quinta-feira, 20 de outubro de 2016

ÚLTIMOS TÍTULOS DA CIÊNCIA ABERTA


Desde o n,º 201 que tenho escolhido os títulos da colecção Ciência Aberta da Gradiva, que foi iniciada e dirigida até ao n.º 100 por Guilherme Valente. Em breve sairá o volume 218, "Superprevisões", de Philip Tetlock e Dan Gardner, que se situa entre as ciências políticas e a psicologia social. Julgo que o título indica alguma inovação na colecção, o que também está patente no 2012, "Os Marcianos somos nós", de Nuno Galopim,  sobre ficção científica. Mas permanecem grandes clássicos como Hubert Reeves (n.º 205), Stephen Hawking (n.º 206) e, entre os portugueses, Jorge Buescu (n.º 210) e Jorge Dias de Deus (n.º 215).

Houve lugar aos novos, como o lançamento de José Xavier (n.º 207), Sérgio Rodrigues (n.º 209) e Alexandre Aibéo (n.º 16), uma estreia recente na Ciência Aberta (e autor do único livro, que eu saiba, com asterisco no título; não sei como os bibliotecários vão resolver isso nas fichas). Mas houve também reedições, revistas e aumentadas, como os livro de Manuel Paiva (n.º 204) e de Richard Feynman (n.º 213), tão diferentes que mereceram renumeração na colecção.

 Para aqueles que querem saber as últimas da ciência há o livro de Sean Carroll sobre a partícula de Higgs (n.º 208) ou o recente, e surpreendente, livro do físico-saxofonista de jazz Stephon Alexander, sobre o Universo e o Big Bang (n.º 217), juntando física e música.

 Julgo que a nova tendência da colecção é a inclusão de mais autores portugueses, reflexo do avanço da ciência entre nós. Dos 18 livros publicados, 9 (METADE!) são de autores portugueses. Por áreas, nota-se alguma predominância da Física, que já vinha de trás (há mais físicos a escrever obras de divulgação), em particular a astrofísica (um tema do agrado dos leitores da Ciência Aberta). 2015 Ano internacional da Luz foi marcado por dois livros, o clássico "QED" de Feynman e a "Biografia da Luz" de Tito Mendonça, que teve edição brasileira. O livro de Lewin e Goldstein "A Paixão da Física", muito ligado aos vídeos no Youtube do primeiro autor, também tem uma parte importante sobre a luz.  Assuntos que vou tentar incluir mais são Biologia e Ciências Sociais, que são domínios muito actuais do conhecimento.

 Gosto de todos. Mas se me perguntarem os meus favoritos recomendo vivamente o clássico "Como vencer com a estatística", de Darren Huff, um pequeno livro que não envelheceu e com o qual iniciei a minha direcção de colecção, e "O Início do Infinito", de David Deutsch, um livro entre a ciência e a filosofia, que nos provoca intelectualmente. Encontram os livros nas livrarias ou, on-line, no sítio da editora. Boas leituras!

201. COMO MENTIR COM A ESTATÍSTICA, Darrell Huff
202. O DIABO NO MUNDO QUÂNTICO, Luís Alcácer
203. O INÍCIO DO INFINITO, David Deutsch
204. COMO RESPIRAM OS ASTRONAUTAS, Manuel Paiva
205. ONDE CRESCE O PERIGO SURGE TAMBÉM A SALVAÇÃO, Hubert Reeves
 206. A MINHA BREVE HISTÓRIA, Stephen Hawking
207. EXPERIÊNCIA ANTÁRCTICA, José Xavier
208. A PARTÍCULA NO FIM DO UNIVERSO, Sean Carroll
209. JARDINS DE CRISTAIS — QUÍMICA E LITERATURA, Sérgio Rodrigues
210. PRIMOS GÉMEOS, TRIÂNGULOS CURVOS, Jorge Buescu
211. UMA BIOGRAFIA DA LUZ, José Tito Mendonça
212. OS MARCIANOS SOMOS NÓS, Nuno Galopim
213. QED — A ESTRANHA TEORIA DA LUZ E DA MATÉRIA, Richard P. Feynman
214. A PAIXÃO DA FÍSICA — DA PONTA DO ARCOÍRIS AOS CONFINS DO TEMPO — UMA VIAGEM PELAS MARAVILHAS DA FÍSICA Walter Lewin e Warren Goldstein
215. CIÊNCIA COSMOLÓGICA, Jorge Dias de Deus
216. 90% DO CARO LEITOR FOI FEITO NAS ESTRELAS* Percentagem em massa, Alexandre Aibéo
217. O JAZZ DA FÍSICA — A LIGAÇÃO SECRETA ENTRE A MÚSICA E A ESTRUTURA DO UNIVERSO, Stephon Alexander
 218. SUPERPREVISÕES. A ARTE E A CIÊNCIA DA PREVISÃO, Philip Tetlock e Dan Gardner

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.