terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Um país à deriva...


Recupero este post sobre o BPN.

Agora vão ter de meter 500 milhões no BPN, em mais um aumento de capital que se vai realizar nos próximos dias. O buraco do banco, para diluir em 10 anos, é de 2000 milhões de euros, a somar aos 500 milhões de aumento de capital e aos 4,8 mil milhões que a CGD já emprestou ao BPN. Emprestou com o aval do Estado, isto é, se o BPN deixar de pagar quem paga é o Estado, ou seja, os contribuintes.

Isto é uma vergonha imensa. Não pode ficar por esclarecer e o dinheiro tem de ser recuperado. Caso contrário está tudo em causa.

Os números são astronómicos. A sério: isto não pode ficar assim.

Se as perdas fossem assumidas hoje, o custo directo para o Estado era de 2,5 mil milhões de euros. Se o BPN deixar de pagar o empréstimo à CGD temos de somar mais 4,8 mil milhões de euros, o que dá algo da ordem dos 7,3 mil milhões de euros. É um número astronómico.

Para terem uma ideia, com esse dinheiro era possível:
1. Construir 70 hospitais pediátricos como o de Coimbra (cada um custa 104 milhões de euros);
2. Comprar 486 mil FIAT 500 (cada um custa 15 mil euros);
3. Comprar 30 Airbus A380 (cada um custa 253,3 milhões de euros);
4. Pagar o funcionamento de todas as universidades portuguesas durante 10.4 anos (custam ~700 milhões de euros por ano);
5. Pagar 500 euros por mês a cada desempregado (600 mil actualmente) durante 24,3 meses (custaria 300 milhões por mês);
6. Construir o TGV com ligação ao Porto (5 mil milhões) e a Madrid (2,2 mil milhões) sem precisar de ajuda da UE;
7. Construir o novo aeroporto em Alcochete (5 mil milhões) e ainda sobravam 2,3 mil milhões para fazer hospitais, escolas, etc.
8. Fazer cerca de 141 obras iguais ao Metro Mondego (o custo da 1ª fase é de ~52 milhões de euros) que beneficiaria várias centenas de milhares de pessoas da zona centro de Portugal.

:-(

Bolas, haja vergonha!

11 comentários:

  1. Esta nação à deriva
    precisa de um timoneiro
    que sem pedir mais dinheiro
    a torne competitiva!

    JCN

    ResponderEliminar
  2. Longe de toda a ironia,
    governar a embarcação
    quando o vento é de feição
    qualquer um faz, que avaria!

    JCN

    ResponderEliminar
  3. Quando o governante perde
    do seu povo a confiança,
    até a própria esperança
    deixa de ter a cor verde!

    JCN

    ResponderEliminar
  4. Ora, meu caro Norberto Pires, as suas comparações sobre o que o dinheiro esportulado no BPN podia comprar não comovem ninguém. Se vir bem, comprando com esse dinheiro o Messi, o Cristiano Ronaldo e o Mourinho, pouco mais sobrava. É apenas isto que interessa ao povo que, por causa disto, não acha que esteja assim em jogo tanto dinheiro como isso.

    ResponderEliminar
  5. Mas que governo cafajeste! Pode? E o Povo não diz nada?!...Não há um levantamento popular?
    Manada mansa que aguenta a canga cada vez mais pesada...

    ..."comprando com esse dinheiro o Messi, o Cristiano Ronaldo e o Mourinho, pouco mais sobrava."
    Então é isso. O Povo não se admira mesmo.

    ResponderEliminar
  6. O Messi tem uma cláusula de rescisão de 250 milhões de euros. Admitindo que os outros custam o mesmo, podemos comprar os 3 por 750 milhões de euros. Ou seja, com 7.3 mil milhões podemos comprar 10 Messis, mais 10 Ronaldos e mais 10 Mourinhos: 20 jogadores como Ronaldo e e 10 treinadores
    :-)

    ResponderEliminar
  7. Ia agora mesmo escrever que o comentario do Funes era claramente falso quanto aos factos mao o autor do post antecipou-se.

    Cuidado com os exageros porque quando a ordem de grandeza e errada fazem perder credibilidade.

    ResponderEliminar
  8. Meu caro Norberto Pires e meu caro Anónimo das 22:52,

    Eu compreendo o meu exagero e compreendo o erro que vocês denunciam. Mas importa levar em linha de conta que o ser humano lida psicologicamente mal com os grandes números que não compreende. Por exemplo, um googol (10 elevado a 100) é, para qualquer um de nós um número ligeirissimamente maior do que 10 elevado a 96 ou 97. E isso também se passa ao nível dos milhões e dos milhares de milhões. Nós (e o povo com a escolaridade básica ainda mais) não sentimos a diferença real entre 500.000.000 e 5.000.000.000 de euros. Sabemos apenas que é muito dinheiro. Mas temos que pegar em papel e lápis para perceber a diferença entre os dois valores. Peguemos, por exemplo, na comparação com os 500 euros por mês a cada desempregado, usada por Norberto Pires. Nas minhas contas, numa base de 600.000 desempregados, isso dá, 300.000.000,00 de euros por mês (600.000 x 500), ou seja, 3.600.000.000,00 € por anos. Quer dizer, se não tiver errado, o dinheiro espatifado no BPN dá para pagar 500 euros aos desempregados durante pouco mais de dois anos e não durante os 24,3 apontados. Norberto Pires fez as contas de um mês como se fossem de um ano. É o problema dos grandes números. Um grande número ou um grande número dez vezes maior, para nós, é exactamente a mesma coisa. Para o comum dos mortais, a cláusula de rescisão do Messi e o dinheiro enterrado no BPN não se distinguem. Em ambos os casos, trata-se de quantias impensáveis.

    ResponderEliminar
  9. Tinha um erro no ponto 5. Queria dizer meses, mas disse anos. Está corrigido.
    :-)

    ResponderEliminar
  10. Meus amigos, o dinheiro não tem valor intrínseco, é tudo uma convenção. O valor está no trabalho, nos seres humanos, na matéria não na sua sombra. Isto é que tem sido esquecido e/ou ocultado ao comum dos mortais. Há verdades que são eternas e essas são as únicas que nos interessam realmente.

    ResponderEliminar
  11. Qual é o valor "intrínseco" de uma tela de Velázquez... que vale um montáo de notas de papel? JCN

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.