segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Sobre a pré-campanha eleitoral

Respondi há dias a uma perguntas do JN sobre a pré-campanha eleitoral:

- Viu algum debate? Achou-o(s) esclarecedor(es)?

- Vi só o último entre Costa e Rio. Foi melhor do que estava à espera. Os dois mostraram-se em geral preparados e respeitadores do antagonista. Os outros debates não vi porque pensei que era mais do mesmo. Dizem-me que foi. Os pequenos partidos foram excluídos e eles poderiam trazer novidades. 

- Quem mais se destacou?

- Rui Rio destacou-se mais porque entrou como grande derrotado. Mostrou que não merece perder por tantos. Já se sabe quem vai ganhar , mas talvez não venha a ser a goleada que as sondagens anunciam. Uma maioria absoluta seria má para a democracia e para o país.

 - Considera que os debates podem ter sido decisivos? 

 - Decisivos não diria, mas ajudarão alguns indecisos a formar opinião. Para verem se os intervenientes são consistentes e sabem do que falam . Não vi os vários debates, como disse, mas fontes bem informadas disseram-me por exemplo que o PAN só sabe de um assunto e sobre esse assunto não sabe muito. E também me contaram da gaffe da Catarina Martins sobre a evaporação da água nas barragens, que achei muito divertida.

 - O que gostava de ter visto ser debatido? 

 - A ciência e a tecnologia porque elas marcam o mundo moderno (apesar de a nova Presidente da Europa ter deixado cair as palavras ciência e investigação nas pastas que distribuiu). Falou-se de ambiente que tem a ver com ciência, mas o papel da ciência podia ter ficado mais claro. Portugal está muito longe dos padrões europeus de ciência e tem de haver uma aposta forte nessa área. O debate entre Costa e Rio foi no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva e de ciência não houve ali praticamente nada. De cultura não houve mesmo nada. E de educação também houve muito pouco, quase só a questão dos professores.

1 comentário:

  1. O professor Carlos fiolhais pensa que a tal senhora CM, estava bem era a lavar pratos, onde poderia poupar água, etc. e pensa o mesmo que eu.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.