sábado, 25 de junho de 2022

PAULA REGO

Deste à singular pintura, tua,
bebida no sangue das tuas feridas,
uma violência perversa e nua, 
só própria das almas destemidas.

Acendeste uma luz muito clara,
na vida torturada das mulheres
e desvendaste a odiosa tara
dos que tinham masculinos poderes.

Mas fizeste mais do que desvendar:
vingaste-te, com desmedida força,
de quem está disposta a assassinar

e de quem goza quando se desforça.
Contas ajustadas em tela e tinta,
que tudo, debaixo do sol, se pinta. 

Eugénio Lisboa

2 comentários:

  1. "Na pintura há muito mais do que a obra visualmente consagrada - é condição nossa pensar" (José Saramago)

    ResponderEliminar
  2. Se agora anda a ler Saramago, estamos conversados. Já deixou cair o Caraça, o Lopes Graça e o Abel Salazar? Ingrato! Quanto ao Saramago, vou dar-lhe a minha cândida opinião: não li e não gostei. E fico-me por aqui.
    Eugénio Lisboa
    P. S. - Como é que Ildefonso Dias faz no Parlamento? Também bombardeia os camaradas com citações do Saramago, Caraça & outros? Nunca tem nada a dizer de seu? Custa assim tanto ter uma pequena ideia própria?

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.