quarta-feira, 27 de janeiro de 2021


 Sueltos

VERGONHA!

De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto (Rui Barbosa).

Envergonhado na minha condição de cidadão deste país, começo por citar este naco de prosa sobre  um deputado do Partido Socialista, eleito pelo círculo eleitoral do Porto, cidade de gente honrada e trabalhadora, Eduardo Barroco de Melo que defendeu, esta terça-feira, na sua conta pessoal Twitter, a inclusão dos deputados nos grupos prioritários da vacinação contra o coronavírus, tendo chegado ao desplante inominável de criticar os seu pares de bancada que, “ad contario”, em  nobre atitude de amor ao próximo,  rejeitaram a sua administração prioritária em benefício pessoal. Os seu nomes, brevemente, cairão no esquecimento mas o nome de Eduardo Barroco de Melo perdurará em gente com memória porque o tempo nem sempre é uma esponja que apaga da memória situações deste tipo.   

Espero que António Costa para tentar, ainda que em vão, salvar a honra do PS, qual casa em ruínas,  que aparece constantemente em notícia públicas  de escândalos ventilados nos media não lhe desculpe esta vergonha chamando-o ao seu gabinete oficial para lhe dar um puxão de orelhas que ele, em boa verdade merece.

O destino olhou por ele embalando-o em berço de rendas ao não lhe permitir a veleidade de estudar na Escola Náutica para vir a desempenhar funções  de comandante de navio de passageiros sendo o último a abandoar um barco prestes a soçobrar. O não cumprimento deste preceito  faz com esse poltrão seja demitido sem demora.

Mas ele, deputado,  não está neste salve-se quem puder por haver já uma lista de políticos, logo de deputados,  para passarem à frente de trapos velhos, alguns verdadeiros farrapos humanos, depois de uma vida de sacrifícios prestados ao país que serão ultrapassados por a maioria deles com  honrosas  execepções que,  com muita dignidade ,se recusarem a entrar nessa lista.

Lista que, finalmente, como eu já defendi publicamente passará a englobar os bombeiros que transportando nas ambulâncias doentes do coronavírus pertencem ao número da população  que corre mais risco e que muito  necessários são num ocasião de verdadeira calamidade cujos efeitos finais se desconhecem e  em que Portugal ocupa o primeiro lugar de mortes pelo coronavírus por milhão de habitantes. Esta  a verdade nua e crua!


2 comentários:

  1. Segundo acabo de ser informado, para que os velhos fossem tidos como prioritários reintegrarem a lista das primeiras pessoas a serem vacinadas foi preciso António Costa ir a Bruxelas onde lhe disseram que os velhos estão a morrer em maior número.

    ResponderEliminar
  2. Mais uma notícia sem eu a comentar. O leitor que tire as respectivas ilacções: "Unidades de Saúde Familiar querem informação 'clara' sobre vacinação".

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.