terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Criminalizando a ciência

Uma das prendas de Natal da minha adolescência que mais apreciei foi um kit de química que me permitiu muitas e boas horas de descoberta da ciência.

Hoje em dia esse tipo de brincadeira científica é encarado como uma actividade criminosa, pelo menos por terras canadianas onde um estudante de química foi preso pela polícia por ter construído um laboratório em casa.

Aparentemente a polícia pensou que tal facto apenas podia significar que o jovem de 18 anos se dedicava a sintetizar metanfetaminas em casa. Quando uma inspecção mais cuidadosa revelou não ser esse o caso, a polícia mudou a acusação para fabrico de explosivos - que qualquer pessoa com dois neurónios químicos sabe poderem ser produzidos sem problemas na cozinha apenas com produtos de limpeza, isto para não falar das potencialidades bombistas de fertilizantes para a agricultura ou mesmo de dejectos de pássaros.

Embora o advogado do jovem tenha tentado explicar à polícia que este apenas tem um interesse genuíno por ciência, o inspecter Engele, encarregue da investigação, acha que o grau de «sofistificação» do laboratório não engana ninguém: quem sabe tanto de química só pode mesmo ter intenções criminosas...

E eu a pensar que era ridícula a recente incursão da ASAE pelos laboratórios universitários nacionais!

5 comentários:

  1. Não sei se serei o unico mas, fica a sugestão. Quando da inserção de links, seria útil a abertura de uma nova janela. Seria bem mais fácil a sua navegação.

    ResponderEliminar
  2. Olá Ricardo:

    Já inseri. Esqueço-me sempre do target="_blank" porque abro sempre os links num novo tab mas vou tentar não esuqecer daqui em diante :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda bem que a ASAE não vai a cada de cada um (por enquanto) fiscalizar o que se tem guardado no computador, o dia que isso acontecer muitos de nós seremos presos com acusações muitissimo divertidas.
    O canadá perdeu o juizo, está a americanizar-se, a ficar pateta e embrutecido, caminhamos para o 1984, eu tenho dito.

    ResponderEliminar
  4. Isso é sintomático de uma realidade por vezes esquecida neste blogue: a ciência não é uma actividade mundividencialmente neutra, que existe para além do bem e do mal.

    A ciência, em si mesma, também não fornece qualquer critério ético para a actividade científica.

    Os criacionistas nunca se insurgem com a ciência em si mesma, que consiste no conhecimento da Criação de Deus.

    A ciência é possível porque um Deus racional criou o mundo de forma racional, com uma estrutura racional, para poder ser conhecido por seres racionais.

    Sucede, no entanto, que a ciência é feita por seres humanos pecadores. Apesar de o conhecimento estar longe de ser um mal, ele acaba quase sempre por ser usado para o mal, porque a natureza humana é irremediavelmente decaída.

    Génesis explica as causas disso. A Bíblia apresenta as soluções.

    Estas consistem, em termos definitivos, na restauração de toda a Criação.

    Enquanto ela não se verificar, a ciência acabará por ser usada para o mal, como sucede com tudo o mais.

    ResponderEliminar
  5. Mais uma vez, tio Perspectiva e as perspectivettes e as suas contribuições pertinentes.

    Fazem também casamentos e batizados!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.