segunda-feira, 20 de março de 2023

IMPÉRIOS, IMPERADORES E SUAS "AMIZADES SEM LIMITES"

Aos imperadores havidos e a haver.
Quando os imperadores afirmam 
uma “amizade sem limites”, 
todos sabemos como se acaba…

A DOENÇA DE SER IMPÉRIO

Há uma doença de ser império,
que é parecida com um carcinoma:
o império acresce, sem critério,
ao que originalmente foi Roma.

Império é doença prolongada,
que se arrasta, com muito sofrimento.
Tem vida longa e degenerada
e só a morte põe fim ao tormento!

Possuir tanto poder enlouquece
imperadores e quem lhes obedece.
O carcinoma, dentro deles,

tece teia mortal que se não compadece.
Ser império é autodevorar-se,
com bárbaros à porta, a preparar-se!

Eugénio Lisboa

FUGIDO À JUSTIÇA

O Putin anda fugido à justiça, 
indo esconder-se em Mariupol.
Está sem motorista, grande injustiça,
e conduz com maus ares de mongol!

Se sair da Rússia, será fisgado
e mandado curtir no Tê Pê I:
ficaria em Haia, mal amanhado,
e iria portar-se como uma Fifi!

Vai ter saudades do Kapa Gê Bê,
onde tinha os orgasmos que sabia:
fazer tortura com creme flambé!

Gozava, digamos, como podia,
mas resta-lhe agora comer borche
e guiar a versão russa do Porche! 

Eugénio Lisboa

2 comentários:

Carlos Ricardo Soares disse...

Eugénio Lisboa, apanhou-os em flagrante, mas qual deles o mais farsante? Se bem observo, o russo perdeu o nervo e olha o chinês desarmante com mal contida raiva. O mais grave mesmo é a leviandade com que os imperadores juram amizade. Depois deste ferro-aço, querem que sonhemos com o abraço. O paternalismo destes palhaços é ridículo, mas faz deles o que eles são, temíveis.

Albino M. disse...

Que tristeza, santo Deus!
Que miséria!
Que estupidez!

Rushdie e a decência humana

Imagem recolhida no jornal El País : aqui Depois de Segunda Grande Guerra, o Ocidente declarou "nunca mais": nunca mais à destruiç...