sexta-feira, 28 de setembro de 2018

História da electricidade no ensino da Física

Informação recebida do Prof. André Assis (Unicamp, Brasil):

Palestra: História da Eletricidade no Ensino de Física (1 hora de apresentação e  meia hora de debate):

https://youtu.be/o4wesai8BNQ

Seminário realizado em 14/09/2018 no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da
Univ. Fed. de Santa Catarina, PPGECT/UFSC.

Resumo: Apresentamos alguns aspectos da história da eletricidade que podem ser explorados construtivamente no ensino de física.  Em particular, discutimos o efeito âmbar, a atração de um filete de água por um plástico eletrizado,  a atração e a repulsão elétrica, o mecanismo de atração/ contato/ repulsão ou mecanismo ACR,  os condutores e isolantes juntamente com suas principais propriedades. Mostramos como construir diversos instrumentos com  material acessível e de baixo custo: versório, pêndulo elétrico e eletroscópio. Fazemos algumas experiências como  a atração de pedacinhos de papel por um plástico eletrizado e a flutuação de uma penugem ou semente de dente de leão  por um tubo plástico eletrizado. Comparamos o eletroscópio de baixo custo feito com cartolina, canudinho e uma  tirinha de papel de seda com o eletroscópio de folhas de ouro que aparece nos livros didáticos. Mostramos as explicações  para o efeito âmbar e para o desvio de um filete de água que aparecem nos livros didáticos e enfatizamos que  não concordamos com essas explicações. Por último discutimos alguns mistérios do efeito âmbar que acreditamos que
ainda não foram totalmente solucionados até os dias de hoje.

Slides desta apresentação:

http://www.ifi.unicamp.br/~assis/eletricidade-14-09-2018.pdf

Essa palestra é baseada nos 2 volumes do livro Os Fundamentos Experimentais e Históricos da Eletricidade.

Volume 1: http://www.ifi.unicamp.br/~assis/Eletricidade.pdf

Volume 2: http://www.ifi.unicamp.br/~assis/Eletricidade-Vol-2.pdf

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.