sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A gestão de pessoas...

Imagino que os arqueólogos e antropólogos de um futuro longínquo quando procurarem entender o tempo em que vivemos, o modo pensar que sobressai, as opções que se tomam, os comportamentos que se adoptam, deitarão, em grande medida, mãos aos vestígios que designamos por digitais.

Suponhamos que, nesse futuro, um certo arqueólogo ou antropólogo quer conhecer o nosso estado de "desenvolvimento moral". Para analisar documentos que vamos deixando pelo caminho, usa três conceitos muito simples da psicologia do século XX ligados a Piaget, Kohlberg e a outros que se lhes seguiram:
- anomia (sem conhecimento ou consciência precisa do que é certo ou errado, o sujeito age em função de necessidades básicas, obedecendo por medo ou condicionamento);
- heteronomia (conhecendo regras sociais, o sujeito cumpre-as escruposa e rigidamente, sem admitir qualquer excepção, guia-se pelo conformismo escudando-se no "toda a gente faz assim");
- autonomia (tendo interiorizado princípios universais, o sujeito orienta-se sobretudo pela ideia de "dignidade", a partir da qual toma as decisões próprias, formando a sua consciência).
Suponhamos, agora, que o investigador imaginário começa por analisar prospectos publicitários que circulam na internet com grande sucesso junto de empresas e instituições. Usando a velha antiga técnica de análise de conteúdo começa pelo que abaixo se reproduz. E, vai sublinhando expressões:
- recursos humanos
- aproveitamento de pessoas
- controlo... controlo... controlo...

É provável que na sua cabeça se esboce a suspeita de que o "desenvolvimento moral" que aqui se infere destoa daquilo que leu em alguns escritos antigos e medievais, e sobretudo nos de um filósofo do recuado século XVII chamado Kant, autor da lei: "age de maneira que a máxima de tua acção valha como princípio de uma lei universal."

O que foi que aconteceu? Perguntará.
 
"A gestão de pessoas é um tema que cada vez mais assume importância nos dias que correm. É importante melhorar processos na sua empresa e garantir a correta gestão dos recursos humanos.Controlar a assiduidade daqueles que diariamente o representam é um procedimento que deve ser minuciosamente estudado que deverá resultar num aproveitamento de pessoas em prol daqueles que a organização serve."
(...)
A utilização de um software de controlo de assiduidade vai trazer-lhe inúmeros benefícios, desde que opte pela melhor solução do mercado. A correta gestão dos seus recursos humanos permite a racionalização de custos e tempos, diminuindo a perda de tempo útil de trabalho, e aumentando a produtividade. A implementação de um sistema de controlo de assiduidade permite aos colaboradores diariamente efetuarem o registo da sua entrada e saída nas instalações, sendo que na picagem do ponto pode ser definida a utilização das caraterísticas físicas do indivíduo, bem como leitura de cartão. Consoante referido, o registo diário dos funcionários pode ser efetuado recorrendo a tecnologia biométrica (impressão digital, palma da mão, reconhecimento facial, etc.), sendo que os movimentos dos colaboradores são automaticamente cruzados com os horários pela entidade patronal definidos, verificando se o horário laboral está ou não a ser cumprido.
O software de controlo de assiduidade acumula as marcações efetuadas nos relógios de ponto e permite a criação de relatórios detalhados, também eles facilmente analisáveis e exportados para outras aplicações do Windows, como o Word, Excel e aplicações de salários. O software funciona em rede, e desde que aliado ao correto hardware permite a monitorização e gestão integrada e constante dos movimentos dos colaboradores. 
Porquê usar Biometria? Até aos dias de hoje, uma das formas de identificação mais usadas é a aplicação de senhas, passwords ou pin-code's. (...) Existe também a possibilidade do uso de cartões com chips ou dispositivos magnéticos que permitem a identificação de um indivíduo através de uma simples leitura (...) O grande problema desses métodos é que qualquer pessoa pode conseguir a senha ou o cartão (...) Com a biometria, esse problema deixa de existir ou, pelo menos, a sua frequência e facilidade de execução diminuem (...) é muito difícil copiar uma característica física e, dependendo do que é usado na identificação, a cópia é impossível (como a íris do olho), tendo em consideração a evolução dos algoritmos de reconhecimento utilizados nos dias de hoje. Existem várias características biológicas que podem ser usadas num processo de identificação. Vejamos as principais:  Impressão digital: o uso de impressão digital é uma das formas de identificação mais comuns. Consiste na captura da formação de sulcos na pele dos dedos e das palmas das mãos de uma pessoa. Esses sulcos possuem determinadas linhas e divisões que diferem de pessoa para pessoa. Reconhecimento facial: neste método a definição dos traços do rosto de uma pessoa é usada como identificação. é um processo que se assemelha em parte com a leitura da geometria das mãos, mas considera o formato do nariz, do queixo, das orelhas, etc; Voz: a identificação por voz funciona através da dicção de uma frase que atua como senha....

3 comentários:

  1. Tretas!
    Em tempos disseram-me que o progresso de uma empresa se media pelo número de engenheiros empregues face ao nº de "especialistas" da gestão e do marketing! quantos mais houvesse dos 1ºs mais saudável seria a empresa, se houvesse mais dos segundos, então estaria em maus lençóis!

    ResponderEliminar
  2. Americanadas.... Odeio a palavra, o conceito, a noção, o significado a semântica da palavra «gestão» - hipocrisias americanas para dominarem o próximo!

    ResponderEliminar
  3. As empresas que se dedicam mais a gerir que a produzir têm os dias contados..
    Este modelo de economia financeira que não produz nada já deu o que tinha a dar e está-se a ver, a crise, os problemas dos bancos em Portugal são disso exemplo.
    Antes o dinheiro saia do comércio, da indústria ou da agricultura, saia de actividades produtivas, agora aparece milagrosamente a partir do nada.. O resultado está ai

    Essas coisas do post são porcaria dos americanos para desviarem do essencial! Os europeus parvos como são copiam tudo o que os americanos fazem o dizem fazer, pode-se ver o caso dos cursos de gestão e outras porcarias. Ainda mais adoptando estas tretas, está-se apenas a dar dinheiro às empresas americanas que as produzem! A europa continua a ser o quintalinho e não passá disso enquanto formos governados por idiotas como angela merkel e outros..

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.