terça-feira, 16 de dezembro de 2008

NOVOS LIVROS DA IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA


Informação recebida da Imprensa da Universidade de Coimbra (na foto, placas de agradecimento ao Dr. Sousa Martins, na base da sua estátua em, Lisboa, no Campo dos Mártires da Pátria):

Sousa Martins: Ciência e Espiritualismo

A Coordenadora Científica do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX e o Director da Imprensa da Universidade de Coimbra, têm o prazer de convidar para a apresentação do livro Sousa Martins: Ciência e Espiritualismo, de Sara Repolho, que terá lugar no dia 16 de Dezembro, pelas 17h30, no CEIS20. A apresentação da obra será feita pelo Senhor Dr. José Morgado Pereira.

José Tomás de Sousa Martins, nascido em 1843 em Alhandra (Vila Franca de Xira), marca a medicina e a sociedade portuguesa da segunda metade do século XIX. Médico e professor de Medicina, orador brilhante dotado de humor e inteligência, homem de actividade inesgotável e praticante incansável da caridade aos mais desfavorecidos, exerce forte influência nos colegas de profissão, nos alunos, nos pacientes... Esta influência desenvolve-se, transforma-se e ultrapassa os grilhões do tempo. A figura de Sousa Martins é modelada, assumindo contornos de santo laico, num culto actual, visível no Campo dos Mártires, em Lisboa, em torno da sua estátua, e no cemitério de Alhandra, onde está sepultado. Pretende-se nesta obra analisar os diferentes planos da acção de Sousa Martins, enquanto médico e enquanto ‘santo’, e as práticas de culto dos crentes que a ele recorrem.

Sara Repolho é licenciada em Psicologia, no ramo de Psicologia Pedagógica, pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. É mestre em História das Ideologias e das Utopias Contemporâneas, com especialização em História da Ciência, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Tem exercido Psicologia com crianças e jovens, no âmbito das dificuldades de aprendizagem e problemas de desenvolvimento. É investigadora não doutorada do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra – CEIS20, afecta ao Grupo de História e Sociologia da Ciência. Encontra-se a preparar doutoramento em Ciências e Tecnologias da Saúde, na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra.

Cultura: Imagens e Representações

A Directora do Arquivo da Universidade de Coimbra, a Coordenadora Científica do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra e o Director da Imprensa da Universidade de Coimbra têm o prazer de convidar para a apresentação do n.º 8 da Revista Estudos do Século XX, com o tema Cultura: Imagens e Representações, coordenada pelo Senhor Doutor Vitor Neto. A apresentação será feita pelo Senhor Doutor Norberto Cunha, na Sala D. João III do Arquivo da Universidade de Coimbra, no dia 17 de Dezembro de 2008, pelas 18h00.

Como em centúrias anteriores a cultura, as imagens e as representações foram dimensões fundamentais da totalidade social no século XX. Exprimindo-se no campo teórico, ou no plano das imagens e estas componentes da realidade manifestaram-se também na política, no ensino, na estética e na literatura. As representações da cultura foram igualmente uma das características mais significativas das “ideologias” do século passado. Na verdade, a super-estrutura cultural, nas suas diferentes manifestações, assumiu-se como vanguarda, como compromisso, ou como uma forma conservadora no processo histórico-cultural dialéctico correlacionado com a economia, a sociedade, o político (e a política). A cultura funcionou ainda como a mundovisão dos cidadãos na sua relação entre si, com o mundo e a natureza. Imersos nas suas actividades económicas, os homens produziam (e produzem) o seu sistema de representações acerca da sociedade e do universo, criavam (e criam) as suas visões sobre a realidade num momento muito marcado pela chamada “civilização da imagem”. A cultura, nas suas relações com a civilização, a política e o seu discurso, a ciência, as imagens e as suas crises, a criação cinematográfica e pictórica, a pedagogia, a memória, os mitos e os ritos revela uma das dimensões da realidade de um século politicamente dramático (se não trágico) e culturalmente rico e diversificado.

Colaboram na revista Alan Dowty, Georges Contogeorgis, Maria Bernardete Ramos Flores, Antonio Carlos Peixoto, Isabel Calado, Heloisa Paulo, Ana Isabel Martins, Massimo Morigi e Stefano Salmi, José Alexandre Cardoso Marques, Fausto Cruchinho, Paulo Cunha, Isabel Nogueira, António Augusto Simões Rodrigues e António Manuel Matoso Martinho, Augusto Monteiro, Luís Mota, Clara Isabel Serrano, Fernando Fava, Miguel Dias Santos, Fernando Tavares Pimenta, José Luís Lima Garcia, Sérgio Neto, João Rui Pita, Manuel Correia e José Morgado Pereira.
A revista Estudos do Século XX é dirigida por Maria Manuela Tavares Ribeiro.

O Tempo de Pedra

Terá lugar no próximo dia 18 de Dezembro, pelas 17h30, no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, a apresentação do livro O Tempo de Pedra, da autoria do Professor Doutor Rui Pena dos Reis, edição que se enquadra nas comemorações, em Portugal, do Ano Internacional do Planeta Terra. A apresentação será feita pelo Professor Doutor Filipe Duarte Santos, coordenador do Projecto SIAM – “Climate Change in Portugal. Scenarios, Impacts and Adaptation Measures”.

O presente trabalho tem como temática essencial a questão do tempo geológico e a sua relação com os grandes eventos de transformação da Terra, tal como testemunha o registo geológico do planeta. Em primeiro lugar, é apresentada uma visão interior do tempo, uma perspectiva pessoal do conceito na sua acepção mais vasta. Em seguida, o tempo é definido e discutido numa perspectiva de evolução histórica, sendo ainda abordadas as metodologias e os conceitos associados à sua definição. Os grandes temas da transformação da Terra, com ênfase na história climática, são tomados em seguida, a par dos códigos de leitura dos testemunhos do tempo, presentes nas rochas. Por fim, discute-se a questão do tempo actual no quadro da relação entre os seres humanos e as variáveis naturais.

Rui Paulo Bento Pena dos Reis é natural de Assentis, Torres Novas, onde nasceu em 15 de Junho de 1952. Graduado em Geologia pela Universidade de Coimbra em 1976, fez estudos de pós-graduação em França, na Universidade de Nancy 1, em Geoquímica, Petrologia e Metalogenia. Doutorou-se em Estratigrafia e Paleontologia na Universidade de Coimbra em 1984, onde é actualmente professor no Departamento de Ciências da Terra. De 1996 a 2000 foi director do Departamento de Geologia do Instituto Geológico e Mineiro, organismo do Ministério da Indústria. Nos últimos anos, tem cooperado estreitamente com universidades e companhias no domínio da pesquisa e exploração de hidrocarbonetos, estando associado à criação de formação especializada nesta área do conhecimento. É autor de numerosos trabalhos acerca da estratigrafia e geo-história de Bacia Lusitânica.

Sem comentários:

Publicar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.