sábado, 14 de novembro de 2015

RETRATO DA POLÍTICA DESASTROSA DE CRATO NA CIÊNCIA



Ontem foi anunciada a continuação do desinvestimento em ciência no mandato de Nuno Crato, que na prática nunca quis ser ministro da Ciência. Pelo quinto ano sucessivo o investimento em ciência cai (ver gráfico do Público). A queda desde 2009, em números absolutos, é superior ao orçamento total em ciência em 1995, quando começou  com Mariano Gago o Ministério da Ciência e Tecnologia. No governo demitido não há qualquer representante da ciência. A secretaria de Estado da Ciêncuia foi remetida, como um anexo, para a Secretaria de Estado do Ensino Superior, onde continua  José Ferreira Gomes, o professor de Química que, como afirmei à Visão, com a sua assinatura validou a pseudociência em Portugal. Sim, o ex-governo e o actual, que mais não é do que a continuação do anterior desinvestiram na ciência - cortando metade das unidades de investigação nacionais - mas ao mesmo tempo defenderam a pseudo-ciência ao darem crédito a formações nessas área!

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.