quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

“VARO: DEVOLVE AS MINHAS LEGIÕES!”


Texto o historiador João de Gouveia Monteiro, especialista em história militar, saído antes no "Diário de Coimbra" (em cima início de um documentário do "Learning Channel" sobre o mesmo tema):

O acontecimento histórico que evoco hoje teve lugar há dois mil anos. Corria o ano 9 da era de Cristo quando o fabuloso exército romano (que consumia cerca de 90% dos recursos do orçamento do Estado romano!) sofreu uma das maiores humilhações da sua história. Aconteceu em Teutoburgwald (ou floresta de Teutoberg), na parte noroeste da Alemanha, perto de Osnabrück e da fronteira com a actual Holanda. Nada mais, nada menos do que três legiões romanas (cerca de 15.000 homens, quase todos peões), acompanhadas por seis coortes de infantaria auxiliar e por três alas de cavalaria auxiliar (tropas de origem bárbara recrutadas nas fronteiras do Império) foram surpreendidas e aniquiladas por uma força de Germanos chefiada pelo líder rebelde Armínio, príncipe dos Queruscos. A operação, além de brutal (nela pereceram uns 20.000 soldados), teve algo de insólito. O exército romano era chefiado por Públio Quintílio Varo, legado provincial da Germânia, antigo governador da Síria e parente de Octávio Augusto, o primeiro imperador romano (27 a.C.–14 d.C.). A marcha florestal que Varo levava a cabo na Germânia inseria-se no projecto de Augusto para fazer chegar as fronteiras do colossal Império até às margens do rio Elba. Os riscos eram conhecidos, mas havia um pelo qual Varo decerto não esperava: ser surpreendido e dizimado durante a marcha por uma emboscada planeada e liderada pelo seu amigo pessoal Armínio, um antigo servidor do exército romano e um homem que chegara a receber a cidadania romana e o estatuto de cavaleiro de Roma… Não se conhecem demasiados detalhes da operação, mas os arqueólogos identificaram o local da emboscada e têm revelado elementos impressionantes para o conhecimento da verdadeira dimensão da chacina. Sabe-se também que Varo, desesperado com a surpresa do ataque germânico, se suicidou antes de consumado o massacre (algo bastante contrário ao procedimento habitual dos generais romanos). Nos dias seguintes, muitos pequenos destacamentos de tropas romanas espalhados pela região sofreram ataques violentos dos bárbaros, entusiasmados com o sucesso da operação de Teutoburgwald, sendo poucos os legionários e auxiliares que conseguiram alcançar em segurança a região do rio Reno, para aí ficarem ao abrigo de outras legiões do Império. O desastre configurou um dos poucos fracassos do projecto militar de Augusto, cujo exército (contando perto de 300.000 efectivos, distribuídos por 25 legiões, tropas auxiliares, guarnição de Roma e marinha) conquistara o Noroeste da Península Ibérica, os Alpes e os seus grandes vales, que submetera a Judeia e o Egipto e que ousara até promover expedições militares na Arábia (actual Jordânia) e na Etiópia. Compreende-se, por isso, o que as fontes literárias nos relatam acerca da reacção de Augusto, quando informado do desastre na floresta alemã: já bastante idoso, conta-se que deixou crescer o cabelo e a barba durante um mês, em sinal de luto, e que passou a vaguear pelo seu palácio, em Roma, batendo com a cabeça nas paredes e gritando: “Quintílio Varo, devolve as minhas legiões!”.

João Gouveia Monteiro

6 comentários:

  1. Acaso o nosso transmontano Vara será um avatar do Varo que pôs termo à vida após o massacre das suas legiões?!... Não deixa de ter a sua legitimidade... até pela oportunidade da sua evocação, dois mil anos após. Veio-me à ideia! JCN

    ResponderEliminar
  2. Também me veio à ideia... que o Herman (José) pode ser o avatr do Arminius que massacrou as legiões de Varo. Como tudo se veio a juntar na velha Lusitânea, passados dois milénios! Dá que pensar! Fumos do Quinto Império?!... JCN

    ResponderEliminar
  3. Não vejo o "Divus Augustus" a marrar com a cabeça nas paredes! Legiões... não lhe faltavam. Para contracenar com Mecenas, a abarrotar de dinheiro, faltou-lhe... foi um Vara! JCN

    ResponderEliminar
  4. Que rico negócio teria feito o Godinho com os despojos das legiões de Varo chacinadas nas florestas da Germânia! Entre estandartes,capacetes e gládios, fora outras miudezas, eram montanhas de sucata... ao desbarato! Que seca! JCN

    ResponderEliminar
  5. Varo deixou massacrar
    as suas três legiões:
    que contas há-de ele dar
    de tantos centuriões!

    Como não tinha saída,
    termo pôs à sua vida.

    Deus lhe dê descanso eterno
    nas profundezas do Averno!

    JCN

    ResponderEliminar
  6. Historicamente em "camisa de onze varas" Varo.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.