domingo, 9 de fevereiro de 2014

“Gosto de competir, lutar e ganhar”



Crónica recebida de Fernando J. Regateiro, professor de Medicina na Universidade de Coimbra (na imagem, Rui Reis):

A frase é de Rui Reis, 46 anos, professor catedrático da Universidade do Minho e responsável pelo laboratório de engenharia de tecidos e medicina regenerativa. Recentemente, foi distinguido com o prémio Clemson, dos EUA, pela originalidade dos seus contributos científicos. Em 2013, os seus artigos tiveram mais de 3.000 citações. 

O seu mundo é o da boa ciência mundial, onde o reconhecimento e o respeito se ganham com inteligência, talento, mérito, ética e sucesso em trilhos inovadores. 

Bom nortenho, sabe que “quem não chora, não mama”! E, racionalmente, não poupa no “folclore” (a palavra é sua), a que junta ambição e trabalho, agressividade e arrogância profissional – “porque é necessária para crescer e para marcar posições internacionais”. 

Sem tibieza, reclama reconhecimento de príncipe: “Um dia o nosso trabalho será tão reconhecido a nível nacional como é … no resto do mundo”. 

Parabéns. Que o seu exemplo frutifique!...

Fernando Regateiro

1 comentário:

  1. Toda a obra de arte é filha do seu tempo...

    É sufocante a opressão das doutrinas materialistas e superficiais, dissonantes de elevados princípios interiores. O meu diapasão afina pelas cordas sensíveis do coração. Não se interessa pelo reconhecimento exterior e pela propagação do som.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.