segunda-feira, 29 de junho de 2009

HUMOR CIENTÍFICO EM DOSE DUPLA

O humor de David Marçal, tal como apareceu no último Inimigo Público:

Criacionistas acreditam que vírus H1N1 saiu da arca de Noé

Para os neo-creacionistas biblico-literais americanos, mutações genéticas que conduzam à alteração das características de uma população de vírus é algo inconcebível. Assim, o Discovery Institute (uma espécie de congresso permanente de Vilar de Perdizes, mas com muito dinheiro) já emitiu um esclarecimento, contando como um casalinho de H1N1 desceu da arca de Noé no Monte Ararat, na Arménia, tendo levado uns poucos milhares de anos a chegar ao México (por causa das suas patinhas pequenas), onde resolveu constituir família (umas das poucas coisas que um vírus consegue fazer). Não conseguindo reproduzir-se autonomamente, recorreu a maquinaria genética das células de mamíferos para se multiplicar, uma espécie de tratamento de fertilidade para vírus.

Alunos acharam exame fácil, mas não perceberam se era de matemática ou português

"Eu achei o exame acessível. Por acaso pensei que era de português, mas se o senhor me está a dizer que era de matemática eu não discuto. É que no ano passado o exame de português foi nesta sala". As principais dificuldades apontadas pelos alunos foram encontrar a sala de exames e compreender a hora de início, mas para isso contaram com a ajuda dos encarregados de educação. "Eu deixei o meu filho à porta da sala de exame e depois enviei-lhe um SMS para tirar a caneta do estojo e preencher a folha que estava à frente dele".

12 comentários:

  1. Humor (??) científico (???).

    A sério, como é possível pagarem um bom dinheiro a este David Marçal para escrever estes exemplos de incapacidade humorística?

    Cheira a corrupção moral.

    ResponderEliminar
  2. DINOSSAUROS NA ARCA DE NOÉ?

    É sabido que o facto de se encontrar, com alguma frequência, tecidos moles não fossilizados, células, proteínas, vasos sanguíneos, em ossos de dinossauro (v.g. R Rex, Hadrossauro) demonstra que os mesmos não podem ter milhões de anos, como os evolucionistas afirmam.

    Os dinossauros foram criados há cerca de 6000 anos, na semana da criação, tendo sido quase extintos pelo dilúvio, em virtude do escasso número que estava na Arca e das alterações climáticas subsequentes a um cataclismo global sem qualquer paralelo na história da Terra.

    Muitos cépticos perguntam frequentemente aos criacionistas como é que os dinossauros poderiam
    ter cabido na Arca.

    A resposta já era simples, para os criacionistas. Como os dinossauros se reproduzem muito cedo, só dinossauros pequenos, em idade reprodutiva, é que caberiam na Arca.

    No entanto, um estudo recente veio afirmar a necessidade de rever em baixa a dimensão e o peso dos dinossauros, alertando para o carácter erróneo dos cálculos até hoje feitos para calcular esses valores.

    Os criacionistas não precisam desse argumento para corroborar a sua tese.

    No entanto, os criacionistas não deixarão de fazer referência a esse novo estudo, quanto mais não seja para mostrar o que existe de precário e de provisório nos "factos" da teoria da evolução.

    FONTE:
    Dinosaurs May Have Been Smaller Than Previously Thought
    ScienceDaily (June 22, 2009)


    P. S. quem quiser ver uma Arca com as medidas bíblicas pode procurar no google fotografias da réplica da mesma que foi construída em Hong Kong.

    Basta procurar no Google "Noah's Ark Hong Kong".

    ResponderEliminar
  3. MUTAÇÕES NÃO TRANSFORMAM VIRUS EM VIROLOGISTAS

    Os criacionistas acreditam nas mutações nos vírus. Apenas não acreditam que as mesmas criem a informação genética necessária a transformar vírus em virologistas, ou bactérias em bacteriologistas.

    Disso, não existe qualquer evidência empírica. Ela é apenas fantasiada pela imaginação dos evolucionistas.

    Se o David Marçal conseguir produzir a evidência de que as mutações conseguem codificar instruções inovadoras e mais complexas capazes de transformar vírus em virologistas, ou bactérias em bacteriologistas, teremos todo o gosto em mudar a nossa posição.

    Em todos os casos de mutações conhecidos, vírus são sempre vírus, e bactérias são sempre bactérias, caso não tenham reparado nisso.

    ResponderEliminar
  4. Paleontology and Creationism Meet but Don’t Mesh

    A version of this article appeared in print on June 30, 2009, on page D4 of the New York edition.


    Como é poliglota, deus podia tentar "aparecer" neste museu e servir de guia a excursões internacionais .

    ResponderEliminar
  5. «“Genesis is not science,” said Mary Dawson, curator emeritus of vertebrate paleontology at the Carnegie Museum of Natural History in Pittsburgh.

    “Genesis is a tale that was handed down for generations by people who really knew nothing about science, who knew nothing about natural history, and certainly knew nothing about what fossils were.”»

    ResponderEliminar
  6. «Os dinossauros foram criados na semana da Criação e extinguiram-se durante e depois do dilúvio e das alterações ambientais subsequentes.»


    - Os dinossauros foram criados na semana da Criação : de acordo com que versículo do Génesis 1 ?

    Ou seria segundo o outro relato “criacionista” bíblico, o do Génesis 2, fruto da "imaginação" de outro(s) escriba(s) …

    É no que dá a tradição de recorrer a fontes orais, que vão acumulando variações com o passar dos tempos.


    - e extinguiram-se durante e depois do dilúvio : o AT não utiliza em qualquer versículo a expressão “dinossauro” .

    Fala sim em dragões e outros seres mitológicos, o que não é original numa religião .

    Mitos são mitos, a começar pelo “elohim” .

    No vídeo do programa de Ken Ham, 08 – “Dinosaurs in the Bible” (da série “Answers In Genesis”), na gravura utilizada no período 15m04s-18s são representados dinossauros adultos a entrar na mítica “arca de Noé” .


    nota: ficheiro .avi, com 95,3 MB. Este vídeo dura 28m51s .

    ResponderEliminar
  7. Eu sei a resposta que resolve de uma vez por todas a polémica criacionismo/evolucionismo: os criacionistas eram as fêmeas dos dinossauros, tiveram muitos filhos que evoluiram e deram origem à espécie "(...)" cujo "boom" proliferativo se deu em pleno século XXI e que, segundo algumas teorias meio esotéricas, vai continuar em franca expansão pelo século XXII afora.

    ResponderEliminar
  8. COMENTÁRIOS CRIACIONISTAS A LUÍS ALBERTO

    "Os dinossauros foram criados na semana da Criação : de acordo com que versículo do Génesis 1?"

    De acordo com os vs. 21 e 24, conforme os casos. Qual é mesmo a dúvida?

    "Ou seria segundo o outro relato “criacionista” bíblico, o do Génesis 2, fruto da "imaginação" de outro(s) escriba(s) …"

    Pura ignorância do Luís Alberto! Trata-se do mesmo relato, apenas focado especificamente no ser humano e no local específico em que ele foi colocado.

    "É no que dá a tradição de recorrer a fontes orais, que vão acumulando variações com o passar dos tempos."

    Não se trata de fontes orais, mas muito provavelmente a fontes escritas. Hoje sabe-se que a escrita é muito mais antiga do que se pensava.

    Além disso, tudo indica que os relatos de Génesis correspondem a uma sucessão de registos patriarcais que vêm desde os primórdios.

    O Luis Alberto apoia-se em concepções ultrapassadas, desmentidas pelas evidências arqueológicas mais recentes, como facilmente se poderá demonstrar.


    "e extinguiram-se durante e depois do dilúvio : o AT não utiliza em qualquer versículo a expressão “dinossauro” ."

    Que burrice? Como poderia a Bíblia falar de dinossauros se a expressão foi criada por Robert Owen no século XIX?

    A Bíblia não só fala no "Leviathan" e no "Behemoth", no livro de Jó, como apresenta a descrição destes animais, a qual em tudo se assemelha com as representações actuais de dinossauros.


    "Fala sim em dragões e outros seres mitológicos, o que não é original numa religião"

    Dragão era a expressão antiga para designar animais com a aparência de dinossauro. Não se trata de mitos, mas da descrição daquilo que hoje designamos por dinossauros.

    Na verdade, em muitos monumentos da antiguidade encontramos representações semelhantes aos dinossauros.

    Por outro lado, o facto de se encontrar com alguma regularidade, ossos de dinossauro não fossilizados com tecidos moles, aminoácidos,proteínas, vasos sanguíneos e células, mostra que os dinossauros não podem ser tão antigos como se pensa.

    Temos relatos antigos com descrições de dinossauros, representações de dinossauros em monumentos antigos e ossos de dinossauro não fossilizados com tecidos moles.

    De que outra evidência necessitaríamos para concluir que os dinossauros são recentes e foram vistos pelos seres humanos?


    "Mitos são mitos, a começar pelo “elohim”."

    Afirmar uma crença não prova a sua verdade.
    Mito é a ideia de que a vida surgiu por acaso há 3,8 mil milhões de anos.

    Disso não existe qualquer evidência empírica nem descrição científica.


    Mito é afirmar, sem qualquer evidência observável ou experimental, que uma espécie se pode transformar noutra completamente diferente e mais complexa.

    É que tal nunca foi observado nem no mundo real nem em laboratório.

    ResponderEliminar
  9. Ignorante do relato bíblico ?

    "Inicialmente não existiam animais ou plantas carnívoras. Isso é dito claramente em Génesis 1:29."


    Tal não é dito em (Génesis 1:29), mas (Génesis 1:30):

    30 - E a todo animal da terra, e a toda ave dos céus, e a todo réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde lhes será para mantimento. E assim foi.

    ResponderEliminar
  10. Ignorante do relato bíblico ? (2)

    Qual dos escribas hebreus (o do Génesis 1 ou o do Génesis 2) “esteve presente” no 1º. (e restantes dias) da "criação" ?

    Porque os relatos são contraditórios, passados já milénios desde a tradução do AT para o grego : a Septuaginta (que constava no acervo da Biblioteca de Alexandria) .


    Um exemplo:


    (Genesis 1:25-27): o homem e a mulher foram criados depois dos outros animais.

    1:25 And God made the beast of the earth after his kind, and cattle after their kind, and every thing that creepeth upon the earth after his kind: and God saw that it was good.

    1:26 And God said, Let us make man in our image, after our likeness: and let them have dominion over the fish of the sea, and over the fowl of the air, and over the cattle, and over all the earth, and over every creeping thing that creepeth upon the earth.

    1:27 So God created man in his own image, in the image of God created he him; male and female created he them.


    (Genesis 2:18-22):o homem foi criado antes dos outros animais

    2:18 And the LORD God said, It is not good that the man should be alone; I will make him an help meet for him.

    2:19 And out of the ground the LORD God formed every beast of the field, and every fowl of the air; and brought them unto Adam to see what he would call them: and whatsoever Adam called every living creature, that was the name thereof.

    2:20 And Adam gave names to all cattle, and to the fowl of the air, and to every beast of the field; but for Adam there was not found an help meet for him.

    2:21 And the LORD God caused a deep sleep to fall upon Adam and he slept: and he took one of his ribs, and closed up the flesh instead thereof;

    2:22 And the rib, which the LORD God had taken from man, made he a woman, and brought her unto the man.


    Ver:

    Bible, KJV

    ResponderEliminar
  11. Cito (e disponibilizo um link - com o nickname do autor do comentário, "João" - que dá acesso directo ao comentário original):

    « João disse...

    "É sabido que o facto de se encontrar, com alguma frequência, tecidos moles não fossilizados, células, proteínas, vasos sanguíneos, em ossos de dinossauro (v.g. R Rex, Hadrossauro) demonstra que os mesmos não podem ter milhões de anos, como os evolucionistas afirmam."

    Que grande treta.

    Vejam aqui uma boa resposta:

    Análise ao artigo sobre a pesquisa de Schweitzer »

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.