domingo, 27 de janeiro de 2013

ENTRE O TAÍGETO E O FUJI, VENHA O DIABO E ESCOLHA

Apontamento de João Boaventura a texto antes publicado.


Aqui está o Monte Taígeto escolhido pelos espartanos para as festas dionisíacas e, quando oportuno, lançarem as crianças defeituosas ou débeis, do ponto mais alto, mas esqueceram partilhá-lo com os velhos decrépitos, débeis e incapazes.


Como o tal Ministro japonês terá encontrado nos espartanos esta lacuna, talvez possa aproveitar o Monte Fuji (nesta imagem) cujos oportunos 3.776 metros de altitude se apresentam mais eficazes do que os meros 2.400 metros de altitude local do Taígeto para lançamento de todos aqueles que prejudiquem a economia do sol nascente. 

Talvez pudesse começar pelos ministros e políticos que delapidam o erário com muita ferocidade, já que os da idade provecta só recebem uns míseros ienes...
João Boaventura

4 comentários:

  1. Claro, simples, direto, eficaz. E muito sensível.

    Continue assim, meu caro João Boaventura.

    ResponderEliminar
  2. A não ser que o Matterhorn (também chamado Monte Cervino pelos italianos), tenha uma montanha sósia, a fotografia de cima é do Matterhorn. Fica na fronteira da Suiça com a Itália, tem 4,478 metros de altitude e aparece nalgumas embalagens de chocolates Toblerone. Teria sido excelente para as crianças espartanas débeis se o Matterhorn fosse o Monte Taígeto. O Matterhorn foi uma das últimas montanhas dos alpes a ser escalada, por causa da sua dificuldade técnica. Acho que é uma óptima sugestão para o Ministro japonês, desde que lá vá pessoalmente fazer uma missão de reconhecimento prévia.

    ResponderEliminar
  3. Caro David Marçal

    Agradeço a correcção mas a culpa é minha por ter confiado neste sítio de onde o extraí, podendo ter extraído a imagem ainda de outro sóitio que tem o título de Imagens do Taígeto, imagine.

    Em boa verdade, fiáveis, só as enciclopédias.
    Mas grato pela correcção, que me permite manter o velho rifão de que estamos sempre a aprender-

    Cordialmente

    Mas

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.