Colaneri
    CRMSP 20675

    ResponderEliminar
  14. SOU DO RIO DE JANEIRO - ESTOU A TRABALHO LONGE DA MINHA RESIDENCIA DE ORIGEM.
    MORO HOJE, NUMA CAPITAL DO NORTE DO BRASIL.
    GOSTARIA DE MAIS DETALHES SOBRE O TRATAMENTO E/ MEDICAMENTO Ethanercept. O TRATAMENTO ÍNDICADO DAQUI É O REMINYL... MAS, NÃO ME DEI BEM. MEU TRABALHO CONSISTE EM CONTROLE DE CONTAS MERCANTIS, FATURAMENTOS E CONTABILIDADE BANCÁRIA. AGUARDO NOTÍCIAS...

    ResponderEliminar
  15. Dr. César Colaneri

    Cara Yara...

    Suas queixas me lembram as mesmas da Menopausa...
    Mande mais dados sobre você...Sua queixas são normais e o reminil não tem indicação nestes casos.
    Dr.César

    ResponderEliminar
  16. Meu nome é Fatima minha mãe é vitima desse mal infame, tem 71 anos, toma eranz e alois sem resultado ,por gentileza gostaria de obter mais informações a respeito desse novo medicamento.Moro no norte do país por favor atenda esse meu pedido não tenho pai minha mãe está desaparecendo preciso de ajuda.

    ResponderEliminar
  17. Dr. César Colaneri

    Cara Fátima...
    Infelizmente não conhecemos nenhum médico que usam o Ethanercept aí na sua cidade. Você teria de vir a SP para consulta e tratamento.
    Também existe um tratamento que estabiliza o Alzheimer, é o uso da Reposição Hormonal as custas de hormônios bio-idênticos, principalmente a testosterona e o estradiol.
    Sem mais,
    Dr. César Colaneri
    CRM SP 20675

    ResponderEliminar
  18. Dr. Cesar,

    Minha sogra tem 80 anos , ela sofre muito com mal de alzheimer , esse tratamento paralisa a doença ou há melhoras? Tem esse tratamento em Goiania?
    Ateciosamente,

    Daniella

    ResponderEliminar
  19. Dr. Cesar Colaneri

    Cara Daniella...
    Infelizmente o Etanercept só funciona nas fases iniciais do Alzheimer, ou seja, nos 3-4 anos do inicio da doença. Após este período já há lesão cerebral irreversível na maioria dos casos pelo processo inflamatório.
    Mas existem outros tratamentos que ajudarão no tratamento, como o do Glucoronolactona, que corrige o déficit da glicose dentro da célula nervosa e que ajuda em muito a memória e a desnutrição celular além da reposição hormonal à custa de estradiol, testosterona e hormônios da tireóide.
    E é lógico com os tratamentos clássicos do Alzheimer, principalmente da Memantina
    Não conhecemos nenhum médico aí em Goiania que aplicam o produto

    ResponderEliminar
  20. Oii meu nome é Suelen
    Minha vó tem alzheimer a 9 anos já ela tem 63 anos :/
    minha mãe cuidada dela todo esse tempo gostaria de sabe se existe algum tratamento pra essa doença em Rio Claro - sp pois nós sofremos muito com essa doença meu maior sonho é que existese uma cura definitiva mais como ñ aa
    Gostaria de sabe mais sobre teste tratamento
    se possivéluma ajuda
    Obrigada

    ResponderEliminar
  21. Dr. Cesar Colaneri responde:

    Cara Suelen...
    Infelizmente sua avó esta há muito tempo com a doença e provavelmente já existem lesões cerebrais irreversíveis devido a precocidade do aparecimento do mal. Mas entre em contato conosco pois há muita coisa a fazer em benefício dela.
    Por sinal tenho pacientes aí em Rio Claro e em Corumbataí.
    Clinica Colaneri
    11-3884-8070
    ou pelo e-mail: clinicacolaneri@itelefonica.com.br

    ResponderEliminar
  22. Dr Cesar, menha mae tem mal de alzeimer, tem uns 3 a 4 anos,estou lendo ao seus coment e gostei mt,por isso preciso das suas orient,ela toma Remenil, e Resperido,mas não está dando mt certo,setou sofrendo mt, pois sou eu q cuido dela, esse remd q está aqui for melhor, vou dar um jeito de entrar lo aí em S.Paulo,me resp por favorAlda S Kerr-kerralda@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  23. Dr. César Colaneri disse...

    Cara Alda...

    As causas do Alzheimer remontam às vezes mais de 20 anos antes do aparecimento da doença e vão desde uma dieta hormonalmente errada, stress, sedentarismo, deficiências hormonais, estilo de vida inapropriada, poluição e etc. levando o excesso de radicais livres e finalmente alteração da bioquímica cerebral que destroem os micros túbulos dentro dos neurônios e levando a formação das placas de beta amilóide.
    O tratamento é complexo e exige uma equipe multidisciplinar.
    Para ajudá-la, além de exames específicos como Ressonância cerebral, exames hormonais e metabólicos, precisamos examinar a paciente, por isso sugiro que a Senhora nos procure.
    Sem mais,
    Dr. César Colaneri
    CRM SP 20675
    11-3884-8070

    ResponderEliminar
  24. Boa noite Dr. Cesar Colonari
    Meu nome é Mari e minha mãe tem 74 anos,não é de São Paulo mais esta aqui mais de 5 meses para tratamento e já está querendo voltar de qualquer jeito, irá voltar para o Norte no final de agosto, gostaria de sua opinião a respeito:
    Ela está muito esquecida,o presente,o agora, ela esquece tudo, só no outro dia que ela lembra alguma coisa, do passado ela lembra tudo como tivesse acontecido a pouco tempo, ela dormi e se alimenta bem, assisti novela, faz o serviço de casa, cozinha muito bem, conhece e sabe os nomes de todos da familia, faz compras, sabe mexer bem com dinheiro, pelo menos até agora não foi notado nada anormal, só o esquecimento.Já fez resonância magnética, EEG quantitativa de vigilia a analise espectral de frequencia evidenciou pico de frequencia em 8,0 Hz com predominancia nas regiões posteriores, fez exames de sangue e vários de vitaminas e todos não sugerem a doença de Alzheimer. Mais quando se pergunta em que ano estamos ela fala que em 2006 e quase todos os dias falo que dia,mês e ano que estamos mas ela não consegue decorar.
    O geriatra disse que apesar dos exames não constarem ele afirma que ela está com a doença, inclusive passou um remédio chamado Erans donepezila, mais o efeito foi contrário, ela ficou mais esquecida do que estava não lembrava nem se tinha se alimentado, ficou muito agitada a noite que era o horário que eu dava o remédio e muito aérea,então suspendi o remédio pois ela com essa medicação parecia realmente esta com a doença e segundo ele iria ficar mais centrada disse que eu tinha que ter dado o remédio pela manhã, mais mesmo assim parei, não dei mais.
    Estou triste porque ela veio para se tratar e vai voltar na mesma, gostaria de saber sua opinião a respeito e se dar para ela fazer algum tratamento nesse intervalo de tempo que possa melhorar e se o Sr. atende no horário a partir das 18:00 ou aos sábados pois trabalho e é muito dificil sair para levá-la ao médico no horário comercial. Será que tem tratamento o caso dela e se em 30 dias dar para fazer alguma coisa por ela?
    Desde já agradeço e aguardo sua resposta.Obrigada.

    ResponderEliminar
  25. Dr Cesar Colaneri disse:

    Cara Mari...
    Corra com sua mãe ao nosso consultório... Sua mãe está com Neuroglicopenia, ou seja, falta de açúcar nas células cerebrais...
    Quando você usou o Donepezil, este piorou o quadro.
    O tratamento é simples e barato e com certeza sua mãe estará muito melhor após o tratamento.
    Se possível traga todos os exames realizados, principalmente a Ressonância
    Dr. Cesar
    11-3884-8070
    Rua Lima Barros 49, Jd Paulistano - SP

    ResponderEliminar
  26. Meu nome é Giovania e minha mãe tem 68 anos e ha mais ou menos uns 3 a 4 anos apresentou os primeiros sintomas da doença e gostaria de saber se há a possibilidade dela fazer tal tratamento, bem como o porquê da não ampla divulgação do tratamento, já que parece ser tão eficaz. Minha mãe não lembra que sou sua filha, pensa que sou sua irmã. É muito triste.

    ResponderEliminar
  27. Dr.Cesar, foi constatada a doença em minha mãe em grau leve, está sendo administrado remynil. Após leitura de seus comentários sobre o novo medicamento, o que eu quero saber é: como ele é administrado, a frequência, se tem efeito colateral (minha mãe tb sofre de diabetes e problemas no coração)e se a administração é dolorida. Se puder em entrar em contato via e-mail, desde já agradeço: elianeherdy@hotmail.com

    ResponderEliminar
  28. Gostaria de saber se uma pessoa que teve AVC isquêmico tem maior probalidade de desenvolver a doença de Alzheimer.

    Sebastião

    ResponderEliminar
  29. Dr Cesar responde

    Caro Sebastião...
    Se o AVC não for tratado corretamente, ele pode se expandir e provocar um processo inflamatório que levará ao Alzheimer.
    O ideal é um tratamento antiinflamatório associado ao do AVC
    Dr. Cesar

    ResponderEliminar
  30. Certos pontos nesta doença me intrigam terrivelmente.A minha mãe, morreu com 86 e iniciou a doença aos 71 anos.Não usou sonda a, tinha delírio,fugia de casa,nudez não lhe intimidava o esquecimento era acelerado.Minha irmã persistiu gostando de dançar tinha senso estético,não se reportava ao passado, adorava passear e não tinha alucinaçoes; durou 11 anos

    ResponderEliminar
  31. Dr Cesar responde:
    Caro anônimo
    O Alzheimer é hoje considerado como um sintoma de alguma(s) doença(s). Geralmente a pessoa morre apenas 3 anos antes se não a tivesse (Fonte Associação Americana do Alzheimer).
    Os sintomas são variavéis de acordo com a área não lesada. O que deve ter ocorrido com sua mãe. O paciente não sofre, mas a famíla...
    A causa básica geralmente é a deficiência homonal, distúrbios vasculares e etc.
    Dr Cesar Colaneri
    CRMSP

    ResponderEliminar
  32. Gostaria de saber minha senha,(URL) pois a perdi
    Dr Cesar Colaneri

    ResponderEliminar
  33. Olá, meu nome é Sónia. A minha Mãe tem 74 anos.
    Há uns 2 anos encontrei-a de pé na cozinha, sem acção mas com uma panela a apanhar a água que corria da torneira... Não falava nem me reconheceu. Levei-a de imediato ao Médico, onde esteve em observação mas não lhe diagnosticaram nada.
    Umas semanas depois começou a apresentar confusão e incapacidade de fazer as tarefas de casa.
    Levei-a a neurologistas. Dos 2 médicos que tratam a minha Mãe, uma diz que sofre de Alzheimer e o outro diz que sofre de demência fronto temporal, mas ambos os médicos receitaram o mesmo tratamento.
    Toma donepezil (10mg) e memantine (20mg) depois do jantar, sem grandes melhorias; acho até que piorou após o início da medicação.
    Dorme muito e só se costuma levantar às 16 horas. Sempre a partir das 19 horas, torna-se mais ansiosa e agressiva e insiste sempre que tem de ir para casa tratar dos filhos.
    Confunde o sítio onde está e há dias em que se esquece que o meu Pai já faleceu há 15 anos e depois chora e reclama por não lhe termos dito... quando ela assistiu à morte dele...; há dias que não reconhece as irmãs com que está a viver agora. Sabe que as tem, mas diz que "não são aquelas senhoras".
    Sofre ainda de artroses (dedos ligeiramente tortos) e tensão alta. Num dos rx que fez à cabeça, havia qualquer coisa que tinha diminuído, atrofia. Terá mesmo alzheimer, ou será neuroglicopenia, depressão ou outra doença? É possível parar a evolução da doença? O etanercept funcionaria nestes casos? E hormonas??? Estou muito preocupada.
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  34. Dr. Cesar responde...
    Oi Sonia, sua mãe está mesmo com Alzheimer. Com expliquei antes, no caso da sua mãe com certeza há um processo inflamatório decorrente do Reumatismo que está levando aos sintomas da doença.
    Neste caso o Etanercept será muito útil.
    A agressividade dela é causada pela região do cérebro chamado de Hipocampus que está sendo atingido pela inflamação. Os hormônios também ajudariam a proteger o cérebro.
    Se possível nos procure.
    Dr. Cesar Colaneri, CRM 20675-SP

    ResponderEliminar
  35. gostaria de saber quais são os efeitos da atrofia cerebral sozinha, sem ser comsequencia do mal de alzheimer

    ResponderEliminar
  36. Meu pai tem 66 anos. já tomou REminil, Exelon e Memantina e ele só piorou, tendo que retirar pois ficava muito agitado. Li que a glucoronolactona presente no redbull em pequenas quantidades ao longo do dia, podia acalmar e de facto ajuda, assim como comer um peras que são ricas nessa substancia. Contudo o açucar no sangue começou a aumentar. O Alzheimer é chamado o diabetes tipo 3. Tem a ver com a falta de glicose no sangue. Alguém me sabe indicar se existe alguma medicação ou suplemento alimentar rico em glucoronolactona, sem ser o redbull ou as peras? Existe alguma medicação para a neuroglicopenia?

    ResponderEliminar
  37. Correcção

    O Alzheimer é chamado o diabetes tipo 3. Tem a ver com a falta de glicose no cérebro.

    ResponderEliminar
  38. meu pai toma varios remedios de alzaimer e todos o deixam irritado não dorme,não consegue fazer xixi, fala de coisa antiga e tambem de coia que nunca existiu, tomou rivotril,esta tomando neosine e lexotam só que não melhora naõ sabemos o que fazer

    ResponderEliminar
  39. Meu nome é Letícia e gostaria que vocês me indicassem uma clínica para o tratamento desta doença no vale do Paraíba, pois estou desesperada diante do quadro de anti socialismo e agressividade da minha querida mamãezinha com 73 anos.Obrigada.

    ResponderEliminar
  40. Dr Cesar responde

    Cara Letícia.
    Procure um Psiquiatra de sua cidade que ele tem condições de tratar sua mãe ou venha a SP para um tratamento completo
    Dr Cesar

    ResponderEliminar
  41. Olá, Dr!
    Meu nome é Lara!
    Sou pós-graduanda em Neuropsicopedagogia e estamos fazendo uma pesquisa sobre o Alzheimer e seus novos meios de terapia medicamentosa.Você poderia citar algumas novidades no tratamento dessa doença?
    Muito obrigada e parabéns pela iniciativa de ajudar as famílias que sofrem com um ente querido acometido por essa doença degenerativa!
    Abraço fraterno!

    ResponderEliminar
  42. Dr cesar responde:
    Cara Lara.
    Tratamento atuais em uso no mundo todo:
    Reposição hormonal, controle dietético e o uso da glucoronolactona, ativadores da circulação cerebral, uso do Etanercept, transplante autólogo de células tronco e estimulação magnética transcerebral cerebral
    Com tudo isso já se consegue controlar o Alzheimer.
    Se quizer vá a nossa clínica para maiores detalhes.
    DR Cesar

    ResponderEliminar
  43. DR.CESAR: gostaria de saber se aplicar esse novo medicamento,teria que ir até sua clinica, ou neurolista que trata de minha sogra poderia faze-lo em minha cidade que é Presidente Venceslau. Antecipadamente agradeço sua especial atenção. Luiz Antonio

    ResponderEliminar
  44. Dr Cesar responde:
    Caro Luiz...
    Converse com seu neurologista
    Caso ele não o faça, traga-a a SP
    Dr. Cesar

    ResponderEliminar
  45. Dr. Cesar

    Meu nome e Dayce! meu esposo está com alzheimer ele está com 57 anos.e usa alois(10mg).
    A doença foi diagnosticada em janeiro de 2010.
    Esta medicação é satisfatoria?
    Foi feita duas ressonâncias magneticas,citarei algumas conclusões das mesmas.
    atrofia moderada dos hipocampos.
    redução volumétrica encefalica moderada com espectroscopia de protons evidenciando aumento do emaranhado de neurofibrilares.
    leucariose supratentorial em grau moderado.
    desde já agradeço pela atenção!

    ResponderEliminar
  46. Dr Cesar responde...

    Cara Dayce...
    Não é satisfatória. Existem muitas outras condutas para o Alzheimer que vão desde dieta apropriada, hormônios, melhora da imunidade, antiinflamatórios e etc.
    Sugiro uma visita ao nosso site www.clinicacolaneri.com.br
    Ou no procure.
    Dr Cesar

    ResponderEliminar
  47. Dr. César,

    Será normal após três dias de aplicação do selo Prometax 4,6 meu pai ficar muito agitado e muito confuso. Isso passa?

    obrigada

    ResponderEliminar
  48. Dr Cesar.
    Vivo em Portugal e minha mulher com 51 anos foi-lhe diagnosticado degeneração cortico-basal. Perdeu o controlo do movimento, deixou de falar. Hoje está numa cama. Houve e compreende o que se lhe diz mas muitas vezes não reage ao que se passa à sua volta.
    Penso que é uma doença do foro do Alzeihmer. Hoje está com 61 anos, come bem e vai engordando. Tem 5 filhos que precisam dela. Eu como marido choro todos os dias. Será possível pensar no Enbrel? Como fazer? Meu e-mail Lebredefreitas@gmail.com
    Muito obrigado pela resposta que anseio.
    António Lebre de Freitas.

    ResponderEliminar
  49. Dr. Cesar Colaneri responde:

    Caro Sr Antonio
    O Mal Alzheimer é considerado um sintoma de alguma doença cerebral. Não é uma doença específica. E a degeneração cortiço-basal é uma delas.
    A principal causa da degeneração cortiço-basal é uma deficiência circulatória tipo micro derrame cerebral.
    Se não tratada, esta patologia leva ao Alzheimer.
    No caso de sua esposa além do tratamento convencional (reposição hormonal inclusive) sugerimos o Enbrel e o Transplante Autólogo de Células Tronco para a correção das lesões cerebrais já existentes.
    Infelizmente não conhecemos nenhum médico aí em Portugal que faça tal tratamento.
    Caso venha para o Brasil, poderemos orientá-lo melhor.
    Sem mais,
    Dr. Cesar

    ResponderEliminar
  50. Caro Dr Cesar,
    Meu marido esta muito deprimido e ja certa feita diagnosticaram que ele era bipolar, isto ha uns 10 anos. Ultimamente tomava antidepressivo e Depakine. Ele mudou a voz. No momemto foi a um medico que sem fazer investigacao passou Reminil. Ha tres semanas tomando comecou a tremer as maos para pegar a manteiga ou geleia e nao tem dormido, chegando ontem a passar a noite em branco sem um minuto de dono e fala que sente uma agonia na cabeca. Hoje foi fazer ressonancia magnetica. Dr. gostaria de uma orientacao. Que exames fazer para constatar se ele te Alzeimer,pois o remedio que ele passou na primeira consulta foi para este mal, estou aflita. Anseio pela resposta e agradeco penhoradamente.
    Margarida Dantas

    ResponderEliminar
  51. meu pai tem 81 anos ja levei em varios medicos e me disserao q ele esta com alzheimer em outras palavras me disserao q esta com envehecimento da mente precoce fez varios esames estava tomando eraz mas nao adapitouse ai outro medico indicou alois + nao estou vendo grande resultado ele as vezes e agrecivo as vezes se da de criança joga coisas no chao da rizada a toa faz gracinhas nao sei + o q faço

    ResponderEliminar
  52. Meu nome é Sandro Marcelo,sou filho único, e tenho somente minha mãe que Amo muito, ela só tem 63 aninhos. infelizmente este ano descobrimos que ela esta com esta terrivel doença (Alzheimer), estamos tratando com Exelon 1,5. Peço urgentemente ajuda, pois moro no Norte do País onde tudo é mais díficil.meu email
    sandro.marcelo@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  53. Cara Sra Margarida...
    Os sintomas de seu marido indicam mais o Parkinson do que o Alzheimer.
    Faça uma Ressonância Magnética Cerebral com enfase para avaliar o Hipocampus.
    E se possível venha a Clinica para um diagnóstico definitivo
    Dr Cesar Colaneri
    CRM 20675 SP
    www.clinicacolaneri.com.br

    ResponderEliminar
  54. Gostaria de saber se houve evolução na questão do uso do enbrel como tratamento do alzheimer, e se possível informar qto custa.

    ResponderEliminar
  55. Caro Dr Cesar, meu nome é Romildo, minha mãe tem 70 anos é diabética e hipertensa, a 2 anos ela teve dois episódios de se perder, e um quadro de tristeza,e perca motivação para realizar tarefas corriqueiras, pouca comunicação foi avaliada por um neurologista, que iniciou com sertralina 50 mg, ela teve uma melhora gradativa do quadro,melhorou uns 80%, mas interrompeu o uso da sertralina e apos uma semana teve uma piora súbita, de não reconhecer onde estava e as pessoas próximas, foi avaliada por um psiquiatra que aumentou a sertralina para 100mg sem melhora , procuramos um neurologista que iniciou com exelon, ouve uma melhora no incio mas vem piorando, hoje ela esta com dificuldades para andar e para comunicar e se alimenta com dificuldades, incontinência urinaria, esta fazendo uso de exelon 4,5mg 2 x dia, alois 10mg 1 x dia,propranolol 40 mg 1x dia, sertralina 50mg 1x dia, metiformina 500mg 3 x dia, daonil 2 x dia.O que posso melhorar, a evolução está muito rapida.

    ResponderEliminar
  56. Dr Cesar Colaneri responde:

    Caro Romildo
    A causa dos disturbios de sua mãe é o Diabetes mal tratado. Ele costuma entupir os vasos cerebrais e causar um dano cerebral que leva ao Alzheimer.
    Traga sua mãe a SP para um tratamento correto. Ela deverá receber além de medicamentos para o Diabetes, a TMS (Estimulação Magnética Cerebral), Transplante Autólogo de Células Tronco e Reposição Hormonal.
    O Transplante só é feito na Ciudade del Leste - Paraguai, anexa a Foz de Iguasú - Paraná, pois ainda não é permitido fazê-lo no Brasil.
    Sem mais,
    DR Cesar Colaneri
    CRM 20675-SP

    ResponderEliminar
  57. Dr.Cesar
    Meu pai tem 75 anos e foi diagnosticado alzeimer a 3 anos e sofremos muito.
    Ele esta tomando memantina 10mg 2cp dia e fumarato de queatipina 25mg 4cp ao dia ,o problema é que só ta piorando e ja levamos em 3 médicos eles trocam o medicamento mandam diminuir a dose uma confusão , sei que minha mãe está apavorada, e foi feita várias ressonãncia magnetica e nada se resolve , ele está muito agressivo e com alucinações e agora por ultimo, tambem está tomando ceroquel.
    Me ajuda Dr. não sabemos mais o que fazer ,por favor dai-me uma luz.
    Grata

    ResponderEliminar
  58. Dr. cesar
    Minha sogra tem 75 anos e esta com Alzheimer, a pelo menos uns dois anos, tendo se agravado recentemente, ela ainda se lembra de algumas coisas, tipo quem são seus filhos, nome das pessoas a sua volta e ainda lembra de mim, ela esta usando Memantina, gostaria de saber se ela pode utilizar esse tipo de tratamento novo com Etanercept, e também como é feita aplicação deste medicamento, pois ouvi dizer que algumas aplicações são feitas diretamente no cerebro, isso é verdade? Desde de já o meu muito obrigado.

    ResponderEliminar
  59. minha mãe tem 76 anos há 4 anos tem alzheimer por favor me responda dando um parecer pois a mesma toma eranz seroquel e heimer e não vejo resultado por favor me ajude .

    ResponderEliminar
  60. Minha mâe tem [AlZHEIMER] a 9 anos começou de repente , da noite pro dia Já tomou varios medicamentos,,,,,decido parar por nâo ver melhora ,o exame deu um pequeno derrame em um vaso , mas o esquecimento evoluiu,,,,,,será mesmo DA ? se nâo for a medicaçao é a mesma?

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.