segunda-feira, 29 de setembro de 2014

"MEU DITO, MEU ESCRITO": O LIVRO DA MARIA DE SOUSA APRESENTADO NO IPATIMUP


SESSÃO DE LANÇAMENTO - CONVITE
Apresentação do livro
Meu Dito Meu Escrito - De Ciência e Cientistas, com um monólogo da caneta de Maria de Sousa | IPATIMUP | Porto 

Tema em discussão - «Futuros e Desafios na Ciência: Ouvir os novos com ouvidos cansados. Ou um encontro de velhos e novos sangues para a continuidade da estrutura de um país científico» | IPATIMUP | Porto

Depois de um período em que muito se fez pela Ciência, em que as instituições e os investigadores portugueses cresceram e ousaram bater-se com os melhores, a Ciência em Portugal vive hoje dias de enorme fragilidade financeira, indefinição e de políticas descontinuadas.

Na sessão de apresentação do livro da Professora Maria de Sousa, Meu Dito Meu Escrito - De Ciência e Cientistas, com um monólogo da caneta, que terá lugar no Auditório do Ipatimup (Rua Dr. Roberto Frias, s/n, Porto) no dia 30 de Setembro, a autora e o director do Instituto, Professor Sobrinho Simões, acompanhados pelos responsáveis por outras instituições de ensino e investigação, propõem que ouçamos investigadores entre os 30 e os 40 anos falarem sobre o futuro da investigação científica em Portugal e sobre o que esperam vir a ser as suas vidas como investigadores nos próximos 20 anos.

O êxito das universidades norte-americanas no ranking mundial e a notável contribuição da filantropia, a deficiente investigação nas empresas portuguesas e a fragilidade do mecenato são temas que estarão em debate.

Destacamos também a participação do ex-reitor da Universidade do Porto, Professor Marques dos Santos, para falar da sua experiência de gerir interesses e ambições de centros de investigação dentro e fora das Faculdades; de Nuno Azevedo, para discutir o problema da filantropia nos dias de hoje (uma modificação do paradigma tradicional da caridade nas sociedades cristãs) e de Luís Portela, pela sua experiência na investigação biomédica e aplicação clínica na indústria farmacêutica.

A autora lança o desafio: «A questão que todos devemos colocar é se o país, como país, hoje, vai ter a coragem de se bater pelos mais novos, pelos que podem assegurar que Portugal vai verdadeiramente fazer-se respeitar pela Ciência e que entrará no grupo das Nações mais cultas».

Programa da Sessão:

30 de Setembro de 2014 – Auditório do Ipatimup

«Futuros e Desafios na Ciência: Ouvir os novos com ouvidos cansados. Ou um encontro de velhos e novos sangues para a continuidade da estrutura de um país científico»

14:15-14:45 - Introdução: Sebastião Feyo Azevedo, Maria de Sousa e Manuel Sobrinho Simões
14:45-16:15 - Futuros: Intervenções de Albino Maia (F. Champalimaud), Carla Oliveira (Ipatimup), Luisa Pereira (Ipatimup), João Relvas (IBMC), Bruno Silva Santos (IMM) e Miguel Soares (IGC)
16:15-16:30 - Outros futuros possíveis: Artur Santos Silva
Café
17:00 - Continuação: Maria de Sousa e Luís Portela
17:00-17:15 - J. C. Marques dos Santos: Centros de investigação intra versus extra-muros das Faculdades
17:15-17:30 - Nuno Azevedo: Caridade - Um paradigma em mudança
17:30-17:45 - Luís Portela: O que se poderá (deverá?) fazer
17:45-19:00 - Discussão geral com a participação dos «Futuros» e de Directores de Instituições Universitárias e de I&D

ENTRADA LIVRE

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.