sábado, 24 de maio de 2014

Ai Se Sêsse

Um estudante do nordeste brasileiro que se encontra em Coimbra a fazer parte da formação para ser professor, deu-me a conhecer um poema maravilhoso da "literatura de cordel". O seu título é Ai Se Sêsse e escreveu-o Zé da Luz, grande poeta popular. Se o leitor o ler ou o ouvir (aqui e aqui) aposto que sorrirá. É essa a força da arte...


Ai Se Sêsse
Zé da Luz

Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse 
a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse
e as virgi toda fugisse!

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.