quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

PROFESSORES DO SUPERIOR QUE DÃO AULAS SEM RECEBER

Foi ontem noticiado pelo JN que Reitores contratam professores para dar aulas sem receber. A polémica surgida ontem já conta com várias reacções:

- Do Presidente do Conselho de Reitores: Reitores dizem que docentes sem salário é "normal e pontual"


- Da Associação de Bolseiros de Investigação Científica: Regulamentos obrigam bolseiros a assegurar trabalho docente sem vencimento 

Obviamente que é tudo uma questão de intensidade, como diria Pinto da Costa. Se um professor de uma universidade vai a outra dar uma aula de 2 horas pontualmente é natural que possa não ser pago. Ou se um qualquer profissional vai dar uma palestra esporadicamente a alunos de um mestrado ou de um programa doutoral. Mas é completamente inaceitável que bolseiros de investigação sejam forçados por regulamentos internos a darem aulas sem qualquer remuneração adicional, quiçá amaciados com a ideia de estarem fortalecer o CV. Certamente poderão incluir no CV que já têm experiência a trabalhar de graça, se se candidatarem a outro trabalho não remunerado.

Este é mais um sinal de que as instituições de ensino superior não só estão viciadas em bolsas e falsas bolsas, como no trabalho gratuito dos bolseiros.

3 comentários:

  1. "servimos, e a medida da nossa servidão está precisamente no grau da nossa incapacidade" [Jean Guéhenno]

    ResponderEliminar
  2. Diz-se que na FMUP são às dezenas!!! de pontual nada tem e, com tendência a aumentar. Fala-se ainda da "inovação" que obriga à deslocação e regresso à FMUP em contra relógio de alunos que vão a aulas em outros "hospitais associados".
    Porquê? Obediências? Maus resultados a prazo... estão bem à vista.

    ResponderEliminar
  3. É de realçar o novo decreto-lei 57/2016, que prevê que investigadores doutorados recebam menos que o que recebe actualmente um bolseiro de pós-doutoramento... onde se inclui quem estiver abrangido pela norma transitória (Artigo 28). Será que estes "investigadores low-cost" vão ser também forçados pelas universidades a dar aulas para engordar o CV?

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.