sexta-feira, 20 de julho de 2018

Sobre o Acordo Ortográfico

  Eis alguns vídeos do Colóquio de Julho de 2018, na Academia de Ciências de Lisboa, feitos por Arlindo Sou:

            
Ivo Miguel Barroso - Unidade ou  
diversidade do Português  nos oito Estados lusógrafos?

            Rafael Gomes Filipe - Algumas reflexões sobre os acordos ortográficos luso-brasileiros.
            Contra.o.Acordo Ortográfico

            Manuel Alegre - O Mar e a Língua

            Carmen de Frias e Gouveia - Da inutilidade do 'novo' Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

            Fernando Paulo Baptista - A expressão da diversidade intercultural dos países da C.P.L.P., no respeito do "direito à diferença".

            Artur Anselmo - Todas as línguas são iguais em direitos.

2 comentários:

  1. De discussão em discussão, os danos alastram e nada se faz. Não estamos a falar de teorias, estamos a falar de factos concretos, de pessoas, de crianças. Há quantos anos se está a assassinar a aprendizagem do português na Escola do 1º Ciclo? Onde entra o Estado corrompido, sai a verdade. Não me falem em direitos e do outro lado riem dos parolos que creêm na Democracia. Tratem de problemas que realmente existem, em vez de inventarem problemas inexistentes, como esta urgência dos acordos ortográficos. O Brasil jamais vai aprender a falar português, o brasileiro é pura invenção da pobreza e ignorância, tendo degenerado tremendamente nos últimos 50 anos. Ouçam na web vídeos antigos, é de ficar boquiabertos. Este é o resultado do abandono da Alta Cultura, segundo os novos padrões educacionais. O AO90 é uma farsa e quem pactua com isto não será esquecido!

    ResponderEliminar
  2. As assinaturas dos professores do 1º Ciclo (em petições escritas por pessoas importantes) não são importantes e muito menos essenciais, uma vez que é uma classe sem importância.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.