sábado, 3 de junho de 2017

Tecnologia e dignidade. A aplicação de microchips em alunos. 2

Continuação de texto anterior (aqui).

A aplicação de microchips em alunos, por indicação das escolas que frequentam, no âmbito de programas de intervenção, começa a ser recorrente em diversos países. Faltar às aulas é uma forte razão de encaminhamento para tais programas, sobretudo quando a escola é privada e o seu financiamento é ajustado por aluno. Mas também há programa para alunos obesos e para o mais que se possa imaginar.

No vídeo abaixo, o comentador, que rejeita esta forma inaceitável de controlo, diz enfaticamente: "odeio tudo isto". 



E explica... 

Há uma tendência de criminalização de todos os comportamentos que se desviam de uma norma estabelecida. Faltar à escola e comer doces são comportamentos que se espera de crianças e de adolescentes, precisamente porque são crianças e adolescentes!

O big brother está em todo o lado, nas ruas, no telemóvel... e na escola. Aqui há câmaras de vídeo por todo o lado, até nas salas de aula. Espiam-se os professores e os alunos.

Os limites do razoável foram ultrapassados. A razão está a falhar e possivelmente não haverá retorno. Abriu-se uma Caixa de Pandora!

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.