sábado, 26 de setembro de 2020

"QUO VADIS" PORTUGAL?


                                                                    “A falsa modéstia é o último requinte de vaidade”                                                                        (Jean de la Bruyère, moralista francês, 1645-1696).

Não sei se por coincidência ou não, nestes poucos dias que faltam para as eleições autárquicas e presidencial  (respectivamente, 25 de Outubro deste ano Janeiro do próximo ano) têm  sido noticiados escândalos acontecidos com  gastos escandalosos camarários (v.g., automóvel Audi de 86.000 adquirido pela edilidade de Coimbra e sobre o qual continua a reinar um silêncio tumular) e os casos  da Messe de Oficiais da Força Aérea gerida por um major general e um coronel, finalmente, sob a alçada da justiça como que a dar o ar que a justiça apesar de coxa ainda se move. Ela move-se trôpega e envergonhada em vésperas eleitorais, como que a modos para inglês ver,  por acordar da sua letargia em  breves espaços de épocas eleitorais.

Simples grão de areia da vida nacional, ao longo da minha vida, tenho feito os possíveis por me manter digno das homenagens que me têm sido prestadas, por exemplo, pela Faculdade  de Educação Física e Ciências do Desporto da Universidade de Coimbra (“Prestigio Profissional”, Março de 2019) e pela Federação Portuguesa de Culturismo (Julho de 2020).

Honrado por estas homenagens, ingratidão minha seria não mencionar, aqui e agora, uma declaração que me foi prestada pelo meu querido e saudoso Director da Escola do Magistério Primário de Coimbra, Dr.  Ilídio Falcão,  em que leccionei durante uma década, personalidade respeitada e respeitável de uma Escola de Valores que formou uma plêiade de excelentes professores do antigo magistério primário.

 Escreveu ele nessa declaração que transcrevo “verbo pro verbo”:

“Ilídio de Jesus Coelho Falcão, director da Escola do Magistério de Coimbra, declara, para todos os efeitos:

1.Que o licenciado em Educação Física e ex-assistente do Instituto Superior de Educação Física da Universidade do Porto - RUI VASCO JÙLIO PEREIRA DA SILVA BAPTISTA  - é professor desta Escola da área de Educação Física desde o ano escolar de1976771977, tendo sido colocado, por destacamento, na sequência de concurso nacional.

2.Que, no exercício das suas funções, sempre relevou excepcional competência, zelo e disponibilidade, quer na área científica, quer na cultural e pedagógica, quer ainda no relacionamento humano.

Testemunham este juízo de valor vários factos relevantes: o elevado nível da sua docência, reconhecido por alunos-mestres e professores; a extensão das suas acções deformação de professores, porque constantemente solicitado; os variados seminários, cursos e apoios de natureza científica e pedagógica efectuados, dentro e fora da Escola; os colóquios realizados e as conferências proferidas a nível interno ou a nível externo, caso dos Rotários, Direcção-Geral dos Desportos e outras instituições sociais e educacionais.

A sua excepcional capacidade empática permite-lhe um relacionamento espontâneo  com toda a população da Escola: alunos, colegas e funcionários, sabendo criar um clima aberto de verdadeira amizade. Bem pode dizer-se que constitui um verdadeiro Educador.

Coimbra – 26 de Abril de 1989.”

Contemplado com homenagens académicas,  informações elogiosas sobre a minha docência e um louvor em Boletim Oficial de Moçambique pelo meu cargo de Inspector de Educação Física, de mal ficaria com a minha consciência por omissão de  um sem número de comentários elogiosos com que me têm honrado antigos alunos da mui saudosa Escola Industrial Mouzinho de Lourenço Marques. Aproveito esta  ocasião soberana para dar este exemplo que espelha muitos outos que se têm afogado num “mare magnum” de não citações. Que me saibam perdoar os seus autores a sua omissão.

Reporta-se este comentário  a um texto aqui publicado há dias da autoria de Carlo Silva. Reproduzo-o:

Parabéns pelos seus excelentes artigos publicados ao longo de décadas e sobre vários temas. Mas como são politicamente  incorrectos,  os "mídia" e poder politico são uns cobardes salvo raras excepções. 90 anos [ligeira correcção minha, 89 anos] e ainda ter capacidade intelectual para exprimir desta maneira merecia ser homenageado.” E, como tal, era aí sugerido a edição de um livro de todos artigos por mim  escritos ate à presente data [só em artigos de jornais nacionais e regionais, de entre eles o “Público”, remontam eles a um milhar]. O nosso amigo Big Samuel Slam talvez pudesse ajudar com  os que regressaram de Moçambique, os que ainda estão vivos e espalhados pelo mundo, seus filhos e familiares ,pelo menos cobrissem os custos. E mais tarde os netos e bisnetos irão até á Torre do Tombo á procura do livro.

Saúde quanto baste para si e para os seus

Abraços. Carlos Silva.”

Da minha parte, mereceu este comentário a seguinte resposta:

“Estimadíssimo Carlos Silva: Agradeço comovido a sua mensagem embora a considere uma utopia, ainda que, como escreveu alguém, a utopia seja um sonho por realizar. No meu caso é um sonhar alto de mais para as minhas asas. Tenho-me preocupado em mante-me igual a mim próprio ao longo dos meus anos de vida. O que confesso me basta, assim como o respeito e amizade com que tenho sido cumulado por antigos e muitos estimados alunos da Escola Industrial Mouzinho de Albuquerque de Lourenço Marques, uma verdadeira Escola de Valores.  Aproveito a ocasião para dar o meu testemunho de muita gratidão por tal facto.

Rui Baptista”.

Nem de propósito, vi, dias atrás, um pequeno filme na televisão, não sei se “fake new” ou não, em que o presidente da Guine Bissau, perseguia e esmurrava forte e feio, entre carros arrumados num parque de estacionamento , o respectivo ministro da Saúde acusado de ter desviados fundos do combate à epidemia do coronavírus, em justiça que em Portugal é chamada  de “Justiça de Fafe”.

E aqui surge-me outra dúvida: haverá um  primeiro-ministro lusitano com coragem e moral suficientes para esmurrar os governantes que delapidam a fazenda pública com os seus roubos mantendo-se  os atingidos expectantes  que a justiça os libe,  por serem defendidos por nomes sonantes da advocacia. ou que os crimes prescrevam?

Para isso, nem seria preciso tirar-lhes  “selfies”, de frente e de perfis,  com a indicação: PROCURAM-SE! Eles passeiam-se, descaradamente,  à vista de toda a gente,  quais recém-nascidos nuzinhos, puros e imaculados como a neve caída do céu antes de ser conspurcada por um chão imundo de corrupção! "Quo vadis" Portugal?"

1 comentário:

  1. O SEPARATISMO IDENTITÁRIO (separatismo-50-50) JÁ PECA POR TARDIO:
    -» OS AFRICANOS CAGAM PARA O EUROPEU-DO-SISTEMA: vandalizar/derrube de estátuas, etc, etc, etc... pois os africanos sabem o óbvio: o europeu-do-sistema do presente é igual ao do passado: quer é fazer negociatas com abundância de mão-de-obra servil.
    -» IDENTITÁRIOS CAGUEM TAMBÉM PARA O LEILOEIRO QUE NÃO GOSTA DE TRABALHAR PARA A SUSTENTABILIDADE (vulgo europeu-do-sistema do século XXI)!!!
    .
    .
    -» São muitas as corporações (a dos políticos inclusive):
    - que querem reformas antecipadas;
    - que não gostam de trabalhar para a sustentabilidade
    [nota: trabalhar para a sustentabilidade... não é ter (ou ter muitos) filhos... é sim, aceitar participar numa sociedade aonde são criadas as condições NECESSÁRIAS E SUFICIENTES para a sustentabilidade demográfica: acesso a barrigas de aluguer, acesso a bancos de óvulos, creches municipais a funcionar 24 horas por dia, etc];
    - que querem negociatas envolvendo abundância de mão-de-obra servil;
    - que querem leiloar tudo o que puderem a estrangeiros/naturalizados endinheirados... pois, e... garantindo o acesso a abundância de mão-de-obra servil os investidores vão pagar mais...
    RESULTADO: estas corporações consideram os Identitários um alvo-a-abater.
    .
    .
    Mais;
    Os leiloeiros (europeu-do-sistemaXXI) condenam o esclavagismo/colonialismo praticado por europeus... não no sentido de se condenarem a eles próprios [nota 1: eles é que querem efectuar negociatas com abundância de mão-de-obra servil; nota 2: eles é que defendem a substituição populacional dos autóctones... tendo em vista a rentabilização de investimentos]... mas sim no sentido de... atingir/desmantelar os Europeus Identitários (pois é, as Intenções Identitárias são uma chatice para as suas negociatas).
    .
    Mais, os leiloeiros:
    -1- acusam de «RACISTAS» a mão-de-obra servil que protesta afirmando o óbvio:
    - "num planeta aonde mais de 80% da riqueza está nas mãos dos mais ricos, que representam apenas 1% da população, quem deve pagar a ajuda aos povos mais pobres é a Taxa-Tobin, e não a degradação das condições de trabalho da mão-de-obra servil de outros povos";
    -2- acusam de «RACISTAS» os povos-dissidentes.
    {Exemplo: se a França do senhor Macron: exporta armas... que vão permitir com que a máfia do armamento lucre não apenas com a venda de armas, mas também com o acesso a recursos naturais de baixo custo (petróleo, etc)... mas mais... refugiados são deslocados para que investimentos (e para que povos: incluindo os franceses) possam ter acesso a abundância de mão-de-obra servil... mas mais... a França do senhor Macron quer que povos-dissidentes [ou seja, os povos que dizem «quem deve pagar a ajuda aos refugiados devem ser os países exportadores de armamento»] sejam considerados povos "RACISTAS", e alvo de sanções!!!...}
    -3- etc.
    .
    .
    ---» Os Separatistas Identitários não estão interessados em ‘tiques-dos-impérios´... mas sim, em LIBERDADE (a liberdade de terem tempo de prosperar ao seu ritmo) isto é:
    – todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
    [ blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/ ]
    .
    .
    .
    P.S.
    Ao contrário dos africanos (e de outros aspirantes a donos-da-demografia: trata-se de pessoal que investe no caos... para ocupar e dominar novos territórios), os Identitários não estão interessados em 'corridas demográficas'... no entanto, todavia... estão interessados em sustentabilidade demográfica; nota:
    —»» Promover a Monoparentalidade (sem ‘beliscar’ a Parentalidade Tradicional, e vice-versa) é evolução natural das sociedades tradicionalmente monogâmicas!!!
    Explicando melhor:
    – urge dar incentivos à disponibilidade emocional do indivíduo… isto é, ou seja, a SEXO, ORIENTAÇÃO SEXUAL, ESTADO CIVIL É IRRELEVANTE… importante mesmo é apoiar os indivíduos com disponibilidade emocional do indivíduo para criar/educar crianças!!!
    -» ver blog: http://tabusexo.blogspot.com/

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.