sábado, 24 de março de 2018

"ASTROFOTOGRAFIA" NO RÓMULO EM COIMBRA

1 comentário:

  1. Concordo com a senhora Doutora D.ª Manuela Grazina que diz que quando recebemos conhecimento de alguém que no-lo transmite, ficamos, para sempre, pessoas diferentes. Procurar conhecer os mecanismos, os eletromagnetismos e demais processos físico- químicos e biológicos do funcionamento das pequeninas mitocôndrias, invisíveis à vista desarmada, deve exigir muita paciência e trabalho de sapa, que, presumo, serão mais do que recompensados por momentos de êxtase físico e intelectual, quando o investigador consegue abrir uma pequena janela de onde já se vê a possibilidade de cura de pessoas com doenças raras.
    Não gosto de ser desmancha-prazeres, mas, tal como Manuela Grazina antecipa aplicações boas, no campo da Medicina, para as suas investigações com mitocôndrias, não correremos o risco de pessoas más usarem o novo conhecimento mitocondrial para inventarem novas doenças?

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.