sexta-feira, 12 de junho de 2015

Cousas úteis, cousas praticas...

Em educação, as novas ideias têm a particularidade de serem sempre antigas... Eis uma dissertação de Eça... mas podíamos recuar alguns anos ou séculos e o resultado seria o mesmo.
- Villaça, Villaça, advertiu o abbade, de garfo no ar e um sorriso de santa malicia, não se deve fallar em latim aqui ao nosso nobre amigo... Não admite. acha que é antigo... Elle, antigo, é...
- Ora sirva-se d´esse ficassé, ande abbade, disse Affonso, que eu sei que é o seu fraco, e leixe lá o latim...
O abbade obedeceu com deleite; e escolhendo no molho rico os bons pedaços de ave, ia murmurando:
- Deve-se começar pelo latimsinho, deve-se começar por lá... É a base; é a basesinha!
- Não! latim mais tarde! exclamou o Brown com um gesto possante! Prrimeiro forrça! Forrça! Musculo...
E repetio, duas vezes, agitando os formidáveis punhos:
- Prrimeiro musculo, musculo!...
Affonso appoiava-o gravemente. O Brown  estava na verdade. O latim era um luxo d´erudito... Nada mais absurdo que começar a ensinar a uma creança n´uma lingua morta quem foi Fabio, reio dos Sabinos, o caso do Grachos, e outros negocios d´uma nação extincta, deixando-o ao mesmo tempo sem saber o que é a chuva que o molha, como se faz o pão que come, e todas as outras cousas do Universo em que vive...
- Mas emfim os classicos, arriscou timidamente o abbade.
- Qual classicos! O primeiro deve do homem é viver. E para isso é necessario ser são, e ser forte. Toda a educação sensata consiste nìsto: crear a saude, a força e os seu habitos, desenvolver exclisivamente o animal, armal-o d´uma grande superioridade physica. Tal como se não tivesse alma. A alma vem depois... A alma é outro luxo. É um luxo de gente grande...
O abbade coçava a cabeça, com ar arripiado.
- A instrucçãosinha é necessaria, disse elle. Você não acha, Villaça? Que v. exª, sr. Affonso da Maia, tem visto mais mundo do que eu... Mas emfim a instrucçãosinha...
- A instrucção para uma creança não é recitar Tityre, tu patulae recubans... É saber factos, noções, cousas úteis, cousas praticas...
Eça de Queiroz, Os Maias: Cenas da vida romantica (1888). Porto: Livraria Internacional de Ernesto Chardron/ Lugan & Genelioux, Successores, Volume I, pp. 82-83.

3 comentários:

  1. "O mundo laboral vai mudar radicalmente", alerta Tyler Cowen
    por Helena Teixeira da Silva
    Tyler Cowen é uma espécie de estrela pop da economia. Isso já se sabia. Portanto, que tenha sido o único orador da conferência sobre o admirável mundo novo, a decorrer esta sexta-feira na Casa da Música, no Porto, a ser interrompido por um aplauso da sala não é exactamente surpreendente.
    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=4621104

    ResponderEliminar
  2. "Temos de parar com a obsessão de sermos todos muito empreendedores"
    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=4620724&page=-1

    ResponderEliminar
  3. Bom, uma das frases que os alunos se arriscam a aprender nas aulas de latim, é "primum vivere, deinde philosophari". Não tenho a certeza que aprendam esta noção de maneira mais eficaz nas outras disciplinas obrigatorias, incluindo nela as de educação fisica.

    Mas estou inteiramente de acordo com a Helena Damião e com o texto dos Maias : quem pretende que o ensino do latim tem vocação a substituir todos os outros defende um perfeito disparate. Estudasse latim mais a fundo e perceberia com certeza a que ponto isso é um disparate...

    Boas

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.