quinta-feira, 5 de março de 2015

A "Fraude da água" é a mais comentada do Público

Com tantas fraudes no país para comentar é curioso que o escrito do David Marçal e meu sobre a "fraude da água" seja o mais comentado no Público: cerca de seis centenas e a subir... Ler e, se quiser, comentar aqui.

1 comentário:

  1. Não me parece que seja de destacar o volume de comentários como um critério de validação de qualidade do artigo, que deve valer pelos seus argumentos.
    É que a maioria dos comentários é de uma pobreza confrangedora.
    A blogosfera está infestada de gente que não tem mais nada de socialmente útil para fazer do que despejar insultos, ofensas pessoais, banalidades.
    Ma todos acham sempre qualquer coisa, mesmo que nem os próprios talvez saibam o que acharam: somos o país do achismo.
    Aqui, nesta (in)cultura demasiado generalizada que se fica pelo achismo é que está a raiz da aceitação social dos cartomantes, curandeiros, adivinhadores, homeopatas, etc., etc.
    E isso combate-se com educação, saber, ciência, cultura.
    Não com polémicas incompreensíveis que gastam tempo essencial para as tarefas essenciais.
    E nem com cortes estúpidos na Educação, na Ciência e na Cultura em nome de agendas ideológicas fanáticas.
    Infelizmente, alguns dos que têm este desvelo público contra a homeopatia, desproporcionado quanto à sua importância e que se revela contraproducente, pois não passa de uma forma de a publicitar, são os que ajudaram a construir o currículo instantâneo de superespecialista de algibeira do ministro da Educação e Ciência, que mais não é do que o coveiro-mor da Educação e Ciência em nome de preconceitos tão aberrantes e tão pouco fundados no conhecimento como os dos defensores fanáticos da homeopatia.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.