sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Os 5 vídeos pelos quais muitos esperavam

Em Novembro anunciei que iria decorrer no dia 21 desse mês a ComceptCon 2015, a convenção anual da COMCEPT, que nesse ano foi dedicada a vários tipos de Negacionismo em Ciência.

A boa notícia é que gravámos as palestras e disponibilizámos online para quem não conseguiu estar presente. Cada palestra tinha a duração de 30 min (embora alguns oradores se tenham alongado). Partilho-as agora:

Oradora: Xana Sá-Pinto (Universidade de Aveiro)

Oradora: Mónica Pina (Instituto Médico e Dentário Dra. Joaquina Corado)

Orador: Hugo Vaz (Museu Judaico do Porto)

Orador: Carlos Teixeira (Univ. Livre de Amesterdão e Instituto Superior Técnico)

Orador: Ricardo Cardoso Reis (Centro Astrofísica da Universidade do Porto - CAUP)


18 comentários:

  1. Sem comentários, acho que este artigo é bastante esclarecedor:

    O Rerum Natura e as alterações climáticas
    http://algolminima.blogspot.pt/2016/01/o-rerum-natura-e-as-alteracoes.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, o velho argumento de "as alterações climáticas sempre existiram". Mas sabe que isso não quer dizer que nós não estejamos a alterar o clima de maneira nociva.

      Mas porquê acreditar nos IPCC quando se tem blogs, não é?

      Eliminar
  2. Que bom ver o combate à pseudociência e às teorias da conspiração estapafúrdias. :)

    ResponderEliminar
  3. Sendo de muito interesse, logo que possa irei visualisá-los. Agora, uma sugestão de video para quem não pôde assistir ao vivo ao espectáculo: Som e Luz na passagem de ano, na Universidade de Coimbra. Ignoro se já aqui foi sugerido.

    https://www.youtube.com/watch?v=ZYSfnvelWAA>

    ResponderEliminar
  4. O que é realmente bom, é ver a exposição do cientismo e dos seus 'cientistas' de trazer por casa, aqueles que estão sempre de acordo com a autoridade consensual, tantas vezes fruto de mera engenharia da opinião. E pelo IPCC, recomendo ir a Fátima colocar uma velinha.
    O clima sempre variou, até os escaravelhos sabem isso, a diferença é que eles sabem isso antes do IPCC o vir anunciar. Nada é estático, à excepção dos tiques do cientismo que sempre tentam agarrar uma suposta versão definitiva da "ciência", para fins pouco científicos. E claro é sempre preferível continuar a ignorar a natureza eléctrica do universo, é mais fácil culpar o dióxido de carbono e outros gases desgraçados, isso é sempre mais fácil do que ter que regressar ao 1º ano de faculdade. Enfim, não se pode exigir mais aos atomistas - imagine-se o susto de não se ter o mundo agarrado por algum lado!?

    Piers Corbyn: Electrical Weather
    https://www.youtube.com/watch?v=7g4NbhgpgRU

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado por mostrar aos poucos que pudessem ter dúvidas o quão lunática é a sua posição. Enfim, quando se usa termos como "a natureza eléctrica do universo" e "atomistas" numa conversa de alterações climáticas, está tudo dito sobre o vazio de argumentos que tem. É engraçado como nega CINCO análises de IPCC (assumindo que acha que são todos falsos desde o início), que "apenas" reúnem todos os trabalhos de climatologia do mundo inteiro, em favor de uns blogs e de vídeos de Youtube que são tão vazios de conteúdo como as cabeças de quem os faz.

      Mostre trabalhos que apoiem o seu ponto de vista, não gente que nada percebe do assunto a querer meter a sua opinião ao mesmo nível de factos. Quando vir que não consegue fazer isso, vai perceber que a negação das alterações climáticas é isso mesmo: negação. sem qualquer base científica, apenas as opiniões de "uns tipos que conheço".

      A não ser que tenha algo concreto na forma de trabalhos a apresentar contra a ideia das alterações climáticas aceleradas pelo Homem, pare de se passar como autoridade de uma matéria que não domina, e onde implica que 97%+ dos cientistas fazem parte de alguma conspiração (mas o que será que ganham eles com isso)?

      Eliminar
    2. Muito obrigado por nos mostrar que de facto o seu problema neste tema é ignorância. Quando se usa termos como "natureza eléctrica do universo" ou "atomistas", está tudo dito quanto ao conteúdo do seu argumento: nenhum.

      Um tique que pessoas como você costumam ter é contrapor estudos e trabalhos por pessoas qualificadas, coisas que têm de ser avaliadas antes de virem a público, com coisas de Youtube e blogues, que podem ser feitas por qualquer pessoa com acesso à Internet.

      97%+ dos climatologistas concordam que as alterações climáticas são aceleradas pelo homem. E você quer contrariar o trabalho desses milhares e milhares de trabalhadores dizendo que fazem parte de uma conspiração? E o que ganham eles com essa conspiração, mesmo? Ou então mostra como refutação vídeos de pessoas que não percebem do assunto e que, à falta de capacidade para realizar trabalhos aceitáveis, decidem expor opiniões no lugar deles.

      Por muito que lhe apeteça, opiniões e trabalhos/factos não estão no mesmo patamar. Não valem, nem podem valer, o mesmo. Por isso, a não ser que tenha algo concreto para mostrar sem serem vídeos de pessoas que não conseguem demonstrar aquilo que dizem, pare você de contrariar algo só porque não gosta das consequências.

      Já agora, nega todos os cinco IPCC? Que "apenas" reúnem todos os trabalhos das pessoas nesta área no Mundo? Deve ser uma autêntica autoridade na matéria... Ou apenas mais uma pessoa que nega o que se está a passar só "porque sim". Porque razões para isso não referiu nenhuma. É muito fácil achar que palavras bastam para contrariar o consenso que existe, mas acha mesmo que a sua posição, sem uma base que a apoie, vale de alguma coisa?

      Eu até diria "O que é realmente bom, é ver a sua exposição de pseudociência, aqueles que se julgam autoridades, fruto de meras birras que têm para com quem sabe aquilo que diz". Mas isso não é nada bom. É de facto muito preocupante, porque mostra que, ao contrário do que julga, você é que está pronto para absorver tudo o que alguns pseudo-Galileus tenham a dizer. Sim, porque os cientistas aceitam o que dizem porque há provas a apoiar as suas posições. Você acredita em algo sem nenhuma base, o que me parece muito pior.

      Eliminar
    3. Peço desculpa por a resposta aparecer duas vezes, pensei que por alguma razão tivesse sido recusada a primeira.

      Eliminar
  5. Quer dizer então que confunde Causalidade com Factos simples. E também haja que nada há de errado com a Ciência actual? Só 5% dos cientistas são independentes, o resto só pensa sobre aquilo que é autorizado e cuidado com as conclusões. Tem dúvidas disso? É difícil olhar ao espelho. Regressámos a um antropocentrismo! Ridículo, o clima é movido pelo Sol, no mínimo, ainda que a engenharia climática seja uma realidade que se limita a dar 'empurrões' e a poluir ainda mais o planeta. O Cientismo é isso mesmo, uma invisível ilusão de Podere da Realidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É triste que você tenha os cientistas em tão pouca consideração... Nesse caso, quem é que você pensa que deve trabalhar nestas coisas? Você só diz isso porque não está dentro do mundo dos cientistas. Eles VIVEM para encontrar coisas que contrariem os seus modelos, para que estes sejam melhorados. Esse é o objectivo deles: falsificar as suas teorias, para com isso conseguir discernir melhores.
      O Sol não tem tido alterações em escala suficiente para justificar por si só as alterações no clima. Aliás, se só isso importasse, na última década a temperatura média teria baixado! Por isso, com certeza há-de perceber que essa não pega.

      Você acusa com Cientismo, mas padece de um caso grave de pseudociência, onde pega em coisas falsas para justificar que as verdadeiras estão erradas. Desafio-o a mostrar que os climatologistas estão todos "comprados" como sugere (por quem??), em vez de uns quantos serem, esses sim, comprados por companhias de energias combustíveis para tentar contrariar a teoria das alterações climáticas.

      Eliminar
    2. Ah, e já me esquecia! Em vez de ser só "parlapier", mostre os dados que apoiam a sua posição, pois eu já lhe referi os que apoiam a minha (IPCC).

      Eliminar
  6. Os cientistas (95%) podem ter as melhores intenções, nem contesto isso, mas sem capacidade para se auto-financiarem, nada feito, não há independência, e a crítica maior vai sem dúvida para o iludir desse facto.

    Mas há alguma dúvida que os cientistas servem o 'status quo'? A ciência nunca esteve tão altamente manipulada através de um labiríntico sistema de publicações e de uma carreira que os deixa reféns de interesses políticos.

    Dado o estado degradado das democracias, confiar em instituições internacionais para a selecção e financiamento de projectos é o mesmo que confiar na Agenda esotérica de quem está na génese dessas instituições. Os patrocínios das mega-corporações e/ou instituições internacionais, por exemplo, a ONU e a União Europeia estão ensopados dessa Agenda. Os cientistas estão transformados em sacerdotes involuntários de um culto em que são 'carne para canhão'. As tentativas de promover e meter a ciência pelos olhos adentro do público são uma parvoíce, o senso comum está indisponível para dar assim tanto espaço à ciência, sabendo das suas limitações e contradições. Esta propaganda só vem sublinhar o seu carácter cientificista.

    A melhor forma de defender a ciência é manter o seu espírito humilde e rever severamente o uso da ciência como Poder, para lá de manter todo o processo de financiamento, o mais público possível, respondendo directamente às necessidades e interesses do grande público, evitando ao máximo os intermediários políticos que se movem numa área podre e desgastada pela corrupção e o compadrio. E, é favor não desvalorizar a minha percepção da realidade, uma competência exclusiva da Mente humana, à qual a ciência deve servir.

    Science as the New Religion
    http://localorg.blogspot.nl/2015/02/science-as-new-religion.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portanto, não só se recusa a ver outra maneira de ser no mundo que não essa, como ainda se "esquece" de mostrar as provas da sua posição. Enfim, vê-se bem que você não é cientista, nem perto disso. Se fosse, nunca teria essa conspiração na cabeça.

      Eliminar
  7. Desculpe lá, neste contexto, ser um cientista não é um grande elogio, muito menos atirar essa areia (da conspiração) para os olhos, também não funciona, uma vez que os próprios conspiradores nem guardam mais segredo da coisa. Aliás, isso até faz parte do seu código de honra. Por exemplo, o próprio Bertrand Russell fazendo parte do segmento inferior dessa elite, desde cedo abordou publicamente esses velhos planos (a Grande Obra). Se é cientista e não sabe disto, então é muito grave. Não se trata de uma questão de crença, pretender ignorar ou escamotear esta realidade deixa-o numa posição pouco elogiosa. Já vi que é daqueles que acredita que a ciência alguma vez reinará sem estar sujeita a um princípio superior (espiritual). A elite não é ateísta, nunca foi, embora promova o ateísmo e o agnosticismo, como estratégia. Se crê nisso, então é apenas um ignorante (sem ofensa). Hoje, como antigamente, não são os "reis" que governam, são os altos sacerdotes (gnósticos). Ser cientista pode ser hoje um modo de ser "ceguinho". Não me diga que ainda crê na inviolabilidade da 2ª Lei da Termodinâmica?! O consenso científico está apenas a construir a ética de uma Nova Era, uma ética pagã. Se porém, aceita que é pago para ser cego e não está para lidar com a "big picture" da realidade, certo, eu aceito a sua opção. Você não precisa de provas, precisa fazer uso da sua inteligência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado. Essa frase do "Você não precisa de provas" foi a machadada final no seu lado. acabou de admitir que não consegue provar o seu ponto de vista. Dou esta discussão por encerrada, já que dá para perceber que não percebe como funciona uma conversa científica. Obrigado por finalmente confessar que não precisa de provas, se bem que isso já fosse implícito. Ao menos assim, já fica público: você não recusa a ciência por não gostar dela, mas sim por não ter mentalidade para a aceitar. Tenha uma boa noite.

      Eliminar
  8. Isto é que eu chamo de um discurso negacionista! Tudo o que está fora de uma discussão acessível à prova científica consensual (PCC) é algo que desmerece qualquer atenção. É um sintoma da desumanização necessária para ser-se um cientista aceite pela sua comunidade. Quer discutir 'teologia', discuta com os seus pares. Quanta boa ciência tem sido expurgada, ostracizada nos últimos 100 anos. Credo!!! Cientistas restam 5%, o resto são meros funcionários de um culto. Tenho dito. Passe bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não adianta dar a volta. Você escreveu explicitamente que as provas não lhe interessam. Fica óbvio que você não faz a mínima ideia do que é fazer ciência nem ser cientista. Mas fala como se fosse autoridade a dizer que 95% dos cientistas são comprados, obviamente sem a mais pequena prova, sem sequer dizer por quem... Mas as provas não lhe interessam, não é? O que explica perfeitamente porque toma uma posição anti-científica como negar que o Homem tem influência nas alterações climáticas.

      É incrível como você segue tão cegamente uma tendência que não tem nada de concreto que a suporte, e que ainda se atreva a chamar aos outros de um culto! Enfim, se aplicasse esse critério aos sítios que você segue, talvez chegasse a uma conclusão que não está à espera... Mas fique lá a achar que sabe mais que os outros. Felizmente, não deve ter ninguém em quem mande para impor esses seus pontos de vista. Arruinaria carreiras com tamanha capacidade de demonizar tudo o que não concorda consigo, só porque não entende. Você próprio admite que não percebe nada do que está nos IPCC! Mas "sabe" que o que quer que esteja lá está mal. E os outros é que são um culto.

      Eliminar
  9. Não me interessa aqui discutir 'A Prova', porque isso não nos levaria a lado nenhum, é um mero labirinto tomado pelo monólogo da ciência convencional, de forma a ganhar os argumentos. A fragilização do bom senso comum condenará a ciência ao cientismo, quer se queira ou não. Por isso, não me fale do pedestal arrogante do cientista e desça ao quotidiano do cidadão comum, porque sem ele as suas boas intenções cairão em saco roto e no tal culto que referi. Essa dos 95% é de um colega seu, um cientista vítima do belo tratamento dado pela vossa ciência do consenso, que ao fazer descobertas desconcertantes sobre os riscos dos transgénicos, escapou por pouco a uma vida destruída por completo. Esperemos então estar cá para ver o que você e os seus amigos cientistas fazem para evitar arruinar-nos a todos, não se trata apenas de arruinar meia dúzia de carreiras ou vidas. Os cientistas podem fazer ciência mas não mandam nela, ainda assim, não podem alienar a responsabilidade pela sua paternidade/maternidade. Pense nisto tudo!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.