terça-feira, 28 de junho de 2011

Onde o céu encontra a Terra


Divulgamos um interessante artigo de Guilherme de Almeida, professor aposentado de Física, sobre a linha do horizonte, que está incluído nos recursos do Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho: aqui.

Resumo:

A imensidão dos grandes espaços abertos faz-nos pensar que o horizonte está muito longe: a várias dezenas de quilómetros, para algumas pessoas, mais longe ainda para outras. Neste artigo mostra-se que não é assim e dão-se indicações para calcular a distância até essa linha "onde o mar e o céu se tocam", utilizando conceitos geométricos simples.

3 comentários:

  1. José Batista da Ascenção28 de junho de 2011 às 22:14

    Simples e bonito.
    Até aos meus olhos.

    Não usarei nas minhas aulas. Não se quadra. Mas é um artigo que também já guardei.
    Ah, pois.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. Varandas

    Das águas soubeste
    farias uma ponte
    a quem do monte
    celebra esta cidade

    quantas monções
    ergueram-se unidas
    serenas e atribuídas
    sagrando gerações

    alçaste da fonte
    se reino e réguas
    varandas estreladas

    ergues, rios e moradas
    neste vosso horizonte
    das divinas águas.

    ResponderEliminar
  3. Onde a imensidão encontra a terra o ardor da esperança é razão.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.