quinta-feira, 15 de junho de 2023

ENTRE O NADA E O INFINITO

Se eu soubesse conceber o nada,
talvez concebesse o infinito.
Entre um e outro, fica, bem guardada,
a nossa vida, feita de finito.

O infinito ninguém sabe o que seja,
o nada não há ninguém que o entenda.
Entre dois mistérios, a vida almeja,
evidente, por mais que surpreenda.

A vida entende-se por estar ali,
mas não se entende por que ou donde veio.
Eu vivi, mas não sei o que cumpri,

sempre devorado pelo anseio
de conseguir decifrar o mistério
de fulgor que acaba em cemitério.

Eugénio Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

EM DESLOUVOR DAS EPOPEIAS

As epopeias só celebram guerras, matanças e cornos assinalados, corridas tontas por plainos e serras, gritos, berros, brados misturados, via...