quarta-feira, 10 de outubro de 2018

ÍNDICE H DE PLATINA

Recebo, como suponho muita gente, numerosos mails de Pacheco-Torgal, que com persistência notável tem coleccionado dados sobre a ciência em Portugal, identificando alguns factores que serão críticos para o nosso desenvolvimento científico. Este seu post divulga o índice h de platina.  O índice h é muito usado: um investigador com o índice h tem h trabalhos com pelo menos h citações cada um. O índice h de platina faz duas modificações: - normaliza pelo tempo de actividade, favorecendo os mais novos (que fizeram mais em menos tempo) - normaliza pelo número total de citações sobre o número total de trabalhos (há quem tenha muitos trabalhos, mas sem citações) A escolha das pessoas que incluiu na tabela é da sua responsabilidade. Assim como os seus comentários. Sabia que o meu índice h do Google Scholar é 28 (com um total de 22 611 citações), mas não sabia o meu h índice de platina (em baixo usam-se os dados do Scopus e não do Google Scholar). Claro que estes índices valem o que valem. Ha mais vida para além dos índices h.


  "Abaixo tabela  com valores relativos ao índice proposto em 2015 pelo Editor-Chefe da revista Archives of Environmental & Occupational Health https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/19338244.2015.1016833
o qual é especialmente pertinente em face do teor do artigo (...) de um conhecido catedrático da Universidade de Stanford que comentou os colegas que no CV contam com largas centenas e até milhares de artigos e que este índice penaliza.
É por isso evidente que o mesmo é mais favorável a jovens investigadores (Maria Manuel Mota e Lilian Barros) e desfavorável a Professores em fim de carreira, como seja o caso do septuagenário Jorge Braga de Macedo que aparece no fim da lista. Porém é por demais evidente que a idade não explica tudo pois o catedrático septuagenário Claes Granqvist da Universidade de Uppsala têm um índice h platina de 72 e o catedrático quase septuagenário David Blanchflower da área da economia possui um índice platina de 82 !
Pode no entanto estar descansado o Catedrático Braga de Macedo pois que há catedráticos em Portugal com índice muito inferior ao dele, como seja por exemplo a catedrática Maria Conceição Araújo da Universidade do Porto que recentemente deu uma alegria aos amigos do Sr. Trump https://www.esquerda.net/artigo/universidade-do-porto-promove-conferencia-com-negacionistas-das-alteracoes-climaticas/56903  e a qual tem um índice h platina de 0.03."

Autor
Afiliação
Área
Scopus Platinum h-index
Self-citations of all authors excluded
 ((h-index/year)x(citations/articles))
HCR Miguel B. Araújo
CSIC/UÉvora
Ciências biológicas
464
HCR Nuno Peres   
Universidade do Minho
Física
363
Miguel Seabra
Universidade Nova
Ciências biomédicas
147
Rui Reis
Universidade do Minho
Engenharia de Tecidos
132
Carlos Fiolhais
Universidade de Coimbra
Física
101
Pedro Santa-Clara
Universidade NovaSBE
Economia
80
Maria M. Mota
Universidade de Lisboa
Ciências biomédicas
59
HCR Isabel Ferreira
Politéc. Bragança
Bioquímica
49
João Rocha
Universidade de Aveiro
Química Eng Q.
48
José Mata
Universidade NovaSBE
Economia
47
HCR Lilian Barros
Politéc. Bragança
Bioquímica
45
Elvira Fortunato
Universidade Nova
Ciência Eng Mat
34
Sobrinho Simões
Universidade do Porto
Ciências biomédicas
32
Paulo B. Lourenço
Universidade do Minho
Engenharia Civil
31
Alexandre Quintanilha
Universidade do Porto
Ciências biomédicas
27

Jorge de Brito
Universidade de Lisboa
Engenharia Civil
20
HCR Delfim Torres
Universidade de Aveiro
Matemática
16
Pedro Portugal
Universidade NovaSBE
Economia
15
Albano Cavaleiro
Universidade de Coimbra
Engenharia Mec
12
Pedro Pita Barros
Universidade NovaSBE
Economia
9
Amílcar Ramalho
Universidade de Coimbra
Engenharia Mec
8
Braga de Macedo
Universidade NovaSBE
Economia
1


-- 

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.