THE PORTUGUESE RECTORS ON THE EUROPEAN SCIENCE FOUNDATION EVALUATION

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Stephen Gray e a Descoberta dos Condutores e Isolantes


Informação bibliográfica  recebida no De Rerum Natura:

S. L. B. Boss, A. K. T. Assis e J. J. Caluzi, "Stephen Gray e a Descoberta dos Condutores e Isolantes. Tradução Comentada de Seus Artigos sobre Eletricidade e Reprodução de Seus Principais Experimentos" (Editora Cultura Acadêmica da Unesp, São Paulo, 2012), 458 páginas, ISBN: 978-85-7983-374-8.
 Ele está disponível para download gratuito (3 Mb) em:
 http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=354 

O livro trata da vida e da obra de Stephen Gray (1666-1736) e de sua principal descoberta, os condutores e isolantes de eletricidade. O fato de que o âmbar atritado atrai corpos leves já era conhecido desde os gregos antigos. Durante mais de 2.000 anos este efeito não passou de uma curiosidade científica. Hoje em dia todos associam os metais aos fenômenos elétricos, seja nas tomadas e fiações das residências, nos motores, nas linhas de transmissão ou no para-raios. Porém, por mais de 2.000 anos ninguém havia conseguido com que os metais demonstrassem propriedades elétricas, tais como atrair corpos leves em suas proximidades, por mais que os metais fossem atritados, martelados ou aquecidos. Gray descobriu os condutores e isolantes elétricos. Ao isolar eletricamente os condutores da terra, conseguiu fazer com que atraíssem corpos leves colocados em suas proximidades. Para isto aproximava um corpo eletrizado de uma extremidade do condutor, fazendo com que a outra extremidade do condutor atraísse corpos leves. Este fenômeno é conhecido hoje em dia como indução ou polarização elétrica. Entre os condutores que Gray conseguiu eletrizar desta forma estavam os metais e o corpo humano. Ele também descobriu as principais propriedades dos condutores e isolantes. Seu principal artigo sobre o tema foi publicado em 1731, após a morte de Isaac Newton (1642-1727). A descoberta feita por Gray dos condutores e isolantes é uma das mais importantes de toda a história da eletricidade. Esta descoberta tardia abriu as portas para todas as aplicações da eletricidade. Logo foram inventados diversos instrumentos elétricos, tais como o pêndulo elétrico, o eletroscópio e o eletrômetro. Charles Du Fay, seguindo as pesquisas de Gray, descobre em 1733 os dois tipos de eletricidade, denominados hoje em dia de cargas positivas e negativas. Todas estas são descobertas muito recentes na história da ciência quando comparadas com o conhecimento da astronomia, da mecânica, da óptica ou da gravitação.  Gray foi também o pioneiro na criação de eletretos, substâncias que apresentam uma eletrização de longa duração (alguns minutos, horas, dias ou meses). Ou seja, mostrou como preservar temporalmente a eletrização dos corpos.

O livro apresenta uma biografia de Gray, que tem uma história fascinante. Sua profissão foi de tintureiro, sendo também um cientista amador. Nunca cursou uma universidade. Quando fez suas principais descobertas estava com mais de 60 anos, aposentado, vivendo em uma instituição de caridade mantida por alguns aristocratas.

 O livro contém também uma tradução completa e comentada de seus 10 artigos sobre eletricidade. Seus experimentos são contextualizados, ilustrados com figuras didáticas e explicados com base nos conhecimentos atuais de física. O livro mostra também como reproduzir suas principais experiências com materiais de baixo custo. Tudo isto permite que este material possa ser utilizado com proveito em salas de aula a nível de ensino médio ou universitário.

 A versão impressa pode ser adquirida no seguinte site:

https://book7.com.br/products/Stephen-Gray-e-a-descoberta-dos-condutores-e-isolantes-9788579833748.html

1 comentário:

  1. Grande parte em educação infantil (no caso o Brasil ) é aplicada distanciada do mérito educativo familiar e esta questão é pedra do sapato. aqui no Brasil a continuidade escolar a suor da camisa vale o diploma egente humilde tras consigo o empenho do valor; eis valorizando a inteligência um ousado celeiro.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.